Nome do Projeto
Produção de recursos didáticos alternativos para o curso de Medicina Veterinária
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
21/03/2016 - 20/03/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Fisiopatologia da Reprodução Animal
Resumo
No curso de medicina veterinária, os animais são amplamente utilizados com propósitos educativos além das áreas biomédicas e biológicas em todos os níveis. Tendo como objetivo o uso dos animais ao processo de aprendizagem, considerando a forma de transmitir o conhecimento, demonstrar a dinâmica da vida (funcionamento de órgãos, fisiológicos ou patológicos), fornecer ao acadêmico possibilidade de treinar habilidades manuais e técnicas na sua formação, entre outros. Desta forma, está ocorrendo mudanças no aspecto educacional e pedagógico, com uma mudança de paradigma, considerando o modelo de utilização de um ser vivo para aula, um modelo arcaico, e sim um modelo baseado no respeito a vida e no bom senso. Conforme a legislação Brasileira (BRASIL 2002) a utilização indiscriminada de animais no ensino é uma questão legal. Sendo que a mesma prevê penalidades para o uso de animais sempre que houver métodos alternativos,conforme veremos abaixo a publicação da lei por extenso: Com o advento da Lei 9.605(30 de março de 1998), e cujo grande mérito foi o de transformar em crime o que antes era apenas uma contravenção, ou seja, a crueldade para com animais, a prática da vivissecção passou a ser considerada delituosa caso não adotados os métodos alternativos existentes tanto no Brasil como em vários outros países, conforme dispõe o artigo 32, § 1º: Artigo 32: Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa. § 1º – Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos. § 2º – A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal. Porém a utilização de métodos alternativos não dependem somente da vontade do professor. Métodos alternativos podem ser adquiridos, porém com valores muito aquem do orçamento da universidade.

Objetivo Geral

O presente projeto tem como objetivo desenvolver, disponibilizar e aplicar métodos alternativos na Disciplina de fisiopatologia da reprodução com o intuído de aprimorar o processo de ensino-aprendizagem, além de ensinar os alunos a pensar criticamente, comunicar de forma eficaz, e desenvolver as competências de investigação necessárias para uma carreira de sucesso.

Justificativa

O conceito da utilização de métodos complementares para evitar a utilização de animais, ganhou destaque após 1959 com a publicação "The Principles of Humane Experimental Technique" por Russel e Burch que preconizaram a utilização de técnicas humanitárias e com a consideração dos "3Rs".
Sendo 1º "R" ou "replacement" (substituição) demonstrando que se deve procurar
substituir a utilização de vertebrados por outros métodos que utilizem outros
materiais, o que pode incluir manequins etc.
O 2º "R" ou "reduction" (redução) indica que se deve procurar reduzir o
número de animais utilizados nas aulas práticas, o que é possível com uma
"escolha correta das estratégias"
O 3º "R" ou "refinement" (refinamento) indica que se deve procurar
minimizar ao máximo a quantidade de desconforto ou sofrimento animal.
Considerando relevante a utilização de drogas anestésicas ou analgésicas
Desta forma fica cada vez mais necessário a formação de recursos complementares que auxiliem o acadêmico em sua vivência de exames clínicos, porém sem a necessidade de ter um animal presente. Muitos recursos didáticos podem ser adquiridos no mercado, porém com as restrições orçamentárias que a universidade pública se encontra. Devemos buscar formas de promover esses métodos alternativos, para que a educação e formação adequadas dos egressos da UFPel prevaleça além de ter uma postura mais ética perante a sociedade da utilização de animais.

Metodologia

Para a elaboração de material didático auxiliar ou complementar, chamados de material paradidático, cuja idéia central é explorar as diversas formas de aprendizado do ser humano. Uma das formas de evitar a evasão e/ou a repetência consiste em fornecer subsídios adequados às diferentes preferências de aprendizado e não apenas às preferências auditivas e Ler/Escrever, como ocorre tradicionalmente. Neste contexto, pretende-se elaborar mídias visuais e escritas complementares às expostas em aula que possam contribuir para desenvolver as demais inteligências nos estudantes.
Além do desenvolvido modelos tridimensionais (BELTRAMINI et al., 2006) e semi-planos a serem colocados a disposição dos estudantes no laboratório de do curso, com a idéia de incentivar, despertar a curiosidade e melhorar o conhecimento e aproveitamento desta disciplina. Modelos de animais que permitam a passagem de sondas, palpações de gestações e outros procedimentso considerados invasivos.

Resultados Esperados

O resultado e impacto mais importante é formação de material paradidático que irá reduzir o número de animais vivos e qualificar as aulas práticas sem que existe algum tipo de constrangimento ao acadêmico.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA LUCIA PEREIRA SCHILD421/03/201620/03/2019
ANDREZA BERNARDI DA SILVA2004/05/201831/12/2018
ANTONIO SERGIO VARELA JUNIOR2
ARNALDO DINIZ VIEIRA121/03/201631/12/2017
BERNARDO GARZIERA GASPERIN121/03/201620/03/2019
BETINA MIRITZ KEIDANN2005/06/201729/12/2017
CARINE DAHL CORCINI321/03/201620/03/2019
CRISTINA GEVEHR FERNANDES121/03/201620/03/2019
DIEGO MARTINS PIRES221/03/201620/03/2019
EDENARA ANASTÁCIO DA SILVA1021/03/201620/03/2019
EUGENIA TAVARES BARWALDT305/06/201729/12/2017
FABIANE BORELLI GRECCO121/03/201620/03/2019
FERNANDA AGUIAR MACHADO2004/05/201831/12/2018
FRANCISCO DE ASSIS ARAÚJO CAMELO JÚNIOR2021/03/201620/03/2017
JOSIANE BONEL121/03/201620/03/2019
LUÍSA GRECCO CORRÊA2021/03/201729/12/2017
MARIANA TEIXEIRA TILLMANN2
MONIKE QUIRINO DOS SANTOS521/03/201620/03/2017
NIKOLAS GIANOUKAS LEVIN2021/03/201620/12/2016
RUTIÉLE NOLASCO RICKES2021/03/201620/12/2016
TALITA LOBO OCHÔA2005/06/201729/12/2017

Página gerada em 24/10/2019 01:56:44 (consulta levou 1.149933s)