Nome da Atividade
HISTÓRIA DO BRASIL I
CÓDIGO
1660028
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Conquista e expansionismo, guerras “justas”, usos da mão-de-obra indígena, tráfico de escravos africanos. Produção de exportação e de subsistência, mineração. Elites, marginalizados e escravos. Religião oficial e popular (sincretismos), festas e irmandades.

Objetivos

Objetivo Geral:

Discutir as linhas mestras de constituição, desenvolvimento e crise do processo de colonização portuguesa na América entre 1500 e 1822, abordando temas específicos ligados à política, sociedade, economia, cultura e religiosidade.

Conteúdo Programático

POLÍTICA: conquista e expansionismo, invasões, administração civil e eclesiástica, vinda da corte e criação do Reino Unido.
ECONOMIA: monocultura, mineração, pecuária.
SOCIEDADE: as elites - colonizadora e local (nobreza da terra), homens livres e pobres, escravos (índios e negros), as mulheres.
RELIGIOSIDADE: festas, irmandades, Inquisição, heresias.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • 1. ALENCASTRO, Luiz Felipe. O Trato dos Viventes: Formação no Brasil no Atlântico sul. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. 2. FRAGOSO, João; FLORENTINO, Manolo; JUCÁ, Antônio Carlos; CAMPOS, Adriana (orgs). Nas Rotas do Império: Eixos mercantis, tráfico e relações sociais no mundo português. Vitória: Edufes, 2006. 3. BOSSI, Alfredo. Dialética da Colonização. 3ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. 4. CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). História dos Índios no Brasil. 2ª edição. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 5. LARA, Silvia Hunold. Fragmentos Setecentistas: Escravidão, cultura e poder na América Portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

Bibliografia Complementar:

  • 1. ALGRANTI, Leila Mezan; MEGIANI, Ana Paula (org.). O Império por Escrito: Formas de transmissão da cultura letrada no mundo ibérico (séculos XVI-XIX). São Paulo: Alameda, 2009. 2. ALGRANTI, Leila Mezan. Honradas e Devotas: Mulheres da Colônia. Condição feminina nos conventos e recolhimentos do sudeste do Brasil, 1750-1822. Brasília: Ednub – Rio de Janeiro: José Olympio, 1983. 3. ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Metamorfoses Indígenas: identidade e cultura nas aldeias coloniais do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003. 4. ARAÚJO, Emanuel. O Teatro dos Vícios. Transgressão e transigência na sociedade urbana colonial. 2ª ed. Brasília: UnB, Rio de Janeiro: José Olympio, 1997. 5. BICALHO, Maria Fernanda; FERLINI, Vera Lúcia Amaral. Modos de Governar: Idéias e práticas políticas no império português, séculos XVI a XIX. São Paulo: Alameda, 2005. 6. BOXER, Charles Ralph. O Império Colonial Português (1415-1825). São Paulo: Companhia das Letras, 2002. 7. BOXER, Charles Ralph. A Idade de Ouro do Brasil: Dores de crescimento de uma sociedade colonial. 3º ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000. 8. DIAS, Maria Odila Leite da Silva. A interiorização da metrópole e outros estudos. São Paulo: Alameda, 2005. 9. FEITLER, Bruno. Nas Malhas da Inquisição: Igreja e Inquisição no Brasil. São Paulo: Parlenda, Phoebus, 2007. 10. FERLINI, Vera. Terra, trabalho e poder: o mundo dos engenhos no Nordeste colonial. Bauru: Edusc, 2003. 11. FRAGOSO, João; BICALHO, Maria Fernanda; GOUVÊA, Maria de Fátima (Orgs.). O Antigo Regime nos Trópicos: A dinâmica imperial portuguesa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. 12. FRAGOSO, João (org.). Conquistadores e Negociantes: Histórias de elites no Antigo Regime nos trópicos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. 13. GOMES, Plínio Freire. Um Herege vai ao Paraíso: Cosmologia de um ex-colono condenado pela Inquisição (1680-1744). São Paulo: Companhia das Letras, 1997. 14. GORENDER, Jacob. O Escravismo Colo

Página gerada em 02/07/2022 11:08:01 (consulta levou 0.109483s)