Nome do Projeto
Grupo de Estudos sobre Adoecimento e Final de Vida (GEAFI)
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
26/10/2017 - 04/10/2018
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Enfermagem
Resumo
A morte apresenta-se como um enigma para a existência humana. Inúmeras foram e são as tentativas de explicá-la, conceituá-la e entendê-la (ARIES, 2000). Até meados do século XX esse evento acontecia a partir do investimento do outro, ou seja, as decisões sobre como, quando e onde se morreria, dependiam da intervenção de alguém. Durante a Idade Média, o pastorado, por meio dos discursos religiosos, conduzia a vida e se apropriava da morte. Com o advento do poder soberano e, posteriormente, com o nascimento da clínica médica, se estabelece um tipo de poder que incide sobre os corpos e atua na lógica do deixar morrer, fazer viver. Ou seja, era necessário preocupar-se com a vida da população, com os aspectos relacionados à saúde, à alimentação e ao saneamento básico, tudo isso com vistas a prolongar o existir, evitando-se a morte. Em meio a esse cenário, o hospital surge como um local que serve de abrigo para as questões de saúde e finitude (FOUCAULT, 2004;2008). Atualmente, o processo de morrer ainda desenvolve-se majoritariamente no hospital. Com as transformações nas áreas da biologia, da tecnologia, da medicina e na área social, foi possível prolongar não somente a vida, mas também o final de vida, que em períodos anteriores era vivenciado em um tempo cronologicamente mais curto (CASTRA,2003). Evidencia-se que as pessoas que apresentam uma doença grave que ameaça a vida acabam vivendo mais. Na maioria das vezes, este tempo é partilhado entre o hospital e o e o domicílio. Tal situação exige que os profissionais de saúde estejam preparados para lidar com as demandas que surgem no decorrer do processo de finitude. Essas demandas se relacionam tanto com aspectos físicos como com aspectos emocionais e sociais. Assim, mostra-se necessário diálogo e problematizações sobre o processo de adoecimento e o final da vida, tanto entre os profissionais de saúde como entre os estudantes dos diferentes níveis de ensino, como graduação, especialização stricto sensu e latu sensu.

Objetivo Geral

Dialogar sobre os aspectos multidimensionais envolvidos no processo de adoecimento e nas situações de final de vida

Justificativa


O currículo integrado, aprovado e desenvolvido pela Faculdade de Enfermagem da UFPEL, tem por objetivo formar enfermeiros generalistas, capazes de atender as demandas de saúde e doença da população atendida pelo SUS. Trata-se de um modelo de ensino que respalda-se no pensamento crítico, propondo a aproximação dos diferentes conhecimentos desenvolvidos com os estudantes ao longo da formação (SOUSA et al, 2016). “A integração dos conteúdos se relaciona a uma ideia; os diferentes conteúdos são partes de um todo, e cada função dessas partes é explicar o todo, não havendo redução da autonomia do conteúdo”(SOUSA et al, 2016, p.236).
Nesse sentido, pensa-se ser interessante abordar a temática do final da vida, nas diferentes etapas de formação do estudante de enfermagem, mas também dos demais estudantes da área da saúde. Essa abordagem pode ser realizada desde as aulas de anatomia, quando ocorrem os primeiros contatos com os corpos mortos, passando pelo contato nos serviços da atenção básica ou hospitalar com as pessoas que apresentam uma doença que ameaça a continuidade da vida, até os momentos de orientação junto as pessoas cuidadas e suas famílias.
Com o Grupo de Estudos sobre Adoecimento e Final de vida (GEAFI), propõe-se uma abordagem transversal do tema, a qual será realizada por meio de discussões em encontros. Os encontros serão abertos para a comunidade acadêmica, para os residentes médicos e multiprofissionais, além dos profissionais de saúde atuantes no Hospital Escola UFPel/EBSERH. Dessa forma, visa-se aproximar os aspectos teóricos sobre o adoecimento e o final da vida com as vivências e experiências dos acadêmicos, estudantes de residências e dos profissionais, favorecendo o diálogo sobre temática pertinente no sistema de saúde e nas políticas públicas do Brasil e dos demais países.

Metodologia

O grupo terá encontros para discussões coletivas nas dependências do Hospital Escola UFPel/EBSERH, sala de ensino III, com frequência quinzenal. Os encontros terão duração de uma hora, sendo realizados entre 11:00 e 12:00, nas quintas-feiras. Nas semanas que intercalam os encontros para discussão coletiva poderão ser realizados encontros individuais com vistas a suprir as demandas que emergirem a partir do desenvolvimento e estruturação do grupo.
Destaca-se que no segundo semestre de 2017 os encontros terão como principal metodologia a exposição dialogada de profissionais experts em temáticas relacionadas ao adoecimento e final de vida. Posteriormente, serão realizadas leituras dirigidas de documentos, protocolos e manuais. Em cada encontro, um participante será o responsável por conduzir o debate acerca do material recomendado para leitura.
A divulgação dos encontros será realizada em mídias sociais como Facebook e Whatsapp, além da divulgação impressa por meio de cartazes nas dependências do Hospital Escola UFPel/EBSERH, da Faculdade de Enfermagem e da Faculdade de Medicina da UFPel. Também será criado um site do Grupo de Estudos, visando a circulação dos materiais a serem discutidos e o compartilhamento de documentos que possam ser de interesse comum no que tange as questões relativas ao adoecimento e final de vida.
Destaca-se que em cada encontro será coletada a assinatura dos presentes, visando a elaboração de certificados de participação na atividade de ensino. O conteúdo dos encontros também serão registrados em livro Ata. Será disponibilizado certificado de duas horas (tempo de leitura+tempo de discussões coletivas) para as pessoas que participarem das atividades propostas.

Resultados Esperados

Por meio do grupo de estudos, espera-se atingir os seguintes resultados:

- Despertar o interesse dos acadêmicos da área da saúde para o processo de adoecimento e o final da vida

- Subsidiar teoricamente os acadêmicos da área da saúde para o cuidado ao adulto e idoso em situação de adoecimento e final de vida no ambiente hospitalar

- Aproximar da pesquisa e da literatura sobre o adoecimento e o final da vida, profissionais de saúde atuante no Hospital Escola UFPel/EBSERH, acadêmicos dos cursos de graduação e, estudantes dos cursos de residência médica e residência multiprofissional em saúde

- Possibilitar a vivência dos estudantes junto aos profissionais que atuam na equipe de consultoria em cuidados paliativos, por meio da participação em rounds, visitas, entre outras atividades

- Desenvolver uma cultura de trabalho em equipe, desde a formação, para a atuação em situações de adoecimento e final de vida

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIELI TIMM OLIVEIRA126/10/201704/10/2018
AMANDA MORÁSTICO110/05/201804/10/2018
ANA CRISTINA FRAGA DA FONSECA126/10/201704/10/2018
ANA CRISTINA FRAGA DA FONSECA126/10/201704/10/2018
BARBARA PEREIRA TERRES2
BARBARA RESENDE RAMOS1
BERLANNY CHRISTINA DE CARVALHO BEZERRA1
CAMILA DOS SANTOS LEITE126/10/201704/10/2018
DOUGLAS BENTO DAS CHAGAS1
FERNANDA SANTANA TRISTAO126/10/201704/10/2018
FERNANDA WESTPHAL HAHN126/10/201704/10/2018
FRANCIELE ROBERTA CORDEIRO226/10/201704/10/2018
FRANCIELLY ZILLI126/10/201704/10/2018
JAMILE LAIS BRUINSMA115/03/201804/10/2018
JULIANA GRACIELA VESTENA ZILLMER126/10/201704/10/2018
JULIANA ZEPPINI GIUDICE116/11/201704/10/2018
JULIANE GUERRA GOLFETTO1
JULIETA MARIA CARRICONDE FRIPP126/10/201704/10/2018
LILIAN MOURA DE LIMA SPAGNOLO126/10/201704/10/2018
MAIARA SIMÕES FORMENTIN126/10/201704/10/2018
MONIKE CRUZ MARTINS107/06/201804/10/2018
RAYSSA DOS SANTOS MARQUES207/06/201804/10/2018
SILVIA FRANCINE SARTOR126/10/201704/10/2018
STEFANIE GRIEBELER OLIVEIRA126/10/201704/10/2018
SUELE MANJOURANY SILVA DURO126/10/201704/10/2018
VANESSA PELLEGRINI FERNANDES1

Página gerada em 13/11/2019 07:43:45 (consulta levou 0.061452s)