Nome da Atividade
Leituras Orientadas: Línguas de Sinais como L1 e L2
CÓDIGO
20000598
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4

Ementa

Aquisição de Línguas de Sinais como L1 e L2. Estudo de conceitos básicos relativos à educação bilíngue para surdos. Ensino de língua de sinais como L1 e L2. Ensino da língua portuguesa como L2 para surdos. Registro e Lexicografia de Línguas de Sinias.

Objetivos

Objetivo Geral:

a) Compreender o bilinguismo surdo como um bilinguismo de duas línguas e, duas modalidades;
b) Analisar os processos de aquisição de Línguas de Sinais como L1 e L2.
c) Discutir alternativas de ensino, divulgação e uso social de Línguas de Sinais como L1 e L2.
d) Discutir a aplicabilidade do conceito de “Textualidade Diferida” em sala de aula e, em publicações.

Conteúdo Programático

LETRAMENTOS CRÍTICOS
Discursos hegemônicos e contra-hegemônicos
Protagonismo do professor na autoria de materiais locais
Pesquisa em autoria crítica
BLENDED LEARNING
Da pedagogia diretiva à pedagogia relacional
A aprendizagem híbrida no ensino de línguas
Pesquisa em metodologias ativas
RELATIVISMO LINGUÍSTICO
Hipótese Sapir-Whorf
Do Determinismo Linguístico ao Relativismo Linguístico
Pesquisa sobre a relação entre Relativismo Linguístico e aprendizagem de línguas

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • MENALI, Daniela da Silva. Considerações sobre o comportamento discursivo de uma professora surda bilíngue. Monografia apresentada ao Instituto de Estudos da Linguagem, da Universidade Estadual de Campinas. Campinas: Unicamp, 2009. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=41004&opt=1
  • SILVA, Gisele Mara. O bilinguismo dos surdos: acesso às línguas, usos e atitudes linguísticas. Revista Leitura v.1, nº 58 – Maceió – Jan./Jun. 2017. Línguas de Sinais: abordagens teóricas e aplicadas, p. 124-144.
  • BECKER, Fernando. Educação e construção do conhecimento. 2 ed. Porto Alegre: Penso, 2012.
  • COOK, V. (Ed.) Effects of the second language on the first. Clevedon, UK: Multilingual Matters, 2003
  • HORN, M. B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre, Penso, 2015.
  • JARVIS, S.; PAVLENKO, A. Crosslinguistic influence in language and cognition. New York: Routledge, 2010.
  • PRETTO, N. de L.; ROSSINI, C.; SANTANA, B. Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas e políticas públicas. Salvador: Edufba; São Paulo: Casa da Cultura Digital, 2012.
  • TAKAKI, N. H.; MACIEL, R. F. Letramentos em terra de Paulo Freire. 2. ed. Campinas: Pontes, 2015.
  • VAN DIJK, T. A. Discurso e Poder. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2017.
  • WHORF, B. Language, thought, and reality (edited by J. B. Carroll). New York: Wiley, 1956

Página gerada em 26/01/2021 18:49:34 (consulta levou 0.099607s)