Nome da Disciplina
ETNOLOGIA AMERÍNDIA I
CÓDIGO
1670017
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Estudos teóricos e etnográficos de temas diversos acerca dos ameríndios no Cone Sul.

Objetivos

Objetivo Geral:

Introdução à área de etnologia ameríndia

 

Objetivos Específicos:

Apresentação teórica e etnográfica dos grupos étnicos, seus sistemas de pensamentos, seus territórios vinculados à bacia hidrográfica do Rio da Prata, rio Paraguai, rio Paraná, rio Uruguai, Aqüífero Guarani, rio Jacuí, Lagoa dos Patos, Atlântico Sul; Discussão sobre
relações interétnicas, hibridismo, origem e formação étnica dos estados nacionais

Conteúdo Programático

1. Teorias Etnológicas
2. Metodologia
3. Os Jê Meridionais
4. Mbyá-Guarani, Xiripá, Nandewa, Xetá
5. Guarani-missioneiro, Patos, Arachanes
6. Charrua, Minuano, Chaná, Guenoa

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BALDUS, Herbert. Ensaios de Etnologia brasileira. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979.
  • BECKER, Ítala Irene Basile. Os índiosCharrua e Minuano na antiga Banda Oriental do Uruguai. São Leopoldo: Editora da Unisinos, 2002.
  • CASTRO, Eduardo Viveiros de. “No Brasil, todo mundo é índio, exceto quem não é”. In: RICARDO, Beto, RICARDO, Fany. Povos indígenas no Brasil 2001/2005. São Paulo: ISA, 2006.
  • CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado. São Paulo: Cosac & Naif, 2003.
  • CLASTRES, Hélène. Terra Sem Mal. São Paulo: Brasiliense, 1978.
  • CRÉPEAU, Robert R. A prática do xamanismo entre os Kaingang do Brasil meridional: uma breve comparação com o xamanismo Bororo. Horizontes Antropológicos, ano 8, n. 18. Porto Alegre, 2002.
  • CRÉPEAU, Robert R. Mito e ritual entre os índios Kaingang do Brasil meridional. Horizontes Antropológicos, ano 3, n. 6. Porto Alegre, 1997.
  • CUNHA, Manuela Carneiro da (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Fapesp/SMC; Companhia das Letras, 1992.
  • FAVRE, Oscar Padrón. Sangre indígena en el Uruguay. Durazno: Libros del Autor, 1994.
  • FREITAS, Ana Elisa de Castro. Mrûr Jykre ― A Cultura do Cipó: territorialidades kaingang na margem leste do Lago Guaíba, Porto Alegre, RS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Programa de Pós-graduação em Antropologia Social (Tese de Doutorado). Porto Alegre, 2005.
  • KERN, Arno; SANTOS, Maria Cristina dos;GOLIN, Tau. Povos índígenas. Passo Fundo:Méritos, 2009.
  • LADEIRA, Maria Inês; MATTA, Priscila.Terras Guarani no litoral. São Paulo: CTI, 2004.
  • LANGER, Protásio Paulo. Os Guaranimissioneiros e o colonialismo luso no Brasil Meridional: projetos civilizatórios e faces da identidade étnica (1750-1798). Porto Alegre: Martins Livreiro, 2005.
  • SEEGER, Anthony. Os índios e nós. Rio de Janeiro: Campus, 1980.
  • TOMMASINO, Kimiye; MOTA, Lúcio Tadeu; NOELLI, Francisco S. (orgs.). Novas contribuições aos estudos interdisciplinares dos Kaingang. Londrina: Eduel, 2004.

Bibliografia Complementar:

  • ANTONIO, Iraci Greja. Hoje e antigamente. In: TORAL, André Amaral de. Ẽg Jamẽn Kỹ Mũ (Textos Kanhgág). Brasília: APBKG/Dka Áutria/MEC/PNUD, 1997
  • BROCHADO, José Proenza. O Guarani: o conquistador vencido. In: RAMIREZ, Hugo. O índio no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Governo do Estado do Rio Grande do Sul,1975.
  • LANGER, Protásio Paulo. A Aldeia de Nossa Senhora dos Anjos: a resistência do Guarani Missioneiro ao processo de dominação do sistema colonial luso. Porto Alegre: Edições EST, 1997.
  • NIMUENDAJÚ, Curt. As lendas da criação e destruição do mundo como fundamentos da religião dos Apapocúva-Guarani. São Paulo: Hucitec; Edusp, 1987.
  • OLIVEIRA, João Pacheco de. Ensaios em Antropologia Histórica. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1999.
  • OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O índio e o mundo do branco. Rio de Janeiro: Livraria Pioneira, 1972.
  • ROSA, Rogério Reus Gonçalves da. Lenda e mito do Cacique Nonohay guerra e vingança Kaingangue no fio do tempo. In: KERN, Arno; SANTOS, Maria Cristina dos; GOLIN, Tau. Povos Indígenas. Passo Fundo: Méritos, 2009.
  • SANTOS, Silvio Coelho dos. Índios e brancos no Sul do Brasil. Porto Alegre: Movimento, 1987

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
T1 2018 / 2 66 52 Antropologia (Bacharelado)
Ciências Sociais (Bacharelado - Noturno)
Ciências Sociais (Licenciatura - Noturno)
Horários
ManhãTardeNoite
QUI18:50 - 19:40
19:40 - 20:30
20:30 - 21:20
21:20 - 22:10
LORI ALTMANN
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
ETNOLOGIA AMERÍNDIA I Antropologia - Hab. em Antropologia Social (Bacharelado)
ETNOLOGIA AMERÍNDIA I Antropologia - Hab. em Arqueologia (Bacharelado)

Página gerada em 19/12/2018 00:18:56 (consulta levou 0.110848s)