Nome da Disciplina
DRENAGEM URBANA
CÓDIGO
22000133
Carga Horária
45 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
3
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
1
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
3
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Concepção e planejamento dos sistemas de drenagem urbana. Estudos hidrológicos típicos e critérios para dimensionamento hidráulico. Sistemas de microdrenagem: captação das águas pluviais, galerias e pequenos canais. Dimensionamento do sistema de macrodrenagem: canais, bueiros e transições.

Objetivos

Objetivo Geral:

Proporcionar ao aluno o entendimento dos processos hidrológicos no meio urbano e o desenvolvimento da capacidade crítica para análise e concepção de projetos de drenagem urbana, buscando a compatibilização das técnicas de drenagem e a conservação do meio ambiente.

Conteúdo Programático

Programa:

Unidade 1 – Água no Meio Urbano.
1.1. O ciclo em meio urbano: precipitação, infiltração, evapotranspiração, escoamento superficial e escoamento subterrâneo.
1.2. Impactos da urbanização no ciclo hidrológico: taxas de impermeabilidade, desbalanceamento do ciclo hidrológico, impactos quantitativos e qualitativos.
1.3 Tipos de Enchentes: de acordo com a localização, de acordo com a duração, causas e efeitos.

Unidade 2 – Drenagem Pluvial Urbana
2.1. Conceito de drenagem.
2.2. Drenagem pluvial: histórico da drenagem pluvial urbana, conceitos higienista, racionalista e ambientalista.
2.3. Concepção das obras de drenagem pluvial: traçado, inserção no meio ambiente, interferências e critérios de projeto.
2.4. Microdrenagem, galerias e pequenos canais.
2.5. Macrodrenagem, canais bueiros e transições.

Unidade 3 – Técnicas para o Dimensionamento de obras de drenagem
3.1. Hietograma de projeto: equação IDF, análise de séries temporais, período de recorrência.
3.2. Modelagem Hidrológica: parametização, locais com dados, locais sem dados.
3.3. Análise de séries históricas: vazões máximas, marcas de enchentes e noções de regionalização.

Unidade 4 – Técnicas Compensatórias
4.1. Melhores práticas de gerenciamento: conceito, medidas estruturais e não estruturais de caráter distribuído ou concentrado.
4.2. Desenvolvimento de baixo impacto: conceito, tecnologia verde, integração com a paisagem.
4.3. Medidas estruturais: Reservação, Infiltração, Fitotecnologias e Renaturalização.
4.4 Medidas não-estruturais: Zoneamento e Planos Diretores de drenagem urbana.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas. Requisitos para elaboração de projetos de drenagem subterrânea para fins agrícolas. Rio de Janeiro, ABNT, 3p. NBR, 14144: 1988. CANHOLI, A. Drenagem Urbana e Controle de Enchentes. Editora Oficina de Textos, 304 p., 2005 CETESB/DAEE. Drenagem Urbana : Manual de Projeto. Editora da CETESB. São Paulo, SP, 1978. CRUCIANI, D. E. A drenagem na agricultura. 4. ed. São Paulo: Nobel, 1989. 337p. TUCCI, C. E. M; PORTO, R. L. e BARROS, M. T. Drenagem Urbana. Editora da Universidade/UFRGS, Porto Alegre, RS, 1995. TUCCI, C. E. M.; PORTO, R. L.; BARROS, M. T. D. Drenagem Urbana Gerenciamento, Simulação e Controle. UFRGS, 1998. WILKEN, P. S. Engenharia de Drenagem Superficial. Editora da CETESB. São Paulo, SP, 1978.

Bibliografia Complementar:

  • BELTRAN, J. M. Drenaje Agrícola. In: Ministério de Agricultura, Pesca y Alimentacion/Instituto Nacional de Reforma y Desarrollo Agrario, Madrid, 1986. 239p. POMPÊO, C. A. Notas de Aula em Drenagem Urbana. UFSC, 59p., mimeo. Florianópolis, SC, 1996.

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
DRENAGEM URBANA Engenharia Hídrica (Bacharelado)

Página gerada em 20/01/2020 04:46:06 (consulta levou 0.152023s)