Nome da Disciplina
ATENÇÃO FARMACÊUTICA I
CÓDIGO
D000366
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Estudo das práticas farmacêuticas no âmbito da atenção primária em saúde, com base na atuação inter/transdisciplinar a partir dos princípios do SUS e com foco na Política Nacional de Medicamentos e de Assistência Farmacêutica. Discute e apresenta a avaliação da Assistência Farmacêutica. Aborda a atuação do farmacêutico em atividades que envolvem o ciclo da assistência farmacêutica, na promoção do uso racional de medicamentos e do acesso aos medicamentos pela população.
Apresentar e discutir as principais abordagens aplicadas tanto no âmbito da assistência farmacêutica como na educação ambiental, como nas questões étnicas brasileiras, nos estudos sociais da ciência e temas afins, tendo o farmacêutico como educador em saúde.

Objetivos

Objetivo Geral:

Discutir o processo saúde/doença/cura e seus determinantes sociais; Contextualizar e discutir as práticas de saúde numa perspectiva da integralidade e humanização da saúde; Apresentar e discutir o Sistema de Saúde no Brasil, a Política nacional de Medicamentos e a Política Nacional de Assistência Farmacêutica;

 

Objetivos Específicos:

Abordar as etapas que envolvem o ciclo da assistência farmacêutica; Discutir aspectos que envolvem as questões de uso racional de medicamentos e de acesso aos medicamentos no Brasil; Incentivar o pensamento crítico, bem como, capacitar para a participação em trabalhos interdisciplinares no âmbito da atenção primária em saúde.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • LYRA-JR DP; MARQUES TC. As Bases para a dispensação racional de medicamentos para farmacêuticos. 2012. Pharmabooks.
  • MARIN N. et al. Assistência Farmacêutica para Gerentes Municipais. OPAS. 2003. disponível em Arquivo em PDF no OPAS- http://www.opas.org.br/
  • STARFIELD B. Atenção Primária – Equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: Unesco, Ministério da Saúde, 2002.

Bibliografia Complementar:

  • BISSON M.P., Farmácia Clinica e Atenção Farmacêutica. Barueri:Manole. 2 ed.
  • BRASIL. Lei 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e os serviços correspondentes, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 set 1990
  • ______. Portaria GM nº. 3.916, 30 de outubro de 1998. Aprova a Política Nacional de Medicamentos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, s. 1, n. 215-E, p. 18, 10 nov. 1998.
  • ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Departamento de Sistemas e Redes Assistenciais. Protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas : medicamentos excepcionais. Brasília: Ministério da Saúde, 2002. 602 p
  • ______. CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE (CNS). Resolução n. 338, de 6 de maio de 2004a. Aprova a Política Nacional de Assistência Farmacêutica.
  • _______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.Hipertensão arterial sistêmica para o Sistema Único de Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2006.58 p.
  • – (Cadernos de Atenção Básica; 16) (Série A. Normas e Manuais Técnicos)
  • ______. Ministério da Saúde. Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Planejar é preciso: Uma proposta de método para aplicação à assistência farmacêutica. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2006. 1. Ed. 74 p. - (Série B. Textos Básicos de Saúde).
  • ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2006. Cadernos de Atenção Básica n. 19. 192 p. - (Série A. Normas e Manuais Técnicos)
  • ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humanizasus: Documento base para gestores e trabalhadores do SUS. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008 4. Ed. 72 p. - (Série B. Textos Básicos de Saúde).
  • ______. Ministério da Saúde, 2008 – Recomendações para Terapia Anti–retroviral em Adultos Infectados pelo HIV 2008
  • ______. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do SUS. Cadernos de Informações de saúde 2010. Disponível em: http://www.datasus.gov.br>
  • ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em saúde. Departamento de DST,AIDS e HEPATITES VIRAIS. Protocolo de assistência farmacêutica em DST/HIV/Aids : recomendações do Grupo de Trabalho de Assistência Farmacêutica. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. – Brasília : Ministério da Saúde, 2010.
  • ______.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Formulário terapêutico nacional 2010: Rename 2010/Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. – 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010
  • ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Protocolo Clínico E Diretrizes Terapêuticas Para Hepatite Viral C e Coinfeções Brasília : Ministério da Saúde, 2011.
  • ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Tratamento diretamente observado (TDO) da tuberculose na atenção básica : protocolo de enfermagem / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2011.
  • ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2011.
  • ______.Ministério da Saúde. Portaria nº 533, de 28 de março de 2012. Estabelece o elenco de medicamentos e insumos da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). ______.
  • ______. Ministério da Saúde,2008 – Recomendações para Terapia Anti–retroviral em Adultos Infectados pelo HIV 2013.
  • DÁDER, M.J.F.; MOÑOZ, P.A.; MARTÍNEZ-MARTINEZ, F. Atenção Farmacêutica. Conceitos, processos e casos práticos. Madrid. RCN Editora. 2007.
  • CORRER, C.J.; OTUKI, M.F. A Prática Farmacêutica na Farmácia Comunitária. Porto Alegre: Artmed, 2013.
  • GUIA PARA A BOA PRESCRIÇÃO MÉDICA. Programa de Ação sobre Medicamentos Essenciais. 1998. OMS. Porto Alegre: Artmed.
  • MINAYO, M.C.S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 5 ed. São Paulo: Hucitec-ABRASCO, 1998.
  • ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DE SAÚDE. Proposições para as ações de farmacêuticos nos programas de saúde da família e/ou núcleos de apoio a saúde da família – NASF – http://www.opas.org.br.
  • ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DA SAÚDE. Oficial de trabalho uso racional de medicamentos na perspectiva multiprofissional / Organização Pan-Americana da Saúde; Brasil. Ministério da Saúde; Agência Nacional de Vigilância Sanitária. – Brasília : Organização Pan-Americana da Saúde, 2007.28 p: il..
  • STORPIRTIS S. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. 1 ed. Guanabara Koogan, 2008
  • ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE, ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, MINISTÉRIO DA SAÚDE-BRASIL:. Avaliação da Assistência Farmacêutica no Brasil. Brasília, MS, 2005.

Página dinâmica gerada em 0.056137s.