Nome da Atividade
MANIFESTAÇÕES CULTURAIS AFROAMERICANAS
CÓDIGO
1678109
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
3
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
1
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Pretende-se estudar, por meio de recortes sincrônicos e diacrônicos, os fluxos e trocas culturais constitutivos de manifestações expressivas dos diversos segmentos afro-descendentes, com enfoque para as Américas. Estes fluxos e trocas, impulsionados por massivos deslocamentos populacionais ao longo da história (compulsórios ou não), ensejaram a criação de culturas da diáspora em que o estético e o político comumente apresentam-se indissociáveis. Além disso, a intensa circulação e fusão de idéias, valores ético-estéticos, matrizes performáticas e frentes discursivas encontra-se em constante tensão com elaborações culturais de tendência essencializadora, relacionadas a demandas por reconhecimento formal seja por políticas de Estado que primem pela igualdade de condições, seja de formas singulares de ser e estar no mundo. Este componente curricular pretende sensibilizar para a diversidade de lógicas de ação, visões de mundo e categorias ético-políticas elaboradas e manifestas pelos coletivos afro-descendentes, bem como para os imperativos situacionais que tornam possíveis a sua transmissão, reprodução e/ou transformação em diferentes contextos e níveis de interação.

Objetivos

Objetivo Geral:

- Proporcionar um espaço de reflexão sobre a constituição das manifestações expressivas e pensamentos políticos relacionados às diásporas negras, com a finalidade de subsidiar projetos de pesquisas.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • HERSKOVITS, Melville. The significance of africanisms / The acculturative process. In: The Myth of the Negro Past. Boston: Beacon Press Boston, 2005.
  • MINTZ, Sidney; PRICE, Richard. O nascimento da cultura afro-americana: uma perspectiva antropológica. Rio de Janeiro: Pallas; Universidade Candido Mendes, 2003.
  • TROUILLOT, Michel-Roph. Culture on the edges: creolization in the plantation contexto. In: The African Diaspora & Creolization. Florida, 2006. p. 9-21.
  • SCOTT, David. Aquele evento, esta memória: notas sobre a Antropologia das diásporas africanas no novo mundo. Ilha, v. 19, n. 2, pp. 277-312. Florianópolis, 2017.
  • PRICE, Richard. O milagre da crioulização: retrospectiva. Estudos Afro-Asiáticos, v. 25, n. 3, 2003.
  • BASTIDE, Roger. As religiões africanas no Brasil: contribuição a uma sociologia das interpenetrações de civilizações. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1989.
  • PALMIÉ, Stephan. O trabalho cultural da globalização Yorubá. Religião e Sociedade, v. 27, n. 1. Rio de Janeiro, 2007.
  • CAPONE, Stefania. A busca da África no candomblé: tradição e poder no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2018.
  • HALL, Stuart. El triángulo funesto: raza, etnia, nación. Madrid: Traficantes de Sueños, 2019.
  • GILROY, Paul. O Atlântico Negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo: Ed. 34; Rio de Janeiro: UCM - Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2001.
  • BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Cadernos Pagu, v. 26, São Paulo: 2006.
  • GILROY, Paul. Entre Campos: nações, cultura e o fascínio da raça. São Paulo: Annablume, 2007.
  • GROSFOGUEL, Ramón. El concepto de “racismo” en Michel Foucault y Frantz Fanon: teorizar desde la zona del ser o desde la zona de no-ser? Tabula Rasa, n. 16, pp. 79-102. Bogotá, 2012.
  • HALL, Stuart. Sin garantias: trayectorias y problemáticas em estudios culturales. Popayán; Lima; Bogotá; Quito: Envión editores; Instituto de Estudios Peruanos; Instituto de Estudios Sociales y Culturales Pensar, Universidad Andina Simón Bolívar, 2010.
  • MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antigona, 2014.
  • CARDOSO, Lourenço C; MULLER, Tânia. M. P. (Org.). Branquitude: estudos sobre a identidade branca no Brasil. Curitiba: Editora Appris, 2018.
  • SEGATO, Rita Laura. La crítica de la colonialidad en ocho ensayos y una antropología por demanda. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2013.
  • MBEMBE, Achille. Políticas da inimizade. Lisboa: Antígona, 2017.
  • ANDREWS, George Reid; DE LA FUENTE, Alejandro. (orgs.). Estudos Afro-Latino-Americanos: uma introdução. Buenos Aires: CLACSO, 2018.

Bibliografia Complementar:

  • GOLDMAN, Márcio. Cavalo dos Deuses: Roger Bastide e as transformações das religiões de matriz africana no Brasil. Revista de Antropologia, v. 54, n. 1. São Paulo, 2011.
  • HIRANO, Luis Felipe Kojima. O imaginário da branquitude à luz da trajetória de Grande Otelo: raça, persona e estereótipo em sua performance artística. Afro-Ásia, v. 48, pp. 77-125. Salvador, 2013.
  • ESCOBAR, Arturo. Sentipensar con la tierra: nuevas lecturas sobre desarrollo, territorio y diferencia. Medellín: Ediciones UNAULA, 2014.

Página gerada em 28/10/2020 15:27:07 (consulta levou 0.089680s)