Nome da Disciplina
DIDÁTICA DO ENSINO DE CIÊNCIAS
CÓDIGO
0030058
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Ensino de Ciências – perspectivas históricas; livros de Ciências – análise; Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) de Ciências; projetos de ensino de Ciências; planejamento de atividades de ensino de Ciências; dificuldades de aprendizagem em Ciências; o laboratório de Ciências e materiais alternativos; currículo e avaliação em Ciências.

Objetivos

Objetivo Geral:

1. Planejar atividades teóricas e práticas para o ensino de Ciências.
2. Identificar e analisar as idéias prévias dos alunos.
3. Discutir as principais dificuldades para a aprendizagem de Ciências.
4. Conhecer as construções curriculares de forma histórica;
5. Relacionar e (re)conhecer as diversas construções curriculares de acordo com os seus respectivos referenciais teóricos da educação, psicologia, filosofia da ciência e sociologia;
6. Identificar necessidades e possibilidades para o ensino de Ciências;
7. Analisar recursos didáticos, sua validação e utilização no universo escolar, com destaque para os parâmetros curriculares nacionais.

Conteúdo Programático

1. Ensino de Ciências – perspectivas históricas;
2. Livros de Ciências – análise;
3. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) de Ciências;
4. Projetos de ensino de Ciências;
5. Planejamento de atividades de ensino de Ciências;
6. Dificuldades de aprendizagem em Ciências;
7. O laboratório de Ciências e materiais alternativos;
8. Currículo e avaliação em Ciências.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BRASIL. Lei nº. 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa as diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1971. Disponível em: http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/lresl_02.htm Acesso em: 09 jun. 2007.
  • BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.presidencia.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm Acesso em: 08 jan. 2005.
  • BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, DF: MEC/SEF, 1997.
  • BRASIL. Conselho Nacional de Educação (CNE). Proposta de diretrizes para a formação inicial de professores da educação básica, em cursos de nível superior, Brasília, DF, 2001. Disponível em: http://www.mec.gov.br/sesu/ftp/curdiretriz/ed_basica/ed_basdire.doc Acesso em: 08 jan. 2005.
  • BRASIL. Conselho Nacional de Educação (CNE). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, Brasília, DF, 2002. Disponível em: http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/lresl_02.htm Acesso em: 09 jun. 2007.
  • DELIZOICOV, Demétrio; ANGOTTI, José André e PERNAMBUCO, Marta Maria. Ensino de Ciências: Fundamentos e Métodos. São Paulo: Cortez, 2002.
  • DIAZ Maria Jesús. Enseñanza de las ciencias para que? Revista Electronica de Enseñanza de lãs Ciências, v. 1, n. 2, 2004.
  • PORLÁN, R.; RIVERO, A. El conocimiento de los profesores. Sevilla: Díada, 1998.
  • GIL, R. Formação inicial de professores de ciências biológicas: análise de uma hipótese curricular. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2007.
  • POZO, Juan Ignácio e GÓMEZ Crespo, Miguel Angel. Aprender e Ensenãr Ciência. Madri: Morata, 1998.
  • TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 5ª ed. Petrópolis: Vozes, 2002.
  • WORTMANN, Maria Lúcia. Os programas de ensino de ciências no Rio Grande do Sul. Educação e Realidade, 17(1), jan-jun/1992.

Página gerada em 18/12/2018 11:20:58 (consulta levou 0.105506s)