Nome da Disciplina
COMUNICAÇÃO EM MUSEUS
CÓDIGO
10790097
Carga Horária
60 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

O museu como sistema comunicacional; estudo das metodologias de interpretação do real e sua adequação aos códigos de percepção das sociedades; o museu como sistema sígnico; recepção e avaliação de públicos; leitura semântica de exposições; acessibilidade em museus.

Objetivos

Objetivo Geral:

Apresentar e discutir o Museu enquanto um sistema formal de gerenciamento de informação, enfocando, sobretudo, o seu potencial comunicativo. Ao cabo da disciplina o aluno deverá ser capaz de reconhecer e agir sobre as principais mídias de comunicação museológica, assim como perceber as suas principais potencialidades e deficiências.

 

Objetivos Específicos:

• Capacitar o aluno a entender os conceitos e teorias relativos aos processos sociais de comunicação, via instituições de memória.
• Aguçar o pensamento crítico sobre os processos de comunicação implementados pelos museus brasileiros.
• Apresentar e argumentar as demandas informacionais na contemporaneidade, da interatividade ao imediatismo da informação.

Conteúdo Programático

Em 3 módulos:

1. Construindo conceitos e fundamentos: os museus enquanto um sistema de informação

1.1. Delimitação do conceito de informação e os seus desdobramentos históricos;
1.2. A composição e o funcionamento de um sistema de informação;
1.3. O Museu como um sistema de agenciamento de informação.

2. A comunicação museológica: uma abordagem histórica e teórico-metodológica

2.1. As políticas de comunicação nos primeiros museus europeus, a composição espacial da arquitetura e os compromissos com o público;
2.2. Os museus do século XX e a dinamização das ações comunicativas: do museu-objeto ao museu-processo
2.3. Código de ética e os documentos fundamentais: os desafios da comunicação museológica na atualidade;
2.4. O uso das novas tecnologias da informação para ampliação da interface com o público.


3. A comunicação museológica do ponto de vista da prática e da ação transformadora

3.1. As exposições museológicas como a maior janela de contato com o público;
3.2. A semiologia das exposições: a leitura das múltiplas linguagens expositivas;
3.3. O público como o gerador das ações comunicativas: estudo de público e a utilização de mecanismos de atração;
3.4. Educação em Museus: as possibilidades da Educação Patrimonial e da Pedagogia do Despertar;
3.5. A acessibilidade arquitetônica e informativa: amenizando as distâncias.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
COMUNICAÇÃO EM MUSEUS Museologia (Bacharelado)

Página gerada em 25/06/2019 05:01:20 (consulta levou 0.151965s)