Nome do Projeto
MODIFICAÇÃO E USO DE ESPUMAS COMO MATERIAIS DE ENGENHARIA
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
31/05/2020 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias - Engenharia Civil - Estruturas
Resumo
As estruturas sanduíche consistem em uma das principais aplicações nobres para espumas rígidas. Tal material compósito consiste de duas placas (faces finas) compostas por um material resistente, intermediadas por uma camada de outro material, em geral de baixa densidade e de resistência inferior às placas externas. Dentre os materiais utilizados tradicionalmente, destacam-se as espumas poliméricas como por exemplo: o poliuretano expandido, o PVC, o poliestireno expandido e as fenólicas. Em um segundo plano, madeiras de baixa densidade como a balsa (Ochroma pyramidale Carv. ex Lam) são utilizadas em média escala. Nesse sentido, diversos gap’s na literatura são fontes para maiores esclarecimentos através de projetos de pesquisa. As espumas poliuretânicas, por exemplo, apresentam um comportamento mecânico global que não conferem competitividade em relação às outras espumas, tais como o poliéster ou PVC. Nesse sentido, uma forma de incrementar essas características mecânicas, sem perda do seu apelo ambiental, seria reforçar estas espumas com cargas obtidas de fontes biológicas, por exemplo, partículas ou fibras lignocelulósicas. O presente projeto de pesquisa visará investigar e melhorar diferentes matérias primas a fim de projetar novos tipos de materiais de engenharia, tais como núcleos para estruturas sanduíche.

Objetivo Geral

2.1 Objetivo Geral
Caracterizar o comportamento de diversas matérias primas em seu estado natural e modificadas sob diversas condições de serviço, com vistas a gerar subsídios literários para a efetivação da utilização desses novos materiais como núcleo em estruturas sanduíche.

2.2 Objetivos Específicos

• Adquirir diferentes tipos de matérias-primas tanto provenientes de produtos comerciais, como de resíduos industriais;
• Tratar e caracterizar os materiais;
• Definir os balanços químicos para a formulação de espumas poliméricas;
• Proceder a polimerização das espumas;
• Testar variações no processamento;
• Ensaios espectroscópicos, morfológicos, térmicos, mecânicos;
• Publicar os resultados obtidos em forma de artigos e resumos em veículos de comunicação como periódicos e eventos;
• Verificar a possibilidade de criação de uma patente sobre o tema.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
EZEQUIEL GALLIO418/05/201830/05/2020
HENRIQUE RÖMER SCHULZ418/05/201830/05/2020
MARIO ANTONIO PINTO DA SILVA JUNIOR418/05/201830/05/2020
PAULA ZANATTA418/05/201830/05/2020

Página gerada em 22/01/2020 15:32:22 (consulta levou 0.082193s)