Nome do Projeto
Monitoria na Disciplina de Bases da Técnica Cirúrgica e Anestesia (B.T.C.A.)
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
01/05/2018 - 21/12/2018
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Resumo
A Disciplina de Técnica Cirúrgica tem a finalidade abordar os princípios teóricos e práticos da Técnica Cirúrgica como uma das bases da formação do médico geral, sendo o braço terapêutico, resolutivo e de desenvolvimento da Cirurgia. Também é o ponto de partida para uma especialidade segura e eficaz. Em cirurgia, a técnica utilizada influencia na duração do ato cirúrgico, no tempo de hospitalização, assim como no impacto da recuperação e qualidade da vida pós-cirúrgica, sendo, portanto, fundamental o seu treinamento. Ao estabelecer conceitos e princípios básicos das operações fundamentais, a Disciplina se propõe a criar as bases de um conhecimento sólido para execução dos procedimentos mínimos. Esses são indispensáveis para a formação do médico com conhecimentos cirúrgicos suficientes para o exercício profissional geral nas comunidades. O ensino da cirurgia sob o ponto vista didático e formativo, distingue-se em duas partes fundamentais; a que deve ser ministrada na graduação, cognominada Bases da Cirurgia, ensinada como área básica do ensino e indispensável à formação do médico geral, e a que deve ser aprendida e desenvolvida pelo cirurgião, como especialidade, cognominada Cirurgia Geral. Na graduação, o aluno prepara-se para fazer uma sutura, exérese de uma lesão benigna, fazer uma biópsia, proceder um acesso venoso por dissecção ou por punção percutânea, realizar um procedimento salva-vidas na urgência como a traqueostomia, de modo a formar um profissional qualificado a desenvolver, em cirurgia, as bases comuns a todas as especialidades para um atendimento rotineiro na clínica cotidiana. O ensino da cirurgia, desta maneira, se depara com um contínuo desafio em criar as bases indispensáveis à formação médica. Na formação do aluno, visa-se o aprendizado de procedimentos mínimos e básicos em etapas progressivamente mais complexas para compor o médico.

Objetivo Geral

a) possibilitar o aprofundamento nos conhecimentos teórico-práticos em que o monitor estiver
desenvolvendo a Monitoria, contribuindo para a formação acadêmica do aluno;
b) contribuir com a qualidade do ensino na graduação, ao apoiar professores e estudantes no
desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem;
c) incentivar a formação do estudante para o exercício de atividades concernentes ao processo de ensino e aprendizagem, contribuindo para o desenvolvimento de aptidões para a docência do aluno

Justificativa

A monitoria é uma modalidade de ensino e aprendizagem que contribui para a formação integrada do aluno nas
atividades de ensino, pesquisa e extensão do curso de graduação. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional –
LDB (Lei nº 9.394/96) legitima a importância da atividade de monitoria na formação dos estudantes do ensino superior
quando prevê que “os discentes da educação superior poderão ser aproveitados em tarefas de ensino e pesquisa pelas
respectivas instituições, exercendo funções de monitoria, de acordo com seu rendimento e seu plano de estudos”. O
Decreto 7.416 de 30/12/2010 regula concessão de bolsas para desenvolvimento de atividades de ensino e extensão
universitária. Ela é entendida como instrumento para a melhoria do ensino de graduação, através do estabelecimento
de novas práticas e experiências pedagógicas que visam fortalecer a articulação entre teoria e prática e a integração
curricular em seus diferentes aspectos, e tem a finalidade de promover a cooperação mútua entre discente e docente e
a vivência com o professor e como as suas atividades técnico-didáticas. As monitorias são ferramentas importantes na
consolidação dos conhecimentos práticos adquiridos na disciplina.
A importância da monitoria nas disciplinas do ensino superior extrapola o caráter de obtenção de um título. Sua importância vai mais além, seja no aspecto pessoal de ganho intelectual do Monitor, seja na contribuição dada aos alunos monitorados e, principalmente, na relação de troca de conhecimentos, durante o programa, entre professor orientador e aluno monitor. O aluno monitor experimenta em seu trabalho docente, de forma amadora, as primeiras alegrias e dissabores da profissão de professor universitário durante o programa de monitoria. O fato de estar em contato direto com alunos na condição, também de acadêmico, propicia situações inusitadas do aprendizado.

Metodologia

A carga horária do monitor será de 20 horas semanais, distribuída entre atividades em sala de aula e de reforço extraclasse.
No laboratório de habilidades, o monitor desenvolverá um trabalho de apoio ao professor, dando suporte individualizado aos alunos nas várias estações de trabalho. Nessas estações, são praticadas repetidamente as várias técnicas de suturas cirúrgicas, reconhecimento de material cirúrgico básico e especial, fios cirúrgicos e sua aplicabilidade, as várias
técnicas de nós cirúrgicos, exercícios de mímica cirúrgica, paramentação e escovação e procedimentos básicos.
No plano teórico, o monitor prestará auxílio aos alunos para o preenchimento dos relatórios referentes às cirurgias assistidas, organização de seminários e discussão de cirurgias em vídeo.
Os monitores farão um relatório final de suas atividades e descrevendo sua experiência pessoal no processo de ensino-aprendizagem, na inter-relação monitor-aluno-professor e sugestões que contribuam para o crescimento da Disciplina.

Resultados Esperados

O resultado esperado é um aprofundamento nos conhecimentos teóricos e práticos, traduzindo-se por uma sedimentação dos procedimentos básicos executados dentro dos critérios das melhores práticas e princípios da cirurgia segura.
Maior desenvoltura nas atividades de bloco cirúrgico e capacidade de expressar um tema em sala de aula, através dos vários recursos metodológicos da pedagogia médica.
O impacto na formação acadêmica dos alunos da graduação se traduz pela segurança e capacitação adequada que será necessária e aferida no internato através exercício da atividade clinico-cirúrgica competente e ética junto aos pacientes e seus familiares.
A avaliação do impacto do Projeto na formação dos monitores será quantificada através de uma planilha de avaliação
preenchida no final do programa.

Indicadores, Metas e Resultados

A Disciplina de BTCA é essencialmente prática. A Turma é subdividida em 2 grupos para as aulas práticas. Cada aula prática tem duração de duas horas e consiste no treinamento de vários procedimentos cirúrgicos básicos. Há aulas de reforço adicionais de 4 horas nos demais dias da semana. Esse treinamento é individualizado e dependente da habilidade prévia de casa aluno. Os procedimentos consistem em adestramento nas várias técnicas de nós, nas várias
técnicas de sutura, reconhecimento de cada fio cirúrgico, mímica cirúrgica, paramentação, escovação e atividade em Bloco Cirúrgico.
As atividades práticas compreendidas pela observação de procedimentos, treinamento repetitivo em plataformas, estações de trabalho e em manequins, discussão de atos cirúrgicos apresentados em vídeo

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALVARO EIJI KUMM KURIYAMA1001/05/201828/07/2018
ANA PAULA WINK1001/05/201828/07/2018
BETINA MARIA GIORDANI1001/05/201821/12/2018
BRUNA MORAES GASS1001/05/201828/07/2018
BRUNO NOSCHANG BLAAS1001/05/201821/12/2018
CAROLINA SILVEIRA DA SILVA1016/08/201821/12/2018
FELIX ANTONIO INSAURRIAGA DOS SANTOS1001/05/201821/12/2018
JAIRO ROBERTO RODRIGUES RUBIRA2001/05/201821/12/2018
MATHEUS PRESTES BAPTISTA1016/08/201821/12/2018
PEDRO HENRIQUE ONGARATTO BARAZZETTI1001/05/201821/12/2018
RENATA BACKES SCHREINER2016/08/201821/12/2018
SERGIO ALBERTO LANDO BORGES1001/05/201821/12/2018
THAIS VICENTINE XAVIER401/05/201821/12/2018
THIAGO GONZALEZ BARBOSA E SILVA1001/05/201821/12/2018

Página gerada em 22/08/2019 12:47:35 (consulta levou 0.053617s)