Nome da Atividade
TEORIA E HIST. DA ARQUIT. URBAN. E PAISAG. 4
CÓDIGO
0120143
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Teoria e história da arquitetura, do paisagismo, da cidade e do pré-urbanismo na Europa e na América do Norte, de 1789 a 1914, e na América do Sul, no Brasil e no Rio Grande do Sul no século XIX, a partir de 1808 a 1930. O neo-classicismo e o ecletismo. A arquitetura vernácula dos imigrantes europeus, africanos e seus descendentes. Presença da arquitetura dos imigrantes no sul do Brasil.

Objetivos

Objetivo Geral:

Conteúdo Programático

Unidade 1 – Teoria e história da arquitetura, do paisagismo, da cidade e do pré-urbanismo na Europa e na América do Norte, de 1789 a 1914.
Unidade 2 – Teoria e história da arquitetura, do paisagismo, da cidade e do pré-urbanismo no Brasil, de 1808 a 1930.
Unidade 3 – Teoria e história da arquitetura, do paisagismo, da cidade e do pré-urbanismo na América Hispânica e no Rio Grande do Sul.
Unidade 4 – A arquitetura vernácula dos imigrantes europeus, africanos e seus descendentes no Rio Grande do Sul.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ARGAN, Giulio Carlo. Tipologia. In: Enciclopedia universale dell’art. Firenze: Sanzoni, 1966, V. XIV. p. 1-16.
  • _________. e FAGIOLO, Maurizio. Guia da história da arte. Lisboa: Estampa, 1992.
  • _________. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1992a.
  • ________. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1992b.
  • BENEVOLO, Leonardo. História da arquitetura moderna. São Paulo: Perspectiva, 1976.
  • ________. A cidade e o arquiteto: método e história na arquitetura. São Paulo. Perspectiva, 1991.
  • CHOAY, Françoise. A regra e o modelo. Sobre a teoria da arquitetura e do urbanismo. São Paulo: Perspectiva, 1985.
  • ____________. O urbanismo. 4 ed. São Paulo: Perspectiva, 1997.
  • KOCH, Wilfried. Estilos de Arquitectura II. Lisboa: Presença, 1985.
  • __________. Dicionário dos estilos arquitetônicos. São Paulo: Martins Fontes, 1994.
  • MÜLLER, Wermer y VOGEL, Gunter. Atlas de arquitetura 1. Generalidades. De Mesopotâmia a Bizâncio. 2. ed. Madrid: Aliança, 1989.
  • MÜLLER, Werner e VOGEL, Gunther. Atlas da arquitectura 2. Del románico a la actualidad. Madri: Aliança, 1985.
  • PATETA, Luciano. Considerações sobre o ecletismo na Europa. In: FABRIS, Anateresa (Org.) Ecletismo na arquitetura brasileira. São Paulo: Nobre, 1987. p. 08-27.
  • SEGRE, Roberto. Historia de la arquitectura y del urbanismo. Paises desarollados. Siglos XIX y XX. Madrid: Instituto de Estudios de Administracion Local, 1985.
  • SITTE, Camilo. A construção das cidades segundo seus princípios artísticos. São Paulo: Ática, 1992.
  • TZONIS, Alexander e LEFAIVRE, Liane. El clasicismo en arquitectura. La poética del orden. Madri: Blume, 1984.
  • WIEBENSON, Dora. Los tratados de arquitectura. De Alberti a Ledoux, Madrid: Blume, 1988.
  • AZEVEDO, Esterzilda Berenstein. Arquitetura do açúcar. São Paulo: Nobel, 1990.
  • BELLUZO, Ana Maria. O Brasil dos viajantes. Imaginário do novo mundo. São Paulo, Oldebrech, 1994, v. 3.
  • ___________. A propósito d’ o Brasil dos viajantes. Revista da USP. São Paulo, nº 30, jun./jul./ago. 1996.
  • BENINCASA, Vladimir. Velhas fazendas: arquitetura e cotidiano nos campos de Araraquara. São Carlos: EdUFSCar, 2003.
  • CORONA, Eduardo & LEMOS, Carlos A. C. Dicionário da arquitetura brasileira. São Paulo: Edart, 1972.
  • DELSON, Roberta Marx. Novas vilas para o Brasil-Colônia. Planejamento espacial e social no século XVIII. Brasília: ALVA-CIORD, 1997.
  • FABRIS, Annateresa (org.). Ecletismo na arquitetura brasileira. São Paulo: Nobel, 1987.
  • GOMES, Geraldo. Arquitetura do ferro no Brasil. São Paulo: Nobel, 1987.
  • _________. Engenho e arquitetura. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2006.
  • HOMEM, Cecília. O palacete paulistano. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
  • KÜHL, Beatriz Mugayar. Arquitetura do ferro e arquitetura ferroviária em São Paulo. Reflexões sobre a sua preservação. Saõ Paulo: Atelier Editorial, 1998.
  • LEMOS, Carlos A. C. Arquitetura brasileira. São Paulo: Melhoramentos, 1979.
  • _________. Cozinhas, etc. 2a ed. São Paulo: Perspectiva, 1978.
  • _________. História da casa brasileira. São Paulo: Contexto, 1989.
  • _________. Alvenaria burguesa. São Paulo: Nobel, 1985.
  • _________. Ramos de Azevedo e seu escritório. São Paulo: Pini, 1993.
  • MEC-IPHAN/FAUUSP. Arquitetura oficial I. São Paulo, MEC-IPHAN, 1975.
  • __________. Arquitetura oficial II. São Paulo, MEC-IPHAN, 1978.
  • MASCARELLO, Sonia Nara P. R. Arquitetura Brasileira. Elementos, materiais e técnicas construtivas. 2. ed. São Leopoldo: Ed.UNISINOS, 1985.
  • NEEDELL, Jeffrey. Belle époque tropical. Sociedade e cultura de elite no Rio de Janeiro na virada do século. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
  • SEGAWA, Hugo. Ao amor do público. Jardins do Brasil. São Paulo: Studio Nobel, 1996.
  • SOUZA, Alberto. Arquitetura neoclássica brasileira: um reexame. São Paulo: Pini, 1984.
  • __________. O ensino da arquitetura no Brasil imperial. João Pessoa: Ed. UFPb, 2003.
  • TAUNAY, Afonso de Escragnolle. A missão artística de 1816. Brasília: Ed. UnB, 1983.
  • VALLADARES, Clarival do Prado. Rio neoclássico. Rio de Janeiro: Bloch, 1978.
  • VASCONCELLOS, Sylvio. Vila Rica. Formação e desenvolvimento - residências. São Paulo: Perspectiva, 1977.
  • _________. Arquitetura: dois estudos. Goiania: Ed.MEC, 1983.
  • ARRIADA, Eduardo. Pelotas gênese e desenvolvimento urbano. Pelotas, Armazém Literário, 1994.
  • ALENCASTRE, Luiz Felipe. Produção e uso dos espaços centrais à beira-rio em Porto Alegre (1809-1860). Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1994.
  • BERTUSSI, Paulo Iroquez e outros. Arquitetura no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1983.
  • CHEVALLIER, Ceres. Jose Isella: arquitetura em Pelotas na segunda metade do século XIX. Pelotas: Mundial, 2003.
  • CRUZ, Glenda Pereira da. A arquitetura açoriana no RS. In: Vera Lúcia Maciel. Presença açoriana em Santo Antônio da Patrulha e no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EST, 1994.
  • _________. Antecedentes da organização do espaço colonial da América Ibérica. Tese (Doutorado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1995.
  • GUTIERREZ, Ester J. B. Negros, charqueadas & olarias. Um estudo sobre o espaço pelotense. Pelotas, Ed.UFPel, 1993.
  • ___________. (coord.). Pelotas século XIX. Pelotas, Ed. UFPel, 1994.
  • ___________. Barro e o sangue: mão-de-obra, arquitetura e urbanismo em Pelotas (1777-1888). Tese (Doutorado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1999.
  • ___________. Sítio Charqueador Pelotense. BOEIRA, Nelson (coord.) Império. Passo Fundo: Méritos, 2006, p. 231-256 (Coleção História Geral do Rio Grande do Sul v. 2).
  • ___________. Escravidão em charqueadas e estâncias. In: Revista História: Debates e Tendências. Programa de Pós-Grasuação em História da Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, jun. 2009. pp. 11-35.
  • ___________. A arquitetura pelotense: charqueada e cidade. In: MAESTRI, Mário e ORTIZ, Helen. Grilhão negro. Ensaios sobre a escravidão colonial no Brasil. Passo Fundo: Ed. UPF, 2009. pp. 201-231.
  • ___________; MOLET, Claudia G. M; LUCKOW, Daniele B. e NEUTZLING, Simone R. Estâncias fortificadas. In: MAESTRI, Mário e BRAZIL, Maria do Carmo. Peões, vaqueiros & cativos campeiros: estudos sobre a economia pastoril no Brasil. Passo Fundo: Ed. UPF, 2009. pp. 168-219.
  • ___________. Sítio Charqueador Pelotense. Porto Alegre: Paisagens do Sul, 2010.
  • ___________ e GUTIERREZ, Rogério. Arquitetura e assentamento ítalo-gaúcho (1875-1914). Passo Fundo: Ed. UPF, 2000.
  • LEÓN, Zênia. Casarões. Contam sua história. Pelotas: Hofstätter, 1994, 4v.
  • MACEDO, Riopardense Francisco de. "A arquitetura". In: Rio Grande do Sul: Terra e Povo. Porto Alegre: Globo, 1963. p.109-128.
  • _________. Rio Pardo: a arquitetura fala da história. Porto Alegre: Sulina, 1972.
  • _________. Porto Alegre. História e vida da cidade: Ed. UFRGS, 1973.
  • _________. Porto Alegre, origem e crescimento. Porto Alegre: Sulina, 1978.
  • _________. O solar do Almirante; história pela arquitetura. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1980.
  • _________. Uma visão do Porto Alegre. In: XAVIER, Paulo. (org.). August Saint-Hilaire. Porto Alegre: Sulina, 1982. p. 57-68.
  • MOURA, Rosa Maria Rolim e SCHELEE, Andrey Rosenthal. 100 imagens da arquitetura pelotense. Pelotas: Pallotti, 1998.
  • PINTO, Lurdes Noronha. Antigas fazendas do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Grafic-Offset, 1989.
  • POSENATO, Júlio. Arquitetura da imigração italiana no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EDUSC, 1983.
  • RHODEN, Luís Fernando. Urbanismo no Rio Grande do Sul: origem e evolução do Sul. Porto Alegre: EDIPUCRS. 1999.
  • RHODEN, Luís Fernando. Os traçados urbanos. In: BOEIRA, Nelson (coord.) Colônia. Passo Fundo: Méritos, 2006, p. 255-272 (Coleção História Geral do Rio Grande do Sul, v. 1).
  • SILVA, Nery Luiz Auler da Silva. Arquitetura rural do Planalto Médio século XIX: antigas fazendas. Porto Alegre: Imprensa Livre, 2004.
  • WEIMER, Günter. A arquitetura da imigração alemã: um estudo sobre a adaptação da arquitetura centro-européia no meio rural do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1983.
  • _________. Estruturas sociais gaúchas e arquitetura. In: IROQUEZ, Paulo Bertussi e outros. A arquitetura no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1983. pp. 155-190.
  • _________. A fase historicista da arquitetura no Rio Grande do Sul. In: FABRIS, Anateresa (Org.). Ecletismo na arquitetura brasileira. São Paulo: Nobre, 1987. pp. 256-279.
  • _________. Arquitetura erudita da imigração alemã no Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Estruturas Ambientais Urbanas) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo, 1989.
  • _________. A arquitetura. Porto Alegre: Ed.UFRGS, 1992.
  • _________. (org.) Urbanismo no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1992.
  • _________. Origem e evolução das cidades rio-grandenses. Porto Alegre: Livraria do Arquiteto, 2004.
  • _________. Arquitetura popular brasileira. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
  • _________. A arquitetura. In: BOEIRA, Nelson (coord.) Império. Passo Fundo: Méritos, 2006, p. 373-400 (Coleção História Geral do Rio Grande do Sul, v. 2).
  • _________; Gasparoto, P. R.; ACHUTTI, L. E. Palácio Piratini. Porto Alegre: Nova Prova, 2007.
  • _________.Arquitetos e construtores rio-grandenses na Colônia e no Império. Santa Maria: Ed. UFSM, 2006.
  • _________. Theo Wiederspahn: arquiteto. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.

Bibliografia Complementar:

  • COLLINS, Peter. Los ideales de la arquitectura moderna; su evolucion (1750-1950). 3 ed. Barcelona: Gustavo Gili, 1977.
  • FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 10ª ed. Rio de Janeiro: Graal, 1992.
  • FRAMPTON, Kenneth. História crítica de la arquitectura moderna. Barcelona: Gustavo Gili. 1987.
  • FRANÇA, José Augusto. A arte em Portugal no século XIX. Lisboa: Bertrand, v. 1, 1990.
  • KOSTOF, Spiro. História de la arquitectura. Madrid: Alianza, 3v, 1988.
  • MIZOGUCHI, Ivan e MACHADO, Nara Helena N. (coord). Palladio e o neoclasicismo. Porto Alegre: Ed. PUCRS, 2006.
  • MUNFORD, Lewis. A cidade na história. Suas origens, transformações e perspectivas. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1982.
  • PEVSNER, Nikolaus. Estudios sobre arte, arquitectura y diseño. Barcelona: Gustavo Gili, 1968.
  • _________. Panorama da arquitetura ocidental. São Paulo: Marins Fontes, 1982.
  • PRAZ, Mario. Gusto neoclássico. Barcelona: Gustavo Gili, 1982.
  • RYBCZYNSK, Witold. A casa: pequena história de uma idéia. Rio de Janeiro: Record, 1996.
  • WAISMAN, Marina. La estructura histórica del entorno. Buenos Aires: Nueva Visión, 1972.
  • WITTKOWER, Rudolf. Sobre la arquitectura en la edad del humanismo. Ensayos y Escritos. Barcelona: Gustavo Gili, 1979.
  • ACIOLI, Vera Lúcia Costa. A identidade da beleza. Dicionário de artistas e artífices do século XVI ao XIX em Pernambuco. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2008.
  • AMARAL, Aracy A. A hispanidade em São Paulo. São Paulo: Nobel, 1981.
  • BICCA, Briane E. P. e BICCA, Paulo R. S. Arquitetura na formação do Brasil. Brasília: UNESCO, 2006.
  • BRESCIANI, Stella. (Org.). Imagens da cidade. Séculos XIX e XX. São Paulo: Marco Zero, 1993.
  • BRUAND, Yves. Arquitetura contemporânea no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1981.
  • CAMARA, Marcos Paraguassu de Arruda. Cidades e vilas da escravidão: espaço dos excluídos. Tese (Doutorado em Estruturas Ambientais Urbanas). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo, 1995.
  • CARVALHO, Benjamim. Duas arquiteturas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1961.
  • CARVALHO, Anna Maria Fausto Monteiro de (org.). A forma e a imagem. Arte e arquitetura jesuítica no Rio de Janeiro colonial. Rio de Janeiro: Ed. PUC/RJ, s.d.
  • COSTA, Cacilda Teixeira. O sonho e a técnica. A arquitetura de Ferro no Brasil. São Paulo: EDUSP, 1994.
  • CRUZ, Cícero Ferraz. Fazendas do sul de Minas: arquitetura rural nos séculos XVIII e XIX. Brasília: IPHAN, 2010.
  • CZAJKOWSKY, Jorge. A arquitetura racionalista e a tradição brasileira. Revista Gávea. Revista de História da Arte e Arquitetura, Rio de Janeiro, Departamento de História, PUC/RJ, nº 10, mar. 1993. P. 23-35.
  • FARIA, Sheila Siqueira de Castro. Fontes textuais e vida material: observações preliminares sobre casas de moradia no Campos dos Goitacases, séculos XVIII e XIX. Anais do Museu Paulista (Nova Série), São Paulo, Ed. USP, 1993. p. 95-106.
  • FREIRE, Gilberto. Sobrados e mucambos. Decadência do patriarcado rural e desenvolvimento urbano. 9a ed. Rio de Janeiro, Record, 1996.
  • _________. Casa grande e senzala. Formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 31a ed. Rio de Janeiro, Record, 1996.
  • GAMA, Ruy. História da técnica e da tecnologia. São Paulo: Ed. USP, 1985.
  • MARX, Murilo. Cidade brasileira. São Paulo: Melhoramentos, 1980.
  • _________. Nosso chão: do sagrado ao profano. São Paulo: Ed.USP, 1989.
  • _________. Cidade no Brasil terra de quem? São Paulo: Nobel, 1991.
  • MENDES, Francisco R.; VERÍSSIMO, Francisco e BITTAR, William. Arquitetura no Brasil: de Cabral a Dom João VI. Rio de Janeiro: Imperial Novo Milênio, 2009.
  • ORTIZ, Maria Cristina Marques e HUE, Renata Stadler de Almeida. Minaçu e Recife: história de habitações e seus habitantes. São Paulo: Projeto, 1987.
  • PEREIRA, Margareth. A historiografia da arte no Brasil: notas para uma revisão. In: Pesquisa em Artes Plásticas. Porto Alegre, Ed. UFRGS, Associação Nacional de Pesquisadores em Arte Plásticas, 1993. p. 21-27.
  • PEIXOTO, Gustavo Rocha. Reflexo das luzes na terra do sol. Sobre a teoria da Arquitetura no Brasil da Independência. São Paulo: ProEditores, 2000.
  • REIS FILHO, Nestor Goulart. Contribuição ao estudo da evolução urbana no Brasil. 1500-1720. São Paulo: Pioneira, 1968.
  • _________. Quadro da arquitetura no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1970.
  • SAIA, Luís. Morada Paulista. 3a ed. São Paulo: Perspectiva, 1995.
  • SALMONI, Anita e DEBENEDETTI, Emma. Arquitetura italiana em São Paulo. São Paulo: Perspectiva, 1881.
  • SANTOS, Paulo. Formação de cidades no Brasil colonial. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2008.
  • SCHLEE, Andrey R. (coord.) Trajetória e estado da arte da formação em Arquitetura e Urbanismo. Brasília: INEP/ConFEA, 2010.
  • SMITH, Roberto. Arquitetura colonial baiana. Salvador: Museu do Estado, 1951.
  • TOLEDO, Benedito Lima. São Paulo: três cidades em um século. 2a ed., São Paulo: Duas Cidades, 1983.
  • TRUZZI, Oswaldo M. S.; NUNES, Paulo R; e TILKIAN, Ricardo. Café, indústria e conhecimento. São Carlos: uma história de 150 anos. São Carlos: EdUFSCar, 2008.
  • VARGAS, Milton. (Org.) História da técnica e da tecnologia no Brasil. São Paulo: Ed. UNESP, 1994.
  • VAZ, Lilian Fesseler. Uma história da habitação coletiva na cidade do Rio de Janeiro. Estudo da modernidade através da moradia. Tese (Doutorado em Estruturas Ambientais Urbanas). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo, 1995.
  • VAZ Maria Diva Araújo Coelho e ZÁRATE, Maria Heloísa Veloso e. A casa goiana: documentação arquitetônica. Goiânia: Ed. UCG, 2003.
  • ZANINI, Walter. História geral da arte no Brasil. São Paulo, Moreira Sales, 1983.
  • GUTIERREZ, Ramon. Arquitectura y urbanismo en Iberoamerica. 5 ed. Madrid: Catedra, 2005.
  • _________. Arquitectura Latino-Americana. São Paulo: Nobel, 1989.
  • MAESTRI, Mário. O sobrado e o cativo. Passo Fundo: Ed. UPF, 2001.
  • NASCIMENTO, Heloisa Assumpção. Edificação neo-renascentista em Pelotas no século XIX. A Santa Casa de Misericórdia. (Tese de Livre Docente). Instituto de Letras e Artes, Universidade Federal de Pelotas, 1976.
  • SANTOS, Carlos Alberto Ávila. Espelhos, máscaras, vitrines. Estudo Iconológico de fachadas arquitetônicas. Pelotas, 1870-1930. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais). Artes Visuais. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1997.
  • WAISMAN, Marina. (coord.). Documentos para una historia de la arquitectura argentina. Buenos Aires, Summa, 1988.
  • YUNES, Gilberto Sarkis. Cidades reticuladas. A persistência do modelo na formação urbana do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Estruturas Ambientais Urbanas) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo, 1995.
  • AVE-LALLEMANT, Robert. Viagem pela província do Rio Grande do Sul. (1858). Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.
  • AZARA, Felix de. Memória rural do Rio da Prata. (1847) In: FREITAS, Décio. O capitalismo pastoril. Porto Alegre: Escola Superior de Teologia de São Lourenço de Brindes, 1980.
  • AZEREDO, Francisco de Paula. Em trânsito pelo Rio Grande do Sul em 1816. (Notas de Viagem). In: Província de São Pedro. Porto Alegre: Globo, Nº 21, 1957.
  • BETTAMIO, Sebastião Francisco. Notícia particular do Continente do Rio Grande do Sul. In: FREITAS, Décio.
  • Capitalismo pastoril. Porto Alegre: Escola Superior de Teologia de Brindes, 1980. p. 138-196.
  • CHAVES, Antônio José Gonçalves. Memórias economo - políticas sobre a administração pública no Brasil. (1821). 2. ed. Porto Alegre: União de Seguros Gerais, 1967.
  • COUTY, Louis. A erva mate e o charque. 2. ed. Pelotas: Seiva, 2000.
  • EU, Luís Felipe Maria Fernando Gastão de Orléans, conde d’. Viagem militar ao Rio Grande do Sul. Belo Horizonte: Itatiaia, 1981.
  • ISABELLE, Arsène. Emigração e colonização. (1845) Rio de Janeiro: INL, 1950.
  • _________. Viagem ao Rio Grande do Sul: 1833-1834. 2a ed., Porto Alegre: Martins Livreiro, 1983.
  • SEIDLER, Carl. Dez anos de Brasil. (1835) 3ª ed. São Paulo: Martins, 1976.
  • SMITH, Herbet H. Do Rio de Janeiro à Cuiabá. Notas de um naturalista. São Paulo: Melhoramentos de São Paulo, 1922.
  • VAUTHIER, L. L. Casas de residência no Brasil. Revista do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, São Paulo, v. 1 – Arquitetura Civil I. p. 1-94, 1975.

Página gerada em 20/01/2021 14:18:33 (consulta levou 0.172678s)