Nome da Disciplina
FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA I
CÓDIGO
0160040
Carga Horária
102 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
6
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
6
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Introdução à farmacotécnica e cosmetologia. Estudar as propriedades químicas, físicas e farmacológicas das substâncias de interesse farmacêutico. Conhecer as operações farmacêuticas e os processos de preparação, caracterização e acondicionamento de formas farmacêuticas.

Objetivos

Objetivo Geral:

Transmitir ao aluno conhecimentos suficientes e necessários para a transformação de insumos farmacêuticos em medicamentos e cosméticos eficazes e estáveis, nas diferentes formas farmacêuticas.

 

Objetivos Específicos:

Propiciar ao aluno conhecimentos sobre composição, produção e controle de qualidade, bem como utilização e ação, dos medicamentos e cosméticos. Fornecer ao aluno os conhecimentos necessários para manipulação dos medicamentos e cosméticos, ou seja, para transformar, através de técnicas apropriadas, substâncias puras em formas farmacêuticas e cosméticas, bem como condições de interpretação de prescrições e formulações.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ANSEL, H.C.; POPOVICH, N.G.; ALLEN, L.V. Farmacotécnica: formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. 6 ed. São Paulo: Premier, 2013.
  • AULTON, M.E. Delineamento de formas farmacêuticas. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.
  • THOMPSON, J.E. A prática farmacêutica na manipulação de medicamentos. Porto Alegre: Artmed, 2013.

Bibliografia Complementar:

  • KIBBE, A.H. Handbook of Pharmaceutical Excipients. 5 ed. Washington, DC: American Pharmaceutical Association; London: UK Pharmaceutical Press
  • RIBEIRO, C. Cosmetologia aplicada a dermoestética. 2 ed. Pharmabooks, 2010
  • ANVISA - Guia de estabilidade de produtos cosméticos.http:// www.anvisa.gov.br/divulga/public/series/cosmeticos.pdf
  • ANSEL, H.C.; DORA, C.L. Cálculos farmacêuticos. 12 ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.
  • Resolução RDC nº 67, de 08 de outubro de 2007. Dispõe sobre Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais para Uso Humano em farmácias.
  • FERREIRA, A.O. Guia prático da farmácia magistral. 3ed. São Paulo: Pharmabooks, 2008.
  • Farmacopeia Brasileira. 5 ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010. http://www.anvisa.gov.br/hotsite/cd_farmacopeia/index.htm

Página gerada em 20/05/2019 13:47:56 (consulta levou 0.055520s)