Nome do Projeto
Determinação da Retenção de Manganês em Efluentes.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2019 - 01/08/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar - Interdisciplinar
Resumo
A presença de manganês em águas reservadas ao tratamento visando abastecimento público e industrial é muito comum no Brasil. O conhecimento dos fatores que envolvem este processo é fundamental para se ter uma aplicação segura e eficiente de tecnologias apropriadas à remoção desse metal que se ingerido continuamente pode causar problemas toxicológicos sérios. Já o elevado índice de manganês na água de consumo humano, que pode ser resultado das atividades de metalurgia e mineração, podem ocasionar em um indivíduo, do ponto de vista toxicológico anorexia, fraqueza, apatia, “loucura mangânica”, manias, comportamento violento, tremores simulando Parkinson e depressão. Os carvões ativados são muito utilizados no tratamento de águas, no processo de refino de açúcar, na clarificação de efluentes, na purificação de ar, na remoção de odores, etc. Possui um grande poder adsortivo, que está associado às características texturais como área superficial, volume e área de microporos, também está invariavelmente associado com uma quantidade apreciável de heteroátomos, como oxigênio e o nitrogênio, que são quimicamente ligados à sua estrutura e compostos inorgânicos. Portanto, é necessário eliminar este composto das águas destinadas para abastecimento público, por meio de tratamentos viáveis para os fornecedores desta água, que se mostrem eficientes e rápidos, para que não haja problemas de grande porte em uma população que possa ingeri-la.. O manganês pode ser encontrado em solos e em minerais, principalmente como dióxido de manganês. Os minerais contidos nas rochas responsáveis pela dissolução de manganês, são principalmente a rodocrosita (MnCO3) e sulfeto de manganês (MnS), após sua dissolução, além de óxidos como a manganita (MnOOH), pirolusita (MnO2) e hausmanita (Mn3O4) que são os principais responsáveis pela presença de manganês nas águas. A poluição dos sistemas aquáticos, que ocorrem naturalmente em níveis de parte por milhão (ou abaixo disso), vem sendo reconhecida como um problema que pode representar riscos à saúde humana e ao meio ambiente. A Organização Mundial da Saúde (OMS), de um lado, recomenda 400 microgramas por litro de água para consumo humano como limite toxicológico. Já para o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), o limite a ser seguido é de 100 mg L-1 .

Objetivo Geral

GERAIS

Este trabalho propõe a retenção de manganês de efluentes, dentro dos limites estabelecidos pela legislação vigente, através da utilização de carvão ativado produzido a partir de resíduos agroindustriais.

ESPECÍFICOS

1. Preparar as soluções dos efluentes contendo as diferentes concentrações de manganês;
2. Determinar o teor de umidade, granulometria, densidade, índice de iodo e fenol das amostras de carvão ativado pelas normas da ABNT e as quantidades de micro, meso e macroporos dos adsorventes pela área superficial de BET;
3. Determinar a quantidade de carvão ativado necessária para a remoção de soluções aquosas contendo manganês, através do estudo de variação de massa de adsorvente;
4. Determinar o tempo de equilíbrio e demais parâmetros cinéticos de adsorção através de comparações com modelos teóricos;
5. Avaliar as retenções de manganês das diferentes amostras através das utilizações de modelos teóricos de isotermas de adsorção;
6. Caracterizar as amostras adsorvidas através de estudos por Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV);
7. Elaborar e apresentar trabalhos científicos em congressos/revistas e relatórios técnicos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
GABRIELA RIBEIRO SILVEIRA DA SILVA1201/07/201901/08/2020
MIGUEL PINTO DE OLIVEIRA601/07/201901/08/2020

Página gerada em 19/08/2022 04:39:09 (consulta levou 0.041580s)