Nome do Projeto
Desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem em Mecânica de Fluidos e Hidráulica
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
01/06/2014 - 14/02/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Engenharias - Engenharia Civil - Engenharia Hidráulica
Resumo
A conceituação e definição de objeto de aprendizagem assumem diferentes conotações. Conforme Nitzke et al. (2011), pode-se encontrar diversas abordagens para objeto de aprendizagem (OA). No site da Rede Interativa Virtual de Educação (RIVED) encontra-se a seguinte definição: “qualquer recurso que possa ser reutilizado para dar suporte ao aprendizado”. Já o Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE) considera como objetos de aprendizagem “quaisquer entidades, digital ou não digital, que podem ser usadas, reutilizadas ou referenciadas durante a tecnologia de suporte de aprendizagem”. Behar (2009) define os objetos de aprendizagem como recursos autônomos, utilizados como módulos de um determinado conteúdo e que podem ser incorporados a múltiplos aplicativos e adaptados a diversos contextos. De acordo com a autora, as principais características dos OAs são: a) reusabilidade, um mesmo objeto pode ser usado em diferentes aplicativos e seu conteúdo pode ser reagregado de acordo com a proposta de trabalho; b) autoconsistência, investe numa organização que não dependa de outros objetos; c) interoperabilidade, potencializa a reutilização do objeto, possibilitando a articulação de conteúdos em plataformas distintas, e d) durabilidade, investe em uma estrutura que evita a reconstrução ou a reprogramação do objeto. A partir destas definições, Nitzke et al. (2011) consideram, então, como objetos de aprendizagem quaisquer materiais eletrônicos (como imagens, vídeos, páginas web, animações ou simulações) desde que as mesmas tragam informações destinadas à construção do conhecimento e guardem a característica de possibilidade de reutilização através da padronização. Além dos debates acerca da conceituação de OA, também existem estudos sobre a sua produção. Segundo Carneiro e Silveira (2012) ocorre muitas vezes a produção de OA ocorre de forma não sistemática, através da interação de um professor e um bolsista designado para auxiliá-lo. Ainda segundo os autores, esse processo demanda um grande esforço para que as informações e trocas ocorram de forma eficiente, pois em geral o professor não domina a nomenclatura e as tecnologias envolvidas e o bolsita tem conhecimentos técnicos sem conhecer as questões pedagógicas envolvidas e os reflexos sobre a eficiência e eficácia do objeto de aprendizagem implementado. Assim, para Nitzke et al. (2011) a produção de OA pode ser realizada utilizando-se diversos modelos conceituais, pedagógicos ou operacionais, dependendo do escopo e dos arranjos institucionais da entidade produtora. Na área de hidráulica e mecânica de fluidos há raras experiências relatadas coma produção de OA, podendo ser citada a iniciativa de Guillermo et al. (2005) que propôs um modelo de simulação de escoamentos em laboratório a partir de uma estrutura física existente a qual foi modelada computacionalmente.

Objetivo Geral

Produzir de Objetos de Aprendizagem, em forma digital, aplicados à engenharia, especialmente nas áreas de Mecânica de Fluidos e Hidráulica.

Justificativa

As disciplina de Mecânica de Fluidos e Hidráulicas comumente ofertadas em cursos de Engenharia Hídrica, Civil, Sanitária, Ambiental, e outros, tem por característica ser de compreensão e assimilação de conteúdos bastante complexa, apresentando, historicamente, altos índices de reprovação. A partir deste panorama, busca-se constantemente novas ferramentas que venham auxiliar o corpo discente nestas disciplinas. Os objetos de aprendizagem podem ser apresentar como uma ferramenta inovadora e atrativa para o perfil de estudante cada dia mais dinâmico e insatisfeito com práticas tradicionais de ensino. Destaca-se, ainda, a participação de alunos da Engenharia Hídrica na produção desses objetos de aprendizagem. Nesse processo, os alunos estarão trabalhando com conteúdos das disciplinas de Mecânica de Fluidos e Hidráulicas e qualificando os OAs produzidos.

Metodologia

O projeto prevê a elaboração de objetos de aprendizagem voltado a área de engenharia, especialmente nos assuntos relativos a mecânica dos fluidos e hidráulica. Os objetos de aprendizagem, uma vez definidos, serão construídos por alunos de graduação, a partir de roteiros pré-estabelecidos pelos professores colaboradores. Uma vez produzidos os objetos de aprendizagem serão aplicados em sala de aula com posterior avaliação da sua eficiência no processo de aprendizagem. A produção de OAs contempla as seguintes etapas: projeto; implementação; avaliação; distribuição. No projeto é realizado o planejamento de como será o OA, o que envolve a escolha dos conteúdos que serão trabalhados, a pesquisa e a definição acerca de materiais e tecnologias e a elaboração da sua estrutura. Na implementação, trabalha-se no desenvolvimento do material, colocando em prática as escolhas realizadas no projeto, sendo que no decorrer dessa etapa pode ser necessário rever escolhas realizadas na etapa anterior. A avaliação remete à análise do projeto elaborado e à validação do OA implementado, possibilitando o aperfeiçoamento do material e a correção de possíveis problemas identificados. Por fim, na distribuição é definido como o material será disponibilizado aos alunos de engenharia.

Resultados Esperados

Espera-se contribuir no processo de ensino e aprendizagem dos alunos de engenharia especialmente voltados as disciplinas de Mecânica de Fluidos e Hidráulica.

Indicadores, Metas e Resultados

Este projeto de ensino tem potencial de atender, em média, 100 alunos por semestre dos cursos de graduação em Engenharia Hídrica, Engenharia de Petróleo, Engenharia Civil, Engenharia Geológica, Engenharia Sanitária e Ambiental, Engenharia Agricola e demais cursos que tenham na sua grade curricular as disciplinas de Hidráulica e de Mecânica de Fluidos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA DALAGO DE ANDRADE2001/05/201631/12/2016
JOANA SOUZA DE GUSMÃO1601/06/201424/05/2015
JOAO FRANCISCO CARLEXO HORN201/06/201414/02/2017
JOAO FRANCISCO CARLEXO HORN2
JOÃO PEDRO VIDAL MONDIN801/06/201424/05/2015
LESSANDRO COLL FARIA201/06/201414/02/2017
MAURICIO DAI PRA401/06/201414/02/2017
RAFAEL VETROMILLE DE CASTRO101/06/201424/05/2015
SILVIA PORTO MEIRELLES LEITE101/06/201424/05/2015
TIAGO POHREN REIS2001/05/201531/12/2016

Página gerada em 29/05/2022 05:54:05 (consulta levou 0.041436s)