Nome da Atividade
EDUCAÇÃO POPULAR E MOVIMENTOS SOCIAIS
CÓDIGO
17360046
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

A disciplina fornece referenciais teóricos fundamentais para a compreensão das teorias e trajetórias dos Movimentos Sociais no Brasil; apresenta e discute as relações entre Educação Popular e Movimentos Sociais e viabiliza aos estudantes conhecerem diversos Movimentos existentes em Pelotas e na região, proporcionando condições de inserção. As análises serão centradas principalmente nas práticas pedagógicas e sociais destas organizações. Também serão analisadas as relações entre Movimentos Sociais, Universidade e Educação Popular.

Objetivos

Objetivo Geral:

- Possibilitar aos alunos o conhecimento da história dos movimentos sociais no Brasil e da relação entre educação e movimentos sociais; e analisar as ações e práticas educativas dos atuais movimentos sociais presentes em Pelotas e na região, oportunizando espaços para conhecimento e inserção nos movimentos;
- Compreender a importância e o papel dos movimentos sociais para os avanços da democracia no Brasil e analisar a contribuição dos movimentos sociais na construção dos espaços públicos e redefinição das relações político-sociais e culturais no país;
- Identificar as teorias que procuram explicar a natureza e emergência dos movimentos sociais;
- Analisar o caráter educativo dos movimentos sociais, seu aspecto pedagógico, suas relações com a educação popular e contribuições para a educação escolar;
- Situar-se nos movimentos sociais existentes em Pelotas e região, mapear e analisar formas concretas de inserção.

Conteúdo Programático

Classe Social e Movimentos Sociais
- Classe social, alienação e o fazer-se classe: relação entre as estruturas e as possibilidades das ações humanas.

Aspectos teórico-históricos dos movimentos sociais no Brasil
- Resistência indígena; resistência negra; resistência cabocla; operária e camponesa;
- Anos 1980: a retomada das lutas – “Novos personagens entram em cena”.

Tendências contemporâneas expressas no movimento da sociedade brasileira a partir dos anos 1990
- Espaços de um novo associativismo;
- Redes de ações coletivas;
- As organizações não governamentais e o terceiro setor.

Caráter educativo dos movimentos sociais e seu aspecto pedagógico
- Concepção dialética da educação/educação popular;
- O caráter educativo do movimento social popular;
- Experiências educativas dos movimentos sociais;
- Os movimentos sociais e a articulação entre educação não formal e sistema formal de ensino.

Dialogando com os Movimentos Sociais de Pelotas e Região
- Investigação e inserção nos MS de Pelotas e região.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ARROYO, Miguel. Pedagogia do Movimento – o que temos a aprender com os Movimentos Sociais? Currículo sem fronteiras, V.3, n 1, pp. 28-49/Jun 2003.
  • FREIRE e NOGUEIRA. Teoria e prática em Educação Popular. RJ: Vozes, 2001
  • GOHN, Maria da Glória. Mídia, MST e Terceiro Setor: impacto sobre o futuro da cidade e do campo. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.
  • SINGER E BRANT (Org.). São Paulo: o povo em movimento. RJ: Vozes, 1881.
  • AZEVEDO, GENTILI, KRUG, SIMON (Org.). Utopia e democracia na educação cidadã. POA: UFRGS, 2000.
  • CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 1995.
  • Educação Popular na América Latina: diálogos e perspectivas. Brasília: UNESCO, MEC, CEAAL, 2005.
  • ORSO, GONÇALVES E MATTOS (Org.). Educação e luta de classes. SP: Expressão popular, 2008.
  • TONET e LESSA. Introdução a Filosofia de Marx. SP: Espressão popular, 2008.

Bibliografia Complementar:

  • ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. Terras de quilombos, terras indigenas, babaçuais livres, castanhas do povo, faxinais e fundo de pasto: Terras tradicionalmente ocupadas. Coleção Tradição e Ordenamento Jurídico. Vol. 02, Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia (PPGSCA-UFAM, Fundação Ford), Manaus, 2006.
  • BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Identidade e etnia: construção da pessoa e resistência cultural. São Paulo: Brasiliense, 1986.
  • BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O trabalho de saber: cultura camponesa e escola rural. São Paulo: FTD, 1990.
  • BOGO, Ademar. Lições da luta pela terra. Salvador, Memorial da Letras. 1999.
  • CHAUI, Marilena de Souza. Conformismo e resistência: aspectos da cultura popular no Brasil. 4. ed. São Paulo: Brasiliense, 1989.
  • CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento Sem Terra: escola é mais do que uma escola. RJ, Vozes 2000.
  • DOIMO, Ana Maria. A Vez e a Voz do Popular: movimentos sociais e a participação política no Brasil pós-70. RJ, Relume-Dumará, 1995.
  • GOHN, Maria da Glória. Teoria dos Movimentos Sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. SP, Loyola, 1997.
  • GOHN, Maria da Glória. História dos Movimentos e Lutas Sociais. SP, Loyola, 1995
  • GOHN, Maria da Glória. Movimentos Sociais e luta pela moradia. SP, Loyola, 1991.
  • GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais e educação. Questões da nossa época, SP, Cortez, 1992.
  • GHIRALDELLI JR., Paulo. Educação e movimento operário. SP, Cortez, 1987.
  • GRZYBOWSKI, Cândido. Caminhos e descaminhos dos movimentos sociais no campo. Petrópolis, Vozes, 1987.
  • Hellmann, Michaela (Org.). Movimentos sociais e democracia no Brasil: sem a gente não tem jeito. Marco Zero/Ildesfez/Labor, 1995.
  • MAESTRI, Mário. A aldeia ausente. Índios, caboclos, escravos e imigrantes na formação do campesinato brasileiro. Conferência ministrada no II Colóquio Marx-Engels do Centro de Estudos Marxistas do IFCH da UNICAMP, Campinas (Brasil), 21 de novembro de 2001. PORTAL POPULAR, Rio de Janeiro. http://www.projetoadia.com.br/../not/129.
  • MARTINS, José de Souza. Os camponeses e a política no Brasil: as lutas sociais no campo e seu lugar no processo político. RJ, Vozes, 1981.
  • PERUZZO, Cicília M. K. Comunicação nos Movimentos Populares. RJ, Vozes, 1998.
  • RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. 2.ed., SP, Companhia das letras, 1997.
  • SADER, Eder. Quando novos personagens entram em cena: experiências e lutas dos trabalhadores da Grande São Paulo. RJ, Paz e Terra, 1988.
  • SOUZA, Cláudia Moraes de; MACHADO, Ana Cláudia. Movimentos Sociais no Brasil Contemporâneo. S. Paulo: Ed. Loyola, 1997.
  • SCHERER-WARREN, Ilse. Movimentos sociais um ensaio de interpretação sociológica. 3., ed., Florianópolis, UFSC, 1989.
  • STÉDILE, J. P. & Sérgio, Frei. A luta pela terra no Brasil. SP, Scrita, 1993.
  • SPOSITO, Marília Pontes. A ilusão fecunda: a luta por educação nos movimentos populares. SP, Hucitec, 1993.
  • TELES, Maria Amélia de Almeida. Breve história do feminismo no Brasil. SP, Brasiliense, 1993.
  • WANDERLEY, Luiz Eduardo W. Educar para transformar educação popular, Igreja Católica e política no Movimento de Educação de Base. Petrópolis: Vozes, 1984.
  • BEISEGEL, Celso de Rui. Estado e educação popular. SP, Pioneira, 1974.
  • BEZERRA & BRANDÃO (Org.). 5. ed., A questão política da Educação Popular. SP, Brasilense, 1985.
  • BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Em campo aberto: escritos sobre a educação e a cultura popular. São Paulo: Cortez, 1995.
  • COSTA, Marisa Vorraber (Org.). Educação popular hoje. SP, Loyola, 1998.
  • FAVERO, Osmar. Cultura popular – educação popular: memória dos anos 60. RJ, Graal, 1983.
  • FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. RJ, Paz e Terra. 1985.
  • GADOTTI & GUTIÉRREZ (Orgs.). Educação comunitária e educação popular. 2. ed., SP, Cortez, Questões de nossa época, 1999.
  • MOISÉS, José Álvaro et alii. Alternativas populares da democracia: Brasil anos 80. SP, Vozes, 1982.
  • VALLE & QUEIRÓZ (Org.). A cultura do povo. 4. ed., SP, Cortez, 1988.
  • MANFREDI, Sílvia Maria. Política: Educação Popular. SP, Símbolo, 1978.
  • PAIVA, Vanilda (Org). Perspectivas e dilemas da Educação Popular. RJ, Graal, 1984.
  • PAIVA, Vanilda (Org). Educação Popular e educação de adultos. SP, Loyola, 1987.
  • PALUDO, Conceição. Educação Popular em busca de alternativas: uma leitura desde o Campo Democrático e Popular. POA, Tomo Editorial, 2001.
  • SALAZAR, Gabriel. Integración Formal e Segregación Real: matriz histórica de la autoeducación popular. In Martinic & Horacio. Profissionales en la acción. Una mirada críica a la educación popular. Santiago-Chile, CIDE, 1990.
  • SADER, Emir. O anjo torto: esquerda (e direita) no Brasil. SP, Brasiliense, 1995.

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
EDUCAÇÃO POPULAR E MOVIMENTOS SOCIAIS Pedagogia (Licenciatura)
EDUCAÇÃO POPULAR E MOVIMENTOS SOCIAIS Pedagogia (Licenciatura - Noturno)

Página gerada em 04/12/2021 09:54:19 (consulta levou 0.117574s)