Nome da Disciplina
ESTÉTICA TEATRAL
CÓDIGO
D000594
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Os elementos constituintes do espetáculo teatral e a
fenomenologia da experiência estética. O teatro como obra de
arte e objeto estético. As diversas teorias dos gêneros.

Objetivos

Objetivo Geral:

 

Objetivos Específicos:

O aluno ao término do semestre deverá ser capaz de identificar
os elementos constituintes da linguagem teatral, bem como
compreender, sob pontos de vista diversos, os fenômenos
estéticos e a recepção teatral relacionados a seus contextos
histórico-sociais.

Conteúdo Programático

 A estética através da história da filosofia.
 Elementos constituintes da linguagem teatral.
 A experiência estética cênica.
 A recepção teatral na contemporaneidade: relações
interculturais e híbridas com outras linguagens e
culturas.
 Teorias do gêneros e o campo teatral.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003. _______. Problemas da poética de Dostoievski. São Paulo: Forense Universitária, 2008. BARTHES, Roland. Escritos sobre teatro. São Paulo: Martins Fontes, 2007. BORIE, Monique; ROUGEMONT, Martine de; SCHERER, Jacques. Estética teatral: textos de Platão a Brecht. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004. BORNHEIM, Gerd. Gênese e metamorfose da crítica. In: Páginas de Filosofia da arte. Rio de Janeiro: Ed. Uapê, 1998. BOSI, Alfredo. Reflexões sobre a arte. São Paulo: Ática, 1995. BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Cia. das Letras, 1996. _______. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: EDUSP, 2007. _______. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2007. CARLSON, Marvin. Teorias do teatro: estudo teórico-crítico dos gregos à atualidade. São Paulo: UNESP, 1997. ELLSWORTH, E. Modos de endereçamento: uma coisa de cinema; uma coisa de educação também. In SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Nunca fomos humanos. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 07-86. FOUCALT, Michel. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
  • GUINSBURG, J.; SILVA, A. S. da. A linguagem teatral do Oficina. In: SILVA, Armando Sérgio da. Oficina: do teatro ao te-ato. São Paulo: Perspectiva, 1981. JOHNSON, Richard. O que é, afinal, Estudos Culturais? In: SILVA, Tomaz Tadeu da (trad. e org.). O que é, afinal, Estudos Culturais? Belo Horizonte: Autêntica, 1999. LARROSA, Jorge. La experiência de la lectura: estudios sobre literatura y formación. Barcelona: Laertes, 1996. MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. 2 ed. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ, 1997. MOISES, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 1974. PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999. ROSENFELD, A. O teatro épico. São Paulo: Perspectiva, 1985. _______. Prismas do teatro. São Paulo: Perspectiva, 1993. _______. Texto/contexto. São Paulo: Perspectiva, 1969. ROUBINE, Jean Jacques. Introdução às grandes teorias do teatro. Rio de janeiro: Zahar, 2000. SUASSUNA, Ariano. Iniciação à estética. Rio de Janeiro: José Olympio, 2007.

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
ESTÉTICA TEATRAL Teatro (Licenciatura - Noturno)

Página gerada em 10/12/2018 04:39:54 (consulta levou 0.104310s)