Nome da Atividade
FILOSOFIA, ARTE E EDUCAÇÃO
CÓDIGO
1448057
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Abordagem das relações entre filosofia, arte e educação. Análise de textos filosóficos, de artistas, de críticos, e de profissionais da educação. Debate sobre as relações do pensamento filosófico, processo criativo e educativo dentro de um contexto histórico-cultural, do século XVIII ao século XXI.

Objetivos

Objetivo Geral:

.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ALARCÃO, I. Escola Reflexiva, Nova Racionalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001.
  • ALARCÃO, I. Professores Reflexivos em uma Escola Reflexiva. São Paulo: Cortez, 2008.
  • CAMBI, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: Editora UNESP, 1999.
  • FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia – saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
  • GADOTTI, Moacir. História das Idéias Pedagógicas. São Paulo: Ática, 2005.
  • LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana: danças, piruetas e mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
  • MORIN, E. Sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Editora Cortez, 2001.
  • ROUSSEAU, J-J. Emílio ou Da Educação. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
  • TOZZI, Michel. L’eveil de la pensée réflexive à l’école primaire. Paris: Hachette Education/CNDP, 2001

Bibliografia Complementar:

  • BRZEZINSKI, Iria. Fundamentos Sociológicos, Funções Sociais e Políticas da Escola Reflexiva e Emancipadora: algumas aproximações, IN: ALARCÃO, I. Escola Reflexiva, Nova Racionalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001, p.65-82.
  • COSTA, M.V. A Escola tem Futuro? Rio de Janeiro: DP&A, 2006.
  • ARIÈS, Philippe. História Social da Criança e da Família, 2 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.
  • CALVINO, Ítalo. Seis Propostas para o Próximo Milênio: lições americanas. São Paulo: Cia. das Letras, 1990.
  • CHEVALLARD, Y. La transposición didáctica: Del saber sábio al saber enseñado. Buenos Aires: Aique, 2009.
  • COLL, C.; EDWARDS, D. Ensino, aprendizagem e discurso em sala de aula. SP: Ed. Artmed, 1998.
  • DEWEY, J. Como Pensamos. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.
  • DEWEY, J Vida e Educação. São Paulo: Melhoramentos, 1978.
  • DUARTE JR. João Francisco. Fundamentos Estéticos da Educação. Campinas, SP: Papirus, 1988.
  • DUARTE JR. João Francisco. O Sentido dos Sentidos – a educação (do) sensível. Curitiba: Criar Edições, 2006.
  • DUBET, F.; MARTUCCELLI, D. En la Escuela: Sociología de la experiencia escolar. Buenos Aires: Losada, 1998.
  • DUSSEL, I.; CARUSO, M. La invención del aula: una genealogia de las formas de ensinar. Buenos Aires: Santillana, 2006
  • FAZENDA, Ivani (org.) Didática e Interdisciplinaridade. Campinas (SP): Papirus, 1998
  • FAZENDA, Ivani (org.). Dicionário em Construção: Interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2002.
  • FAZENDA, Ivani. Interdisciplinaridade: qual o sentido? São Paulo: Paulus, 2003.
  • FREIRE, Paulo. A Importância do Ato de Ler. 41 ed. São Paulo: Cortez, 2001.
  • FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 39 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.
  • FREIRE, P.; FAUNDEZ, A. Por uma Pedagogia da Pergunta. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.
  • GALEFFI, Dante Augusto. O DIÁLOGO NA FORMAÇÃO TRANSDISCIPLINAR DO EDUCADOR-FILÓSOFO, in: Revista childhood & philosophy, v. 4, n. 7, jan./jun.2008, p. 1-8.
  • GASPARIN, João Luiz. Comênio ou da Arte de Ensinar tudo a todos. Campinas, SP: Papirus, 1994.
  • GASPARIN, João Luiz. Comênio, a emergência da modernidade na educação. Petrópolis: Vozes, 1997.
  • HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura visual, Mudança Educativa e projeto de trabalho. São Paulo: Ed. Artmed, 2000.
  • HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e Mudança na Educação. SP: Ed: Artmed, 1988.
  • HERNÁNDEZ, Fernando. Catadores da Cultura Visual. Porto Alegre: Editora Mediação, 2007.
  • JIMENEZ, Marc. Qu’est-ce que l’esthétique? Paris: Éditions Gallimard, 1997.
  • KENNEDY, David. Notas sobre a Filosofia da Infância e a Política da Subjetividade, IN: KOHAN, W. & KENNEDY, D. (orgs.) Filosofia e Infância:Possibilidades de um Encontro. Petrópolis: Vozes, 2000, p.75-87.
  • KENNEDY, David. As Raízes do Estudo da Infância: história social, arte e religião, IN: KOHAN, W. & KENNEDY, D. (orgs.) Filosofia e Infância:Possibilidades de um Encontro. Petrópolis: Vozes, 2000, p. 129-159.
  • KENNEDY, David. Reconstruindo a Infância; IN: Caderno Linhas Criticas 5&6, Brasília: UnB, 1998, p.83-104.
  • KOHAN, Walter Omar. Infância: entre educação e filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2005a.
  • KOHAN, Walter Omar. Filosofia: o paradoxo de aprender e ensinar. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
  • LEAL, B. Leituras da infância na poesia de Manoel de Barros, in: KOHAN, W. (org.) Lugares da Infância: filosofia. Rio de Janeiro: DP&A, 2004, p.19-30.
  • OLIVEIRA, M. & HERNÁNDEZ, F. (orgs.) A Formação do Professor e o Ensino das Artes Visuais. Santa Maria: Editora da UFSM, 2005.
  • MANACORDA, Mário Alighiero. História da Educação – da Antiguidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez, 1999.
  • MATOS, O. Filosofia a Polifonia da Razão – filosofia e educação. São Paulo: Scipione, 1997.
  • MEIRA, Marly. Filosofia da criação: reflexões sobre o sentido do sensível. Porto Alegre: Mediação, 2003.
  • MELLO. Guiomar Namo de. Referenciais Curriculares da Educação Básica para o Século 21, IN: Referenciais Curriculares do Estado do Rio Grande do Sul: linguagens, códigos e suas tecnologias/Secretaria do Estado da Educação. Porto Alegre: SE/DP 2009. v.2., p11-24.
  • MERLEAU-PONTY, M. La Duda de Cézanne; IN: Sentido y Sinsentido, Barcelona: Ediciones Península, 1977.
  • MERLEAU-PONTY, M. Lé Visible et L’Invisible. Paris: Gallimard, 1964. O Visível e o Invisível. São Paulo: Perspectiva, 1984.
  • MERLEAU-PONTY, M. O Homem e a Comunicação – a prosa do mundo. (trad. Celina Luz) Rio de Janeiro: Edições Bloch, 1974.
  • MERLEAU-PONTY M. L’Oeil et L’Esprit. Paris: Gallimard, 1990d. O Olho e o Espírito; IN: Textos Selecionados, coleção Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1989a
  • MERLEAU-PONTY, M. A Linguagem Indireta e as Vozes do Silêncio, IN: Signos. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
  • MERLEAU-PONTY, M. A Natureza da Percepção (1934), IN: O Primado da percepção e suas conseqüências filosóficas. São Paulo: Papirus, 1990a.
  • NARODOWSKI, Mariano. Comenius e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.
  • NARODOWSKI, Mariano. Infancia y poder: la conformaçion de la pedagogia moderna. Buenos Aires: Ed. Aique, 1994.
  • PERRENOUD, Philippe. A Prática Reflexiva no Ofício de Professor. SP: Ed. Artmed. 2002.
  • PORTÁN, R.; MARTIN, J. El diario del profesor. Un recurso para la investigación en el aula. Sevilla: Diada, 1991.
  • RANCIÈRE, Jacques. O Mestre Ignorante. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.
  • SCHÉRER, R. Charles Fourier e a Infância para além das crianças. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
  • TAVARES, José; ALARCÃO, I. Paradigmas de Formação e Investigação no Ensino superior par ao Terceiro Milênio, In: ALARCÃO, I. Escola Reflexiva, Nova Racionalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001, p.97-114.

Página gerada em 30/10/2020 01:32:26 (consulta levou 0.188900s)