Nome da Disciplina
IMAGINÁRIO E MEMÓRIA
CÓDIGO
10910068
Carga Horária
60 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Interpretação acerca das representações das apropriações simbólicas realizadas pelos coletivos contemporâneos, através das noções de imaginário, memória, duração, sociabilidade, narrativa.

Objetivos

Objetivo Geral:

Estudo das noções de pessoa, indivíduo, memória, duração, narrativa, imaginário, pensamento simbólico.

Conteúdo Programático

1. A Configuração do Humano
2. O Imaginário
3. Dialética da Duração e Narrativa
4. A Memória Coletiva

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos. São Paulo: Martins Fontes, 1989.
  • BACHELARD, Gaston. A dialética da duração. São Paulo: Ática, 1988.
  • BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 1988.
  • BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1988.
  • BACHELARD, Gaston. A psicanálise do fogo. São Paulo: Martins Fontes, 1994.
  • BACHELARD, Gaston. A terra e os devaneios do repouso. São Paulo: Martins Fontes, 1990.
  • BACHELARD, Gaston. A terra e os devaneios da vontade. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
  • BENJAMIN, Walter. O narrador: observações sobre a obra de Nikolai Leskow. In: BENJAMIN, W.; HORKHEIMER, M.; ADORNO, T. W.; HABERMAS, J. Textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultural, 1983.
  • BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1990.
  • BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Queiroz Editora; Edusp, 1987.
  • CASSIRER, Ernest. Ensaio sobre o homem. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
  • CHAUMEIL, Jean-Pierre. Les os, les flûtes, les morts : mémoire et traitement funéraire en Amazonie. In: Journal de la Société des Américanistes, v. 83. Paris, 1997.
  • CRÉPEAU, Robert R. Le rite comme contexte de la mémoire des origines. Archives de Sciences Sociales des Religions, v. 141. Paris, 2008. CRÉPEAU, Robert R. Uma ecologia do conhecimento é possível? Ilha, v. 7, n. 1-2. Florianópolis, 2005.
  • DE PAULA, Jose Carlos. Imaginário e metodologia: hermenêutica dos simbolos e estorias de vida. Londrina: Editora da UEL, 1998.
  • DESCOLA, Philippe. Genealogia de objetos e Antropologia da objetivação. Horizontes Antropológicos, ano 8, n. 18. Porto Alegre, 2002.
  • DUARTE, Luiz Fernando Dias. A construção social da pessoa moderna. In: Da vida nervosa nas classes trabalhadoras urbanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor; Cnpq, 1986.
  • DUMONT, Louis. O individualismo: uma perspectiva antropológica da ideologia moderna. Rio de Janeiro: Rocco, 1985.
  • DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário: introdução a arquetipologia geral. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
  • DURAND, Gilbert. A imaginação simbólica. São Paulo: Cultrix, 1988.
  • DURAND, Gilbert. O imaginário. Rio de Janeiro: Difel, 1998.
  • DURAND, Gilbert. La figure traditionnelle de l'homme. In: Science de l'homme et tradition: le nouvel esprit anthropologique. Paris: Berg International, 1979.
  • ECKERT, Cornelia. Ritmos e ressonancias da duração de uma comunidade de trabalho: mineiros de carvão (La Grand-Combe, França). Cadernos Antropologia, n. 11, (Memória e Identidade). Porto Alegre, 1991.
  • ECKERT, Cornelia, ROCHA, Ana Luiza Carvalho da. Imagens do tempo nos meandros da memória: por uma etnografia da duração. In: KOURY, Mauro G. P. (org.). Imagem e memória: estudos em Antropologia Visual. Rio de Janeiro: Garamond, 2000.
  • ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.
  • ELIAS, Norbert. Sobre o tempo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.
  • FISCHMAN, Fernando, HARTMANN, Luciana. Donos da palavra: autoria, performance e experiência em narrativas orais na América do Sul. Santa Maria: Editora da UFSM, 2007.
  • FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1995.
  • FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense, 2004.
  • GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.
  • GILROY, Paul. O Atlântico Negro. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001.
  • HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.
  • HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Petrópolis: Vozes, 1989.
  • HOBSBAWN, Eric; RANGER, Terence (orgs). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.
  • IZQUIERDO, Iván. A arte de esquecer: cérebro, memória e esquecimento. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2004.
  • KUPER, Adam. Cultura: a visão dos antropólogos. Bauru: Edusc, 2002.
  • LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Editora Unicamp, 1990.
  • LEROI-GOURHAN, André. O gesto e a palavra: memória e ritmos. Lisboa: Perspectivas/Edições 70, 1987.
  • LEVI-STRAUSS, Claude. Mito e significado. Lisboa: Edições 70, 1979.
  • LINS DE BARROS, Myrian Moraes. Memória e família. Estudos Históricos, v. 2, n. 3 (Memória). Rio de Janeiro, 1989.
  • MAUSS, Marcel. Sociologia e Antropologia. São Paulo, Cosac & Naify, 2003.
  • LIMA, Luiz Costa. A Aguarrás do tempo. Rio de Janeiro: Rocco, 1989.
  • MARTINS, José de Souza; ECKERT, Cornelia; NOVAES, Sylvia Caiuby (orgs.). O imaginário e o poético nas Ciências Sociais. Bauru: Edusc, 2005.
  • MERLEAU-PONTY, Maurice. O visível e o invisível. São Paulo: Perspectiva, 1971.
  • MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1994.
  • OVERING, Joanna. O mito como História: um problema de tempo, realidade e outras questões. Mana, v. 1, n. 1. Rio de Janeiro, 1995.
  • POLLACK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, v. 2, n. 3 (Memória). Rio de Janeiro, 1989.
  • RAMOS, Alcida Rita. Memorias Sanuma: espaço e tempo em uma sociedade yanomami. Brasília: Editora da UnB, 1990.
  • RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa (Tomo I, II, III). Campinas: Papirus, 1994.
  • ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornelia. O tempo e a cidade. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005.
  • TAUSSIG, Michael. Xamanismo, colonialismo e o homem selvagem: um estudo sobre o terror e a cura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

Bibliografia Complementar:

  • BAUDRILLARE, Jean. A transparência do mal: ensaio sobre os fenômenos extremos. Campinas: Papirus, 2001.
  • LEVI-STRAUSS, Claude. A via das máscaras. Lisboa: Presença, 1981
  • MONTERO, Paula. Magia e pensamento mágico. São Paulo: Ática, 1990.
  • NOGUEIRA, Carlos Roberto. O diabo no imaginário cristão. São Paulo: Ática, 1986.
  • SOUZA, Laura de Mello e. A feitiçaria na Europa Moderna. São Paulo: Ática, 1995.

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
IMAGINÁRIO E MEMÓRIA Antropologia (Bacharelado)

Página gerada em 13/11/2019 07:59:40 (consulta levou 0.151626s)