Nome da Atividade
PAISAGENS COTIDIANAS E DISPOSITIVOS DE COMPARTILHAMENTOS
CÓDIGO
1448068
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
1
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
3
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Estudo prático e teórico de produções que são motivadas ou apresentam a paisagem cotidiana e as concepções contemporâneas deste gênero na arte. Análise de produções que utilizam dispositivos móveis e espaços de apresentação não convencionais [impressos em suportes em formatos distintos], bem como, que possibilitam multiplicar e inserir a obra em outros contextos – ruas, escolas, praças, etc.. Realização de trabalhos impressos sobre a paisagem a partir da observação do entorno por meio de deslocamentos na cidade.

Objetivos

Objetivo Geral:

.

Conteúdo Programático

Unidade 1 - Pesquisa em poéticas visuais
1.1. Processo de criação e Metodologia da Pesquisa em Poéticas Visuais na Universidade por Jean Lancri, Sandra Rey, Icléia Catanni;

Unidade 2. A paisagem e suas apresentações.
2.1. As concepções de paisagem segundo Anne Cauquelin, Valeria Salgueiro, Michel de Certeau.
2.2. A paisagem em espaços de apresentação da arte contemporânea: The Monument a Passaic de Robert Smithson; a produção de Gabriel Orozco, de Ana Mendieta, Eduard Ruscha, de Hélio Fervenza, Coletivo Poro, Lotes Vagos – Louise Ganz, Vitor Ramil, entre outros.

Unidade 3. A percepção da paisagem. (prática e teórica)
3.1. O andar como prática estética segundo Francesco Careri;
3.2. Método da Cartografia segundo Gilles Deleuze, Felix Guatarri, Suely Rolnik e Virginia Kastrup;
3.3. Cartografias artísticas [Richard Smithson, Jorge Macchi, Joaquim Torres Garcia, artistas Situacionistas, entre outros];
3.4. Observar a paisagem.

Unidade 4. Dispositivos de compartilhamentos na arte. (prática e teórica)
4.1. A Partilha do sensível segundo Jacques Ranciere; The An Artist segundo Allan Kaprow.
4.2. Textos e outras narratividades em impressos múltiplos [George Brecht, Paulo Bruscky, Hélio Fervenza, Maria Ivone dos Santos – Projeto Perididos no Espaço, Maria Helena Bernardes, Raquel Stolf entre outros];
4.3. Realização de um impresso múltiplo a partir de observação da paisagem e de questões da pesquisa.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • CARERI, Francesco. Walkscapes. El andar como práctica estética. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2005.
  • CAUQUELIN, Anne . A invenção da paisagem São Paulo: Martins Fontes, 2004.
  • COSTA, Luiz Cláudio Dispositivos de registros na arte contemporânea. Rio de Janeiro: FAPERJ, 2009.
  • DAVILA, Thierry Marcher, Créer Paris: Gallimard, 1999.
  • DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix Mil platôs Vol. 3, São Paulo: Ed.34, 1996.
  • DEBORD, Guy, WOLMAN, Gil J. Mètodos de Detournement.
  • DOLFUSS, Olivier O espaço geográfico São Paulo: Difel, 1982.
  • GONÇALVES, Eduarda; MONSELL, Alice. Uma mesa com vista para o canal Santa Bárbara: aproximações entre a disposição doméstica e a proposição para o compartilhamento da cartogravista. In: 18º ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM ARTES. ANPAP.
  • HENDRICKS,John (ed.). O que é fluxus? O que não é! O porquê Brasília/Rio de Janeiro. Centro Cultural Banco do Brasil, 2002.
  • JACQUES, Paola Berenstein Internacional Situacionista Apologia da Deriva. Escritos situacionistas sobre a cidade. São Paulo: Casa da Palavra, 2003.
  • KAPROW, Allan Performing life
  • KASTRUP, Virginia Pistas do método da cartografia Porto Alegre: Sulina, 2009.
  • ROLNIK, Suely Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina; Editora da UFRGS, 2006.
  • SANTOS, Douglas . A reinvenção do espaço: Diálogos em torno da construção do significado de uma categoria São Paulo: Ed. UNESP, 2002.

Página gerada em 27/01/2021 05:07:01 (consulta levou 0.183360s)