Nome da Disciplina
LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA II
CÓDIGO
11260020
Carga Horária
60 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Estudos de modelos experimentais de ensino de Matemática do Ensino Fundamental. Construção e adaptação de diferentes materiais e métodos de ensino de Matemática. Experimentação de diferentes estratégias de ensino de matemática em grupos especiais de alunos, contemplando os temas transversais apresentados nos PCNs do ensino fundamental. Elaboração de relatórios sobre os experimentos. Uso de materiais recicláveis na construção de modelos para o ensino de matemática.

Objetivos

Objetivo Geral:

O aluno deverá manusear, criar, elaborar e analisar métodos e materiais didáticos (potencialmente) úteis no ensino da matemática. Realizar pesquisa bibliográfica referente a métodos didáticos que objetivem a construção de conhecimento matemático.

Conteúdo Programático

A) Estratégias para se levarem estudantes da segunda fase do Nível Fundamental de Ensino à construção de conceitos matemáticos, a representações simbólicas desses e à construção de algoritmos para desenvolvimento de cálculos, representações gráficas e soluções de problemas. Os tópicos a serem explorados serão conteúdos referentes aos currículos da 5a, 6a, 7a, 8a séries definidos em conjunto com os alunos das disciplinas de acordo com os interesses destes.

B) Questionamentos sobre o ensino de matemática
- os problemas no ensino de matemática
- as dificuldades e a importância de ensinar matemática
- os conteúdos e as estratégias de ensino-aprendizagem
- a interdisciplinaridade
- ser professor de matemática

C) Aspectos do processo de ensino
Planejamento de atividades;
Experimentação de estratégias;
Regulação do processo de ensino;
Avaliação da aprendizagem.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BOYER, C. História da matemática. São Paulo: Edgar Blucher, 1974.
  • BROUGERE, G. Jogo e Educação. Ed. ARTMED.
  • D’AMBRÓSIO, Ubiratan. Da realidade a ação. Campinas: Editora UNICAMP, 1986
  • DIENES, Z. P. e GOLDING, E. W. Conjuntos, Números e Potências. Ed EPU.
  • DIENES, Z. P. & GOLDING, E. W.. Exploração do espaço e prática de medição. Col. Os primeiros passos em matemática – Vol 3. (Trad. de Oclide José Dotto) São Paulo: Ed. Herder, 1969.
  • DIENES, Z. P. & GOLDING, E. W.. Lógica e jogos lógicos. Col. Os primeiros passos em matemática - Vol. 1. (Trad. de Oclide José Dotto, rev. E adapt. De Ormil Alves Pilatti). São Paulo: Ed. Herder, 1969
  • CANDAU, Vera Maria. A didática em questão. São Paulo: Ed. Vozes, 1982.
  • CARVALHO, Dione L. Metodologia do ensino da matemática. São Paulo: Cortez, 1990.
  • LAKATOS, Eva Maria, MARCONI, Marina. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1988.
  • LIMA, Elon Lages. Medida em geometria. Coleção do professor de matemática. Sociedade Brasileira de Matemática.
  • Parâmetros Curriculares Nacionais – Vol. 3 - Matemática (5a a 8a).MEC.
  • SINGER, Naomi E. & Miller, Matthew J.. Atividades educacionais I. Trad. de Marta Malvezzi Leal. São Paulo: Madras Ed. Ltda, 2002

Bibliografia Complementar:

  • BRETTAS, Luiz Alberto. Pesquisa e produção de novos materiais e métodos para o ensino de matemática. Tese de Doutorado em Mídia e Conhecimento. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Florianópolis : UFSC, 2005.
  • CARRAHER, Terezinha Nunes (org.). Aprender pensando. Recife: SEC/UFPe, 1985.
  • CARRAHER, Terezinha N. , SCHLIEMANN, Ana Lúcia D. Álgebra na feira? In: CARRAHER, TEREZINHA, SCHLIEMANN, ANA LÚCIA, CARRAHER, DAVID. Na vida dez ,na escola zero. 10.ed. São Paulo: Cortez editora, 1995. Capítulo 7, p. 127-141.
  • FERREIRA, André Luis Andrejew. Processos cognitivos na diferenciação e aplicabilidade dos conceitos de equação e função na físico-química. Tese de Doutorado em Informática na Educação. Programa de Pós-graduação em Informática na Educação. Porto Alegre: UFRGS, 2010.
  • FONSECA, Márcia Souza da. Sobre a matematização do mundo e a desmundanização matemática. Tese de Doutorado Em Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Porto Alegre: PUCRS, 2005
  • GERDES, Paulus. Sobre o despertar do pensamento geométrico. Curitiba: Editora UFPR, 1992. 105p.
  • KOTHE, Siegfried. Pensar é divertido. São Paulo: E.P.U., 1970
  • LOVELL, K. O desenvolvimento dos conceitos matemáticos e científicos na criança. Porto Alegre: Artes médicas, 1988.
  • LUCKESI, Cipriano et al. Fazer universidade; uma proposta metodológica. São Paulo: Cortez, 1987.
  • PEREZ, Geraldo. A realidade sobre o Ensino da Geometria no 1º e 2º graus, no Estado de São Paulo. A Educação Matemática em revista, Geometria, Blumenau, n. 4, p. 54-62, 1º semestre,1995
  • PIMENTA, Selma Garrido & GONÇALVES, Carlos Luiz. Revendo o ensino de 2º grau; propondo a formação de professores. São Paulo: Cortez, 1990.
  • PONTE J. P, BROCADO, J e OLIVEIRA, H. Investigações matemática em Sala de Aula. Ed. Autêntica.
  • ZERMIANI, Vilma J. Álgebra; brincando, redescobrindo, compreendendo. Blumenau: Editora da FURB, 1987.

Página gerada em 10/12/2019 01:03:24 (consulta levou 0.138388s)