Nome da Disciplina
EPISTEMOLOGIA DA GEOGRAFIA II
CÓDIGO
10060004
Carga Horária
30 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
2
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
2
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Definição da Geografia enquanto ciência. Caracterização da natureza da Geografia: objeto e método. Análise de categorias geográficas. Abordagens da geografia atual.

Objetivos

Objetivo Geral:

Compreender a natureza da geografia enquanto ciência;
Analisar o método e o objeto próprios da geografia;
Compreender as características da geografia;
Compreender a dinâmica dos fenômenos geográficos;

 

Objetivos Específicos:

Desenvolver a capacidade de analisar, interpretar e redigir textos de natureza geográfica.
Caracterizar e distinguir as categorias da geografia.
Analisar e interpretar os temas abordados e redigir sobre estes temas.

Conteúdo Programático

1.GEOGRAFIA E CIÊNCIA
1. O conhecimento científico.
2. A geografia e as outras ciências.
3. Geografia: Objeto, método, princípios e classificações.
4. A geografia como ciência social.
2.O CONHECIMENTO GEOGRÁFICO
1. A consciência do espaço.
2. A produção do espaço no capitalismo.
3. Tempo e espaço em geografia.
4. A dualidade geografia física x geografia humana.
5. Temas e Conceitos Geográficos: Espaço, Território, Região, Escala e Redes.
3. A CONTEXTUALIZAÇÃO DA GEOGRAFIA
1. A geografia crítica.
2. A geografia da percepção.
3. A geografia cultural.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. São Paulo: Nobel, 1987.
  • SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, 1988.
  • SANTOS, Milton. Espaço e método. São Paulo: Nobel, 1985.
  • SANTOS, Milton. Por uma geografia nova: da crítica da geografia a uma geografia crítica. São Paulo: Hucitec, 1986.
  • ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia, ciência da sociedade: uma introdução à análise do pensamento geográfico. São Paulo: Atlas, 1987.
  • ANDRADE, Manuel Correia de. Imperialismo e fragmentação do espaço. São Paulo: Contexto/Edusp, 1988.
  • ANDRADE, Manuel Correia de. Caminhos e descaminhos da geografia. Campinas: Papirus, 1989.
  • CAPEL, Horácio. Filosofía y ciencia en la geografía contemporánea. Barcelona: Barcanova, 1983.
  • CHRISTOFOLETTI, Antonio (org.). Perspectivas da geografia. São Paulo: Difel, 1982.
  • CLAVAL, Paul. La evolución de la geografía humana. Barcelona: Oikos-Tau, 1978.
  • CLAVAL, Paul. A geografia cultural. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1999.
  • CORREA, Roberto Lobato. Região e organização espacial. São Paulo: Ática, 1987.
  • DOLFUSS, Olivier. A análise geográfica. São Paulo: Difel, 1973.
  • DOLFUSS, Olivier. O espaço geográfico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991.
  • ENCONTRO NACIONAL DE HISTÓRIA DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO, I, Rio Claro. Eixos Temáticos, Trabalhos completos, Rio Claro, UNESP, 1999, 3 vol.
  • ESCOBAR, Marcelo. Crítica do discurso geográfico. São Paulo: Hucitec, 1996.
  • FRARE, José Luiz. “Afinal, para que serve aprender a velha geografia”. In: Nova Escola, São Paulo, ano 7, n.º 59, 1992.
  • GEORGE, Pierre et. ali. A geografia ativa. São Paulo: Difel, 1980.
  • GOMES, Horieste. Reflexões sobre teoria e crítica em geografia. Goiânia: CEGRAF/UFG, 1991a.
  • GOMES, Horieste. A produção do espaço geográfico no capitalismo. São Paulo: Contexto, 1991b.
  • HARTSHORNE, Richard. Propósitos e natureza da geografia. São Paulo: Hucitec/Edusp, 1978.
  • HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.
  • JOHNSTON, R. J. Geografia e geógrafos: a geografia humana anglo-americana desde 1945. Rio de Janeiro: Difel, 1986.
  • JOHNSTON, R. J. La geografía actual: geógrafos y tendencias. Barcelona: Editorial Ariel, 1986.
  • LACOSTE, Yves. A geografia isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. 4ª ed. Campinas: Papirus, 1997.
  • LIPIETZ, Alain. O capital e seu espaço. São Paulo: Nobel, 1988.
  • LUCKESI, Cipriano Carlos. Fazer universidade: uma proposta metodológica. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 1991.
  • MENDONÇA, Francisco. Geografia física: ciência humana? São Paulo: Contexto, 1989.
  • MENDONZA, Josefina G. et. ali. El pensamiento geográfico: estudio interpretativo y antología de textos (de Humboldt a las tendencias radicales). Madri: Alianza, 1982.
  • MORAES, Antonio Carlos Robert. Geografia: pequena história crítica. 6ª ed. São Paulo: Hucitec, 1987.
  • MORAES, Antonio Carlos Robert. Ideologias Geográficas: espaço, cultura e política no Brasil. São Paulo: Hucitec, 1988.
  • MORAES, Antonio Carlos Robert. Meio ambiente e ciências humanas. São Paulo: Hucitec, 1997.
  • MORAES, Antonio Carlos Robert et COSTA, Wanderley Messias da. Geografia crítica: a valorização do espaço. 2º ed. São Paulo: Hucitec, 1987.
  • MOREIRA, Ruy. O que é geografia. 14ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.
  • MOREIRA, Ruy. Geografia: teoria e crítica. Petrópolis: Vozes, 1982.
  • QUAINI, Massimo. Marxismo e geografia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.
  • SODRÉ, Nelson Werneck. Introdução à geografia: geografia e ideologia. 4ª ed. São Paulo: Hucitec, 1982.
  • SANTOS, Milton (org.). Novos Rumos da Geografia Brasileira. 4ª ed. São Paulo: Hucitec, 1996.
  • SANTOS, Milton. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Hucitec, 1994.
  • SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1997.
  • SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2000.
  • SANTOS, Milton et SOUZA, Maria Adélia A. de. A construção do espaço. São Paulo: Nobel, 1986.
  • SILVA, Armando Corrêa da. De quem é o pedaço. Espaço e cultura. São Paulo: Hucitec, 1986.
  • SILVA, Armando Corrêa da. O espaço fora do lugar. São Paulo: Hucitec, 1988.
  • SOJA, Edward. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço da teoria social crítica. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.

Página gerada em 22/09/2019 15:37:09 (consulta levou 0.126218s)