Nome da Disciplina
HISTÓRIA DO TEATRO II
CÓDIGO
0140290
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Estudo das principais características do teatro renascentista, barroco, classicista e da Commedia dell’ Arte, com ênfase nos contextos histórico, ético e estético.

Objetivos

Objetivo Geral:

 

Objetivos Específicos:

Ao término da disciplina o aluno deverá ser capaz de: caracterizar e identificar os movimentos e os gêneros do teatro do Renascimento ao século XVIII, sob os aspectos históricos, sociais, culturais e estéticos.

Conteúdo Programático

UNIDADE 1 – O TEATRO RENASCENTISTA NA ITÁLIA
1.1 – A tragédia e a comédia.
1.2 – A commedia dell’arte.
1.3 – O edifício teatral e o espetáculo.
UNIDADE 2 – O TEATRO RENASCENTISTA EM PORTUGAL E NA ESPANHA
2.1 – O espetáculo renascentista e seus autores: os autos de Gil Vicente e Cervantes.
2.2 – O século de ouro espanhol e seus principais autores: Lope de Vega, Calderón de la Barca, Tirso de Molina.
UNIDADE 3 – O TEATRO ELISABETANO (INGLATERRA)
3.1 – Organização da cena inglesa e seus principais autores: Ben Jonson, Marlowe, Shakespeare.
UNIDADE 4 – O CLASSICISMO FRANCÊS
4.1 – Encenação, poéticas do drama, obras dramáticas e principais autores: Racine, Corneille, Molière.
UNIDADE 5 – A COMÉDIA ITALIANA NO SÉCULO XVIII
5.1 – Goldoni e a commedia dell’arte.
UNIDADE 6 – O TEATRO FRANCÊS NO SÉCULO XVIII
6.1 – O espetáculo francês, a peça bem-feita, o iluminismo.
6.2 – Diderot: a arte dramática e o paradoxo do ator.
UNIDADE 7 – O TEATRO ALEMÃO DO SÉCULO XVIII
7.1 – Lessing: teoria dramática.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ARÊAS, Vilma. Iniciação à comédia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990. ARISTÓTELES. Poética. (trad. Eudoro de Souza). São Paulo: Ars Poética, 1992. BARCA, Calderón de la. La vida es sueño; El alcalde de Zalamea. Estella: Salvat, 1970. BARTHES, Roland. Racine. Porto Alegre: L&PM Editores, 1987. BARRETINI, Célia. O teatro, ontem e hoje. São Paulo: Perspectiva, 1980. BENDER, Ivo. Comédia e riso. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1996. BERTHOLD, Margot. História social do teatro. São Paulo: Perspectiva, 2000. BOQUET, Guy. Teatro e sociedade: Shakespeare. São Paulo: Perspectiva, 1989. BORBA Fº, Hermilo. História do teatro. Rio de Janeiro: Casa do Estudante. s/d D'AMICO, Silvio. História del teatro dramático. México: Unión Tipográfica Editorial Hispano Americana, 1961. DIDEROT, D. Discurso sobre a poesia dramática. São Paulo: Brasiliense. ______. O paradoxo do ator. São Paulo: Brasiliense. GASSNER, John. Mestres do teatro I. São Paulo: Perspectiva, 1991. GOLDONI, Carlo. Arlequim, servidor de dois amos. São Paulo: Nova Cultural, 1987. FO, Dario. Manual mínimo do ator. São Paulo: SENAC, 1998. HELIODORA, Bárbara. A expressão dramática do homem político em Shakespeare. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978. HELIODORA, Bárbara. Falando em Shakespeare. São Paulo: Perspectiva, 1998. LESSING, Gotthold E. De teatro e literatura. São Paulo: Herder, 1964. MAGALDI, Sábato. O texto no teatro. São Paulo: Perspectiva, 1989. MARLOWE, Christopher. La trágica historia del Doctor Fausto. Buenos Aires: Xanadu, 1977. _______. El judío de Malta; Eduardo II. Madrid: Cátedra, 2003. MOLIÈRE. O tartufo. São Paulo: Abril Cultural, 1976. ROSENFELD, Anatol. História da literatura e do teatro alemães. São Paulo: Perspectiva, 1993. _______. O teatro épico. São Paulo: Perspectiva, 1994. SARAIVA, António José. Gil Vicente e o fim do teatro medieval. Publicações Europa-América. Lisboa: Portugália,1970.
  • SHAKESPEARE, William. Romeu e Julieta; Macbeth; Hamlet, príncipe da Dinamarca; Otelo, o mouro de Veneza. São Paulo: Abril Cultural, 1981. _______. As alegres comadres de Windsor; Medida por medida; O sonho de uma noite de verão; O mercador de Veneza; A megera domada. Sonetos. São Paulo: Círculo do Livro, 1994. VICENTE, Gil. Auto de Inês Pereira. Lisboa: Duarte Reis, 2003.

Página gerada em 20/11/2019 22:58:49 (consulta levou 0.127062s)