Nome do Projeto
Metalogenia e evolução tectônica do Complexo Porongos, Brasil.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
19/05/2020 - 26/11/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Resumo
O Complexo Porongos é uma das principais unidades vulcano-sedimentares da porção sul do Escudo Brasileiro, e está situado em posição geotectônica especial entre os terrenos juvenis do arco São Gabriel e o Cinturão Dom Feliciano de retrabalhamento crustal, ambos do Neoproterozóico. Esta porção do escudo também possui unidades geológicas do Paleoproterozóico, que ocorrem mescladas com os terrenos neoproterozóicos, como o Complexo Granulítico Santa Maria Chico e o Complexo Encantadas. A natureza complexa dessa evolução inclui os processos do Ciclo Orogênico Transamazônico e Brasiliano, e merece estudos adicionais, conforme aqui proposto. A avaliação metalogenética e geotectônica da bacia vulcano-sedimentar aqui abordada, em um contexto mais abrangente do escudo, tem tido uma abordagem histórica discutida amplamente na literatura. Inicialmente os trabalhos na região consideravam a bacia como tendo sido gerada e deformada em torno de 780 Ma, portanto não-vinculada às demais unidades geológicas do escudo. Todas as rochas sedimentares do complexo foram anteriormente posicionadas dentro de uma mesma unidade (Complexo Porongos). As interpretações anteriores propuseram uma associação de retro-arco, cobertura de plataforma ou margem passiva (ex. Saalmann et al., 2006). Recentemente as espessas camadas de quartzito foram posicionadas no Paleoproterozóico, na condição de embasamento da bacia Porongos (Pertille et al., 2015b), enquanto que a idade máxima da unidade pelítica do Complexo Porongos foi definida entre 650 e 550 Ma (Pertille et al., 2015a). A bacia geradora do complexo tem, portanto, a mesma idade do batólito Pelotas (620-610 Ma, e ainda 600-580 Ma), e que evoluiu em conjunto com a Bacia do Camaquã (601-535 Ma). Além disso, foram identificados cromititos maciços dentro dos serpentinitos na região do Capané, norte do Complexo Porongos, uma associação de rochas ultramáficas alpinas. O Complexo Porongos possui ocorrências de sulfetos de Pb, Zn, Cu, que serão estudadas neste projeto, em conjunto com ocorrências similares na Bacia do Camaquã. Serão utilizadas técnicas adequadas e necessárias para a elucidação desses problemas, incluindo imagens de satélite, mapeamento geológico, geoquímica de rocha total, petrografia, geocronologia U-Pb de minerais de U (zircão, titanita, xenotima, monazita), geoquímica isotópica, e elementos-traço de zircão e inclusões fluídas.

Objetivo Geral

Tendo como objetivo central o entendimento da metalogenia de metais-base e evolução geotectônica do Complexo Porongos no contexto do Escudo Sul-Riograndense, as metas incluem o levantamento geológico da região situada entre Encruzilhada do Sul (Capané), passando por Santana da Boa Vista e atingindo a porção sul do complexo próximo a Pinheiro Machado. O levantamento de campo será detalhado em perfis leste-oeste, para o entendimento da relação estrutural das unidades.
Os objetivos específicos são, principalmente a determinação da (1) metalogenia de metais-base, (2) idade da sedimentação, (3) idade da deformação principal, (4) áreas-fonte da sedimentação, (5) estrutura interna do complexo e (4) relação tectônica entre o Complexo Porongos e as demais unidades do escudo da região.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
GABRIEL DA SILVA PONTES2001/09/202031/08/2021
MAUREN ESPINOSA GASPAR119/05/202026/11/2022
RODRIGO ANTONIO DE FREITAS RODRIGUES2018/05/201831/12/2018

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 21.000,00

Página gerada em 21/06/2024 11:39:07 (consulta levou 0.036862s)