Nome da Disciplina
ANATO COMPARADA ANIMAIS DOMÉSTICOS SILVESTRES
CÓDIGO
0040044
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

O conteúdo será apresentado comparando cada um dos sistemas que compõem o corpo dos vertebrados, evidenciando semelhantes e diferentes, que se constroem no binômio “forma & função”, e que se expressam através das variações anatômicas encontradas. O detalhamento será abordado fundamentalmente nos animais domésticos, mas, quando necessário, serão realçados exemplos nas várias espécies do Reino Animal. O conteúdo será apresentado dividindo-se o tempo entre aulas teóricas e práticas, fazendo-se uso do acervo prático da disciplina de Anatomia dos Animais Domésticos.

Objetivos

Objetivo Geral:

Oferecer aos alunos do Curso de Biologia os princípios fundamentais de construção do corpo dos vertebrados, expressos nas variações morfológicas nos animais domésticos e, quando necessário, também nos animais silvestres.

Conteúdo Programático

- Planos e eixos de construção do corpo dos vertebrados
I. Planos de construção
a) Dorsal
b) Ventral
c) Lateral
d) Medial
e) Cranial
f) Caudal
II. Eixos de construção
a) Crânio-caudal
b) Dorso-ventral
c) Látero-lateral
III. Termos de orientação
a) Cranial
b) Caudal
c) Lateral
d) Medial
e) Intermédio
f) Dorsal
g) Ventral
IV. Princípios de construção do corpo dos animais
a) Antimeria
b) Metameria
c) Paquimeria
- Osteologia
I. Osso
a) Conceituação
b) Metabolismo ósseo
i. Osteoclastos
ii. Osteoblastos
c) Constituição
i. Osteona
ii. Lamelas ósseas
iii. Canais de Havers
iv. Canais de Folkmann
v. Fibras de Sharpey
d) Classificação quanto à forma
II. Esqueleto
a) Divisão didática
i. Axial
ii. Apendicular
iii. Visceral
b) A forma constituída a partir na função no esqueleto
- Artrologia
I. Generalidade
II. Classificação das articulações
a) Fibrosas
b) Cartilagíneas
c) Sinoviais
III. Articulações sinoviais
a) Cápsula sinovial
b) Membrana sinovial
c) Membrana fibrosa
d) Fluido sinovial
e) Cartilagem articular
f) Meniscos
g) Discos
h) Ligamentos
IV. Estudo das articulações do corpo dos vertebrados
- Miologia
I. Generalidades
II. Divisão didática
a) Músculo liso
b) Músculo cardíaco
c) Músculo esquelético
III. Constituição
a) Fibra muscular
b) Miofibrilas
c) Miofilamentos
d) Sarcolema
e) Endomísio
f) Perimísio
g) Epimísio
- Sistema digestório
I. Generalidades
II. Divisão didática
a) Boca
b) Faringe
c) Esôfago
d) Estômago
e) Intestino delgado
f) Intestino grosso
g) Ânus
h) Cloaca
i) Glândulas anexas
i. Salivares
ii. Fígado
iii. Pâncreas
III. Boca
a) Limites
b) Dentes
c) Língua
IV. Dentes
a) Constituição
i. Esmalte
ii. Cemento
iii. Dentina (marfim)
b) Heterodontia
i. Incisivos
ii. Caninos
iii. Pré-molares
iv. Molares
c) Descrição
i. Coroa
ii. Colo
iii. Raiz
iv. Cavidade dentária
v. Polpa
d) Classificação quanto à coroa
i. Hipsodontes
ii. Braquiodontes
V. Língua
a) Funções
b) Papilas
VI. Glândulas salivares
a) Parótida
b) Sublingual
c) Mandibular
d) Zigomática
VII. Faringe
a) Funções
b) Orifícios
VIII. Esôfago
a) Funções
IX. Cavidade abdominal
X. Estômago
a) Classificação
i. Monocavitários
1. Simples
2. Composto
ii. Pluricavitários
XI. Intestino delgado
a) Duodeno
b) Jejuno
c) Íleo
XII. Intestino grosso
a) Ceco
b) Colon
c) Reto
d) Ânus
XIII. Fígado
a) Considerações gerais
b) Funções
XIV. Pâncreas
a) Endócrino
b) Exócrino
- Sistema respiratório
I. Considerações gerais
II. Divisão didática
a) Cavidade nasal
b) Faringe
c) Laringe
d) Traquéia
e) Brônquios
f) Pulmões
III. Cavidade nasal
a) Funções
b) Cornetos nasais
c) Cornetos etmoidais
IV. Laringe
a) Cartilagens
i. Epiglote
ii. Cricóide
iii. Tireóide
iv. Aritenóides
V. Traquéia
VI. Cavidade torácica
VII. Brônquios
VIII. Pulmões
- Sistema urinário
I. Considerações gerais
II. Divisão didática
a) Rins
b) Ureteres
c) Bexiga
d) Uretra
III. Rins
a) Constituição
i. Cápsula adiposa
ii. Cápsula renal
iii. Zona cortical
1. Glomérulo
iv. Zona medular
1. Túbulos contorcidos proximais
2. Túbulos contorcidos distais
IV. Bexiga
- Sistema genital feminino
I. Considerações gerais
II. Divisão didática
a) Ovários
b) Tubas uterinas
c) Útero
d) Genitália externa
i. Vagina
ii. Vestíbulo vaginal
iii. Vulva
III. Ovários
a) Constituição
i. Zona cortical
ii. Zona medular
b) O ovário da égua
IV. Tuba uterina
a) Funções
V. Útero
a) Cornos uterinos
b) Corpo uterino
c) Cérvix
VI. Vagina
VII. Vestíbulo vaginal
VIII. Vulva
a) Clitóris
- Sistema genital masculino
I. Generalidades
II. Constituintes
1. Testículos
2. Epidídimo
3. Ductos deferentes
4. Glândulas anexas
4.1. Próstata
4.2. Vesicular (vesículas seminais)
4.3. Glândulas bulbouretrais
5. Pênis
5.1. Uretra masculina
III. Testículos
1. Descrição
2. Estruturatos
3. Vasos
3.1. Artéria testicular
3.2. Veia testicular (plexo pampiniforme)
IV. Epidídimo
V. Ducto deferente
VI. Migração testicular
VII. Escroto
1. Pele
2. Túnica dartus
3. Fáscia espermática externa
VIII. Envoltórios testiculares
1. Músculo cremáster
2. Fáscia espermática interna
3. Túnica vaginal parietal
a. Canal vaginal
b. Cavidade vaginal
4. Túnica vaginal visceral
5. Túnica albugínea
1. do testículo
IX. Cordão (funículo) espermático
X. Controle de temperatura testicular
1. Localização dos testículos
2. Pele
3. Pelagem – variações sazonais
4. Músculos dartus
5. Músculos cremáster
6. Plexo pampiniforme
XI. Glândulas anexas
1. Vesicular
2. Próstata
3. Bulbouretras
XII. Pênis
1. Descrição
2. Estrutura
3. Prepúcio
XIII. Uretra
XIV. Diferenças nas espécies
- Sistema nervoso
I. Generalidades/filogenia
1. Relação com o meio ambiente
1.1. Sensibilidade – percepção das alterações ocorridas no meio ambiente (troca de temperatura, luminosidade, pressão de O2, etc.)
1.2. Condutividade – transmissão da percepção de alteração do meio ambiente até um centro nervoso para interpretação do estímulo.
1.3. Resposta – alteração ocorrida no organismo (contração, relaxamento) como adequação ou não ao estímulo.
2. Neurônio
2.1. Morfologia
2.1.1. Corpo celular ou pericário
2.1.2. Axônio (do grego àxon = eixo)
2.1.3. Dendrito (do grego déndron = árvore)
2.2. Classificação quanto à morfologia
2.2.1. Neurônios multipolares
2.2.2. Neurônios bipolares
2.2.3. Neurônios pseudo-unipolares
2.3. Classificação quanto à função
2.3.1. Sensitivo – aferente
2.3.2. Motor – eferente
2.3.3. Associação – internuncial
3. Sinapse
3.1. Classificação quanto aos elementos contactantes
3.1.1. Interneurais – neurônio com neurônio
3.1.2. Neuroefetuadoras (junções neuroefetuadoras) – neurônio com glândula, músculo liso, cardíaco ou esquelético.
3.2. Classificação quanto ao modo de funcionamento
3.2.1. Sinapses elétricas – junção se dá através de canais iônicos, troca de íons entre as células.
3.2.2. Sinapses químicas – dependente da liberação de substância química, o neurotransmissor.
4. Arco reflexo
4.1. Interssegmentar
4.2. Intrassegmentar
II. Nomenclatura
1. Corpo celular ou pericário
2. Fibra
3. Núcleo
4. Gânglio
5. Fascículo, tractos, vias e feixes
6. Nervo periférico
7. Substância branca
8. Substância cinzenta
III. Embriologia
1. Folhetos embrionários
1.1. Ectoderma
1.2. Mesoderma
1.3. Endoderma
2. Placa neural
3. Sulco neural
4. Goteira neural
5. Tubo neural (SNC)
6. Crista neural (SNP)
6.1. Gânglios sensitivos dorsais
6.2. Gânglios paravertebrais (sistema nervoso simpático)
6.3. Gânglios viscerais (sistema nervoso parassimpático – sistema nervos entérico)
IV. Dilatações do tubo neural
1. Encéfalo primitivo (arquencéfalo)
1.1. Prosencéfalo
1.2. Mesenséfalo
1.3. Rombencéfalo
V. Divisão embriológica do SN
1. Prosencéfalo
1.1. Telencéfalo (significa extremo)
1.2. Diencéfalo (compreende tálamo, hipotálamo, epitálamo e metatálamo)
2. Mesencéfalo
3. Rombencéfalo
3.1. Metencéfalo (cerebelo e ponte)
3.2. Mielencéfalo (medula oblonga)
VI. Divisão anatômica
1. Sistema nervoso central
1.1. Encéfalo
1.1.1. Cérebro (compreende hemisférios e corpo caloso)
1.1.2. Cerebelo
1.1.3. Tronco encefálico
- mesencéfalo
- ponte
- bulbo (medula oblonga)
1.2. Medula espinhal
2. Sistema nervoso periférico
2.1. Nervos
2.1.1. Crânicos
2.1.2. Espinhais
2.2. Gânglios
2.3. Terminações nervosas
VII. Divisão funcional
1. Sistema nervoso somático
1.1. Aferente – receptores periféricos
1.1.1. Pressoceptores (pressão)
1.1.2. Termoceptores (temperatura)
1.1.3. Nocioceptores (dor)
1.2. Eferente – atua através do NMI*
1.2.1. Receptores em músculo esquelético (estriado)
2. Sistema nervoso visceral
2.1. Aferente (visceroceptores)
2.1.1. Baroceptores (receptores de pressão no seio carotídeo)
2.1.2. Quimioceptores (receptores da taxa de O2 no glomo carotídeo)
2.2. Eferente – atua através do neurônio motor visceral
2.2.1. Divisão
2.2.1.1. Simpático (atua em glândula, músculo liso e músculo cardíaco)
2.2.1.2. Parassimpático (idem ao anterior)
2.2.1.3. Sistema nervoso entérico (atua no sistema digestório)
2.2.1.4. Sistema nervoso cardíaco (atua no coração)
3. Considerações sobre:
3.1. Neurônio Motor Superior (NMS)
3.2. Neurônio Motor Inferior (NMI)
4. Comparação entre:
4.1. S. N. somático aferente
4.2. S. N. visceral aferente
5. Comparação entre:
5.1. S. N. somático eferente
5.2. S. N. visceral eferente
VIII. Divisão segmentar (metamérica)
1. S. N. segmentar
1.1. S. N. periférico
1.2. Medula espinhal
1.3. Tronco encefálico
2. S. N. supra-segmentar
2.1. Cérebro
2.2. Cerebelo
IX. Organização morfo-funcional
1. S. N. segmentar
2. S. N. supra-segmentar
3. Vias ascendentes
4. Vias descendentes
X. Medula espinhal
1. Generalidades
2. Forma
3. Localização
4. Extremidades
4.1. Bulbo
4.2. Cone medular
4.3. Filamento terminal
4.4. Cauda equina
- Sistema circulatório
I. Generalidades
1. Órgãos da circulação (sistema vascular sanguineo e linfático)
2. Sistema vascular sanguineo
2.1. Coração
2.2. Vasos sanguineos
3. Sistema vascular linfático
II. Coração
1. Descrição
1.1. Átrios
1.2. Ventrículos
III. Circulação
1. Circulação sistêmica (grande circulação)
2. Circulação pulmonar (pequena circulação)
IV. Vascularização do coração
1. Artérias Coronárias
2. Veias cardíacas

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BANKS, W. J.: (1992) Histologia Veterinária Aplicada. Second Edition. Editora Manole Ltda. São Paulo.
  • DYCE, K. M.; SACK, W. O.; WENSING, C. J. G.: (1987) Tratado de Anatomia Veterinária. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro.
  • ELLENBERGER, W.; BAUM, H.: (1977) Handbuch der Vergleichenden Anatomie der Haustiere. 18ª Ed. Spring-Verlag. Berlin.
  • HOFMANN, R. R.: The Ruminant Stomach. Volume 2. East African Literature Bereau. 1973.
  • KOCH, T.; BERG, R.: (1990) Lehrbuch der Veterinär-Anatomie. Gustav Fischer Verlag Jena.
  • KÖNIG, H. E.; LIEBICH, H. G.: (1999) Anatomie der Haussäugertiere. Lehrbuch und Farbatlas für Studium und Praxis. Band II. Schattauer. Stuttgart.
  • LIEBICH, H. G.: (1999) Funktionelle Histolgie der Haussäugetiere Lehrbuch un Farbatlas für Studium un Praxis. Schattauer. Stuttgart – New York.
  • NICKEL, R.; SCHUMMER, A.; SEIFERLE, E.: (1979) The Viscera of the Domestic Mammals. 2ª Ed. Verlag Paul Parey. Berlim Hamburg.
  • SCHWARZE, E.; SCHRÖDER, L.: (1970) Conpendio de Anatomia Veterinária. Tomo II. El Sistema Visceral. Editorial Acribia. Zaragoza.
  • SISSON, S.; GROSSMAN, J. D.: (1953) The Anatomy of the Domestic Animals. Fourth Edition. W. B. Saunders Company. Philadelphia.

Página gerada em 12/12/2018 08:48:38 (consulta levou 0.090956s)