Nome do Projeto
A perspectiva histórica entre as gerações: a alteração das lembranças da Segunda Guerra Mundial de acordo com seu interlocutor.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/11/2019 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Letras - Literaturas Estrangeiras Modernas
Resumo
Cada geração de alemães vivenciou de forma distinta a experiência do Nacional-Socialismo e da Segunda Guerra Mundial. Em termos gerais, o ano de 1927 é considerado uma data de corte da "culpa" para os que não teriam tido condições de participar ativamente e conscientemente do regime nazista. No caso dos escritores Günter Grass e Martin Walser, que nasceram nesse ano, o critério de corte priva-os da culpa coletiva, embora ambos tenham participado pessoalmente da batalha no front. Mesmo as gerações alemãs que não foram contemporâneas do cataclisma nacional-socialista relacionam-se com as memórias desse período histórico. Até hoje os acontecimentos que circundaram a Segunda Guerra seguem sendo constantemente retomados. Novas descobertas surgem, novos relatos são trazidos à tona, modificando as perspectivas de análise da história alemã recente. Fica desmentida, assim, a noção de que o assunto está esgotado ou de que o país reconciliou-se inteiramente com seu passado. No modelo utilizado por Aleida Assmann, as gerações que foram influenciadas pelos eventos da Segunda Guerra são divididas em sete grupos (Geração de '14, de '33, de '45, filhos da guerra (Kriegskinder), de '68, de '78, e de '85.), dos quais as gerações de '33 e de '45 assumem relevo, por compreenderem os autores antes referidos. Tal classificação deve ser recebida com a ressalva de seu caráter didático, que não necessariamente corresponde à consciência pessoal dos participantes dessas gerações. Na tensão entre memória individual e memória coletiva, os autores alemães compuseram suas narrativas individuais inspirados não apenas nos fatos que experienciaram, mas também nas percepções de sua geração.

Objetivo Geral

Geral: desenvolver o estudo sobre as principais perspectivas históricas acerca dos fatos ocorridos na Segunda Guerra Mundial, como questões de responsabilidade e de culpa, avaliação do próprio papel e de outros participantes, e a elaboração do trauma, no contexto literário alemão do pós-guerra.
Específicos:
- revisar fontes teóricas que sustentem uma reflexão sobre as diferenças de pensamento entre gerações de alemães que participaram ativa ou indiretamente da Segunda Guerra Mundial;

- proceder à (re)leitura de textos literários de língua alemã, escritos depois de 1945, que tratem da temática da Segunda Guerra Mundial para identificar e classificar a linha de pensamento seguida pelos autores e procurar semelhanças e diferenças entre as gerações;

- examinar também a questão territorial e política, já que estas tiveram uma gtrande influência nas linhas de pensamento representadas literariamente;

- elaborar um ensaio teórico sobre o desenvolvimento de um ponto de vista comum a determinada geração de alemães e como este está representado na literatura pós Segunda Guerra Mundial;

- elaborar uma publicação final sobre as diferentes modalidades de perspectivas sobre a Segunda Guerra Mundial;

- orientar alunos de Iniciação Científica, Graduação (TCC), Mestrado e Doutorado em trabalhos relacionados ao tema da pesquisa;

- contribuir para o crescimento da fortuna crítica das obras literárias alemãs que, apesar do interesse dos alunos nesta temática, tem pouca representatividade nas universidades brasileiras.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
LARISSA DIAS TABORDA201/04/201831/10/2019

Página gerada em 18/09/2019 23:37:56 (consulta levou 0.066014s)