Nome do Projeto
Cidade, vida cotidiana e imagem
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
03/06/2019 - 02/06/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas - Sociologia
Resumo
A pesquisa busca refletir sobre a cotidianidade nas cidades da “periferia” do mundo moderno, descrevendo não só os modos de vida das populações, suas interações com o espaço urbano e o meio ambiente, mas também pensando o cotidiano como um ponto de vista privilegiado, ao mesmo tempo teórico e metodológico para interpretar e explicar os fenômenos da sociedade moderna. As “cidades da periferia”, por denominá-las de algum modo, são aquelas que estão situadas no umbral da modernidade, no limite de um mundo tradicional que não desaparece, e se apresenta como uma crítica incompleta das contradições e dos efeitos da modernidade. Autores diversos têm tratado sobre essa questão, desde a antropologia, Canclini (2011) se refere a este aspecto como “culturas híbridas”, Dussel o denomina de “trasnmodernidade”, no contexto de uma longa luta epistemológica, crítica, especifica das ciências sociais na América Latina, em oposição crítica à “interpretação distorcida” das culturas não europeias; mas também como expressão de uma “cultura periférica” desprezada e negada pela modernidade eurocentrada. É por isso que o principal objetivo deste esforço, segundo ele, foi o de situar todas as culturas que se entrecruzam na vida cotidiana. O autor busca a afirmação de uma cultura popular, crítica e criativa, que na década de 80, com a Revolução Sandinista, emerge como “cultura popular revolucionária” (Dussel, 2015); ou ainda como Martins a chama: sociedades de modernidade inconclusa, todos eles têm em comum a crítica à teoria da modernidade produzida na Europa, principalmente por Lyotard, Vattimo, Habermas até Wallesrstein, que Dussel define como “segundo eurocentrismo”. A “transmodernidade” expressa todos os aspectos que se situam além (para frente e para atrás) da cultura euro-americana moderna, ou seja, com esse conceito Dussel pretende dar conta das outras culturas: ameríndia, China, cultura islámica, Índia. Autores pós-coloniais como Hall (2003) e Bhabha (1998) também trabalham a desconstrução da ideia de modernidade, pensando o rompimento da dicotomia colonizador/colonizado. Assim, a pós-modernidade abriria para novas possibilidades, para além da razão ocidental

Objetivo Geral

O objetivo geral da pesquisa é:
• Demonstrar que a reflexão sociológica sobre a vida cotidiana nas cidades da “periferia” do mundo moderno, contribui não só para descrever os modos de vida das populações e suas interações com o espaço urbano e o meio ambiente, mas que também se constitui num ponto de vista teórico e metodológico para explicar os fenômenos da sociedade moderna e as mediações que, na vida cotidiana, se produzem entre o comportamento dos indivíduos e as estruturas sociais e ainda, entre presente e passado

objetivos específicos:
• Analisar as trajetórias profissionais daquelas ocupações consideradas tradicionais e em processo de extinção, buscando como comparar no tempo, as mudanças na cotidianidade e nos processos de trabalho, assim como suas articulações com os mercados;
• Analisar as mudanças espaciais e no cotidiano, na cidade de Pelotas, produzidas pela violência urbana e que se manifestam no campo visual;
• Compreender as estratégias e os conflitos na ocupação do espaço de diversos grupos sociais na cidade de Pelotas
• Analisar trajetórias de grupos étnicos, de migrantes e diaspóricos, dentro da cidade, buscando observar os impactos destes grupos nas construções sociais de ocais e nativos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CARLOS WILLIAN SCHNAVANZ SALGADO2001/08/202002/06/2021
CARLOS WILLIAN SCHNAVANZ SALGADO2001/08/201931/07/2020
JÉSSICA BORGES DE LEMOS2001/08/202031/07/2021
JÉSSICA BORGES DE LEMOS2001/08/202002/06/2021
JÉSSICA BORGES DE LEMOS2001/08/201931/07/2020
SANDRO ADAMS203/06/201902/06/2021
SANDRO ARI ANDRADE DE MIRANDA203/06/201902/06/2021

Página gerada em 30/05/2024 17:11:18 (consulta levou 0.046851s)