Nome do Projeto
Sofrimento Psíquico: desafios e possibilidades
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
12/08/2019 - 31/07/2020
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Psicologia
Resumo
Na clínica psicanalítica atual temos nos deparado com significativa incidência de patologias marcadas por uma violenta dimensão compulsiva. Essas patologias apontam, insistentemente, para uma dimensão de violência psíquica, dimensão traumática; dentre elas destacam-se: as patologias alimentares, a drogadição, as neuroses obsessivas graves, pânico, dores crônicas, etc. Quando falamos em violência psíquica, referimo-nos a um excesso de excitação psíquica, o qual põe em risco a integridade do aparelho mental. Nessa perspectiva, na base da dimensão de violência presente na vida psíquica, encontramos a precariedade dos mecanismos mais elaborados de representação e de simbolização, paralisados ante o excesso pulsional que invade as fronteiras do ego, ameaçando-o à morte psíquica. Apoiando-nos nas contribuições freudianas mais tardias, o traumático, entendido como excesso pulsional, estaria situado além da capacidade de representação psíquica. O trauma, assim, refere-se a um vivido subjetivo no qual se dá o atravessamento da capacidade psíquica de assimilação e de recalcamento por parte do ego, o que engendra, como uma forma radical de defesa, respostas marcadas por uma violenta dimensão compulsiva. Portanto, ao nos depararmos com essas situações clínicas, somos conduzidos, dentre outros aspectos, ao fenômeno da compulsão à repetição, fenômeno indissociável de um estado de fragilidade narcísica. Nesses casos, os recursos técnicos clássicos revelam-se insuficientes, demandando um manejo especial, adequado à singularidade do modo de funcionamento psíquico desses sujeitos. Aprofundar o estudo das possibilidades de manejos desses quadros clínicos torna-se fundamental para estudantes que estão realizando o estágio em clínica.

Objetivo Geral


Aprofundar o conhecimento teórico-clínico acerca das patologias de base traumática e das especificidades de seu manejo clínico.

Justificativa

Como justificativa contextual deste projeto, aponta-se a já mencionada constatação de um aumento significativo de quadros clínicos marcados por uma violenta dimensão compulsiva, exigindo que o manejo clínico possa ser pensado a partir de uma articulação entre o referencial clássico e as reformulações que psicanalistas contemporâneos propõem. Isso é fundamental para que os alunos em estágio clínico possam conduzir o processo psicoterapêutico desses casos da forma mais adequada e possam construir um arcabouço teórico rico para servir como alicerce para suas futuras atuações profissionais.

Metodologia

Encontros semanais para discussão teórica e de casos clínicos.

Resultados Esperados

Instrumentalização dos estagiários que realizam estágio em clínico para o manejo adequado de patologias que têm uma base traumática.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANNE SANTOS STONE412/08/201931/07/2020
CAMILA PEIXOTO FARIAS112/08/201931/07/2020
DAIANE PHILIPPSEN MADERS412/08/201931/07/2020
JOAO GUSTAVO TURMINA412/08/201931/07/2020
JOICE DA ROCHA RIBEIRO412/08/201931/07/2020

Página gerada em 06/08/2020 21:13:45 (consulta levou 0.056286s)