Nome do Projeto
Desenvolvimento de Casos para Ensino
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
10/05/2019 - 18/12/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Engenharias - Engenharia de Produção
Resumo
Este projeto visa contribuir para o fortalecimento dos pilares ensino, pesquisa e extensão da UFPel. Pretende desenvolver trabalhos junto a empresas da Cidade, de maneira que a prática suscite a curiosidade epistemológica nos acadêmicos e nos pesquisadores (CUNHA, 2014; BOLZAN, 2017), potencializando os referidos pilares, além de fomentar o desenvolvimento local. Tal curiosidade permite a tomada de distância do objeto e a aproximação dele com o objetivo de desvelá-lo (FREIRE, 1997). Serão desenvolvidos projetos voltados à análise de processos industriais, sob as lentes de gerenciamento de processos e gestão de recursos. Além disso, as referidas análises permitirão estabelecer ligações com outros temas, como Inovação, Internacionalização, Gestão Ambiental, Gestão da Qualidade, Responsabilidade Social, Ergonomia, Logística e Pesquisa e Desenvolvimento. O que tornará possível também parcerias entre professores, enriquecendo a dinâmica de ensino e estreitando as relações e a comunicação entre docentes.

Objetivo Geral

Desenvolver casos para ensino a fim de serem utilizados como avaliação formativa nos cursos de Engenharia de Produção.

A avaliação formativa visa a verificação do processo de aprendizagem e retroalimenta o processo de ensino. A Avaliação Formativa oferece aos alunos maior oportunidade de aprendizado, uma vez que é uma avaliação para a aprendizagem (FERNANDES, 2008). Quanto ao processo de ensino permite orientar e otimizar o processo de construção de conhecimento (PERRENOUD, 2007).

Justificativa

Na última aula da disciplina de Liderança e Desenvolvimento de Equipes, tivemos a presença de uma Coaching de Desenvolvimento, por demanda dos alunos. Nas respostas que eles deram a ela, chamou minha atenção a demanda dos acadêmicos por um laboratório de gestão e pela aproximação com o mercado. O que ratifica os achados de algumas pesquisas que apontam a necessidade de revisão dos modelos pedagógicos e metodológicos utilizados nos cursos superiores (SCHMITZ et al., 2011; SILVA et al., 2011; OLIVEIRA; SANT'ANA; DINIZ, 2011; SILVA et al., 2013; SILVA, 2014; PEREIRA, 2014; NOGUCHI; MEDEIROS, 2014); a necessidade de um ensino ativo, que envolva o acadêmico (GUIMARÃES; LOVISON, 2013) e a necessidade de um ensino que desfaça a dicotomia teoria e prática (SILVA et al., 2011; SILVA; OLIVEIRA; MOTTA, 2013).
Soma-se a isso, o feedback positivo que tive das turmas de Engenharia de Informação e de Liderança e Desenvolvimento de Equipe, com a aplicação de casos para ensino, desenvolvidos por mim, para as disciplinas. A literatura aponta que casos para ensino foram efetivos para a introdução de conceitos e para a aproximação entre o conhecimento teórico e a prático (LOURENÇO; MAGALHÃES, 2013; BOLZAN, 2017). A importância da produção de casos para ensino com foco na área de produção é justificada pela pesquisa de Faria e Figueiredo (2011). A referida investigação identificou que a maioria dos casos para ensino abordaram temas das áreas de estratégia e de marketing, existindo áreas desprivilegiadas, tais como gestão de pessoas, finanças e logística.
Cabe enfatizar também que o objetivo de trabalhar com análise da gestão de processos organizacionais e a gestão de seus recursos vai ao encontro do objetivo geral do curso de Engenharia de Produção, da UFPel: “preparar os futuros profissionais para situações de adaptação e atualização frente a novos desafios e conjunturas, decorrentes da dinâmica de uma sociedade em transformação, a sociedade do conhecimento”.

Metodologia

As pesquisas será realizada por alunos e por professores. A coleta de dados será realizada através de observações (participante e não-participante) dos processos produtivos e de entrevistas, tanto com gestores como com os demais colaboradores, valorizando toda participação nos processos analisados. A aproximação de alunos e de professores do ambiente industrial gerará discussões acerca da gestão organizacional contemporânea, da gestão dos recursos, da importância de cada processo, da importância de estudar a gestão de processos diante da complexidade, da importância de gestão de pessoas, entre outros.
Quanto ao desenvolvimento local, Pelotas tem sessenta indústrias cadastradas no Centro das Industrias de Pelotas (CIPEL), logo teria potencial para receber o referido projeto. A última etapa de cada pesquisa compreenderá a devolutiva para as organizações as quais permitiram que seus processos fossem analisados, apresentando sugestões e as justificando.
Com as discussões dos dados, a construção de estudos e de reflexões sobre as informações dos processos e a elaboração de sugestões seriam exercitados o ensino, a pesquisa e a extensão. No entanto, o processo de ensino seria fomentado também pela produção de casos para ensino e suas aplicações. A discussão de temas relativos aos processos industriais e a aplicação dos casos para ensino potencializariam os processos de ensino e de aprendizagem, fazendo com que o cenário industrial fosse um espaço gerador de teorias, não apenas uma oportunidade de aplicar teorias na intenção de explicar uma situação.
Depois de produzidos os casos para ensino serão validados e, em seguida, publicados. A validação e a utilização dos casos para ensino serão realizados de aula como atividade de avaliação formativa, ou seja, um processo interativo e contínuo (FERNANDES, 1994; 2008), cujo objetivo é dar suporte ao processo de aprendizagem do estudante (BLACK; WILLIAN, 2013).

Resultados Esperados

É importante explicar que um caso para ensino “é a reconstrução para fins didáticos de uma situação problemática gerencial ou organizacional [...]. A situação relatada é específica a uma organização e é descrita do ponto de vista do protagonista do caso” (ROESCH; FERNANDES, 2007, p.25). Trata-se de um texto breve, contendo no máximo 15 páginas, acompanhado de notas de ensino dirigidas ao docente que desejar utilizar o caso em suas aulas. Roesch (2007) expõe que o método caso para ensino tem uma longa tradição, tendo sido utilizado pela primeira vez em 1908, nos cursos de Direito Comercial na Harvard Business School (HBS). A Harvard Business School ainda utiliza casos de ensino em mais de 80% de suas aulas, devido constatações de efetividade da utilização destes acerca dos processos de ensino, de aprendizagem e de avaliação.
Há um grande acervo de casos para ensino escritos em língua inglesa, produzido nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia. Sendo a Harvard Business School o maior centro difusor deste método. No Brasil, os casos para ensino ainda são pouco utilizados, no entanto o interesse didático por este método está crescendo (ROESCH, 2007). A bibliografia sobre o método também é escassa em português (ROESCH, 2007).



Por fim, torno claro que os casos para ensino não seriam as únicas produções e publicações, mesmo que de acordo com o planejamento, fossem a maioria. No entanto, pouco conhecidos, é importante mostrar que os casos para ensino podem ser vinculados em periódicos e eventos científicos qualificados. Por exemplo, os Eventos da ANPAD, em especial o Encontro da ANPAD (EnANPAD) e o Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade (EnEPQ) e o Periódico GV Casos – Revista Brasileira de Casos de Ensino em Administração.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ARIANE FERREIRA PORTO ROSA210/05/201918/12/2019
AUGUSTO CÉSAR ALVES BACOVIS1
GUILHERME KAUFFMANN PAPALÉO1
LARISSA MEDIANEIRA BOLZAN410/05/201918/12/2019
LEON DEVEREAU BORGES210/05/201918/12/2019
MARCIA MARIA COSTA BACOVIS1
ROGERIO ROYER210/05/201918/12/2019

Página gerada em 29/05/2022 05:47:01 (consulta levou 0.155766s)