Nome do Projeto
Laboratório de Relações Raciais, Direitos Humanos e Direitos da Criança e do Adolescente (Lab R2D2)
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
01/06/2018 - 01/06/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Psicologia
Resumo
Em seu livro seminal “A natureza do preconceito” (Em inglês, “The nature of prejudice”, 1954), Gordon Allport definiu o preconceito como um sentimento de antipatia direcionada a um grupo social. Desde então, a definição de preconceito sofreu algumas transformações e, hoje, uma de suas concepções possíveis refere-se a uma avaliação negativa relativa a grupos sociais (Eagly & Diekman, 2005) influenciada por viéses no contexto das relações intergrupo (Dovidio & Gaertner, 2010). Essa avaliação negativa tem como consequência a preferência por um grupo em relação a outro. No caso específico do preconceito racial, o objeto da atitude são grupos raciais. O preconceito racial tem sérias consequências tanto para o desenvolvimento dos indivíduos alvos de discriminação como para a sociedade como um todo e, neste sentido, constitui uma séria violação dos direitos humanos. A compreensão da dinâmica do desenvolvimento das atitudes raciais é fundamental para um entendimento mais amplo sobre os processos discriminatórios que ocorrem na sociedade. De acordo com o senso comum, as crianças desenvolvem preferência por um grupo ou por outro e se tornam preconceituosas em virtude da influência de pais e familiares. É provável, contudo, que o desenvolvimento de preconceito racial seja mais complexo do que uma mera repetição de padrões observados no ambiente familiar e esteja relacionado a fatores como relações intergrupo, contexto cultural e percepção de dominância social. Além disso, apesar de a aprendizagem social evidentemente desempenhar um papel importante neste processo, ela parece não ocorrer de maneira tão lenta como imaginado anteriormente. As crianças apresentam algumas preferências raciais definidas desde pequenas, o que pode ter influência direta sobre a forma como a sociedade compreende o preconceito bem como sobre a elaboração de políticas públicas direcionadas a essa temática.

Objetivo Geral

Apresentar conceitos básicos e discutir criticamente as relações raciais à luz dos conhecimentos advindos da ciência psicológica e dos direitos humanos.

Justificativa

O principal retorno que a comunidade científica pode dar aos investimentos da sociedade é produzir conhecimentos socialmente relevantes, que contribuam, por exemplo, para a promoção de qualidade de vida e para a diminuição das intensas desigualdades que caracterizam o nosso país. O preconceito e a discriminação racial têm consequências nefastas para a sociedade e entender como esses fenômenos ocorrem e quais são as suas consequências é essencial para que sejam formuladas políticas públicas efetivas nessa área. O Laboratório de Relações Raciais, Direitos Humanos e Direitos da Criança e do Adolescente (Lab R2D2) pretende discutir questões relacionadas às relações raciais à luz dos conhecimentos advindos da ciência psicológica e dos direitos humanos.
A produção de conhecimento científico só alcança o seu objetivo final quando cumpre o seu papel social. A Psicologia tem um enorme potencial para produzir conhecimentos sólidos, que, fundamentados em princípios metodológicos adequados, sirvam de base para a implementação de políticas públicas efetivas, baseadas mais na ciência e menos em senso comum. Para isso, no entanto, é indispensável a integração de conhecimentos entre as diversas áreas da ciência psicológica, algo que este projeto pretende oferecer aos alunos do curso de Psicologia da UFPel.

Metodologia

Leituras e debates sobre textos clássicos e estudos científicos contemporâneos. Apresentação e discussão de casos.

Resultados Esperados

Espera-se que as(os) alunas(os) participantes do Lab R2D2 estejam a par tanto dos conceitos e debates clássicos quanto dos estudos científicos mais atuais no que diz respeito às relações raciais, aos direitos humanos e aos direitos da criança e do adolescente. Mais do que isso, espera-se que tenham subsídio teórico e conceitual suficiente para analisar criticamente, debater e se posicionar em relação a situações que envolvam esses temas.
Idealmente, o principal impacto desse projeto será a formação de profissionais engajados, que consigam utilizar a ciência psicológica para a promoção de qualidade de vida e para a diminuição das intensas desigualdades que caracterizam o nosso país.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AIRI MACIAS SACCO501/06/201801/06/2019
KIZZY LESSA COUTINHO VITORIA401/06/201801/06/2019

Página gerada em 28/06/2022 16:38:43 (consulta levou 0.043476s)