Nome do Projeto
CONFLITOS FÍSICOS E POLÍTICOS NA CIRCULAÇÃO DE TRÂNSITO
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
10/10/2019 - 10/10/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias - Engenharia de Transportes
Resumo
No Brasil, o crescimento desordenado das cidades, somado ao aumento da circulação de pedestres e veículos, intensificou os conflitos no uso do espaço urbano, colocando o país em 4º lugar no ranking global com mais de 40 mil mortes por ano (WRI, 2016), com um índice de 23 mortes por 100 mil habitantes (CNT, 2013). Em países de alta renda com melhor desempenho em segurança viária ocorrem menos de 3 mortes por 100 mil habitantes (WHO, 2015). Para cada acidente com vítimas ocorrem de 3 mil a 40 mil conflitos, denotando uma forte correlação entre ambos (Ferraz et al, 2012). No Brasil, o desafio da segurança viária tem sido mapear os conflitos e implementar medidas que resultem na sua minimização. Entretanto, entende-se que os conflitos são de diferentes ordens, vão da engenharia viária a questões sociais, políticas e culturais. Essa complexidade desafia a compreender melhor as interações cotidianas nessa intrincada teia de relações que se estabelece no uso do espaço de circulação. Considerando que o espaço de circulação é público, passa a ser a expressão de práticas individuais dentro de um universo forçosamente plural, dependendo para efetivamente ser público da permanente afirmação do contrato social que o funda. Como os conflitos de circulação ocorrem quando indivíduos interagem, não podem ser considerados apenas decorrentes da organização do sistema viário ou de condutas individuais, mas sim, manifestações sociais dentro desse espaço, que, por sua vez, é social e técnico ao mesmo tempo. Assim, é possível pensar que, quando não acontece a afirmação do contrato social, aliado à precariedade e/ou indevida infraestrutura viária, ocorrem conflitos, que muitas vezes se transformam em “acidentes”. Este projeto de pesquisa propõe inicialmente uma formulação teórica interdisciplinar do conceito “conflito de tráfego” e, num segundo momento, como forma de verificação empírica da teoria, a observação e análise dos conflitos de tráfego em locais prioritários para análise destes. Exemplos de locais talvez fossem rotatórias, área escolar, áreas hospitalares, interseções etc. Imagina-se que a pesquisa bibliográfica vai apontar a definição.

Objetivo Geral

O projeto ora proposto visa compreender e analisar, a partir de uma discussão teórica/prática, o conceito dos conflitos gerados na circulação de pessoas, animais e veículos. Para isso será problematizada a noção de conflito, uma vez que parte-se do reconhecimento de que os conflitos entre os diferentes usuários do trânsito têm origem tanto em questões sociais como em questões técnicas, requerendo uma análise que una as duas visões. A hipótese de trabalho neste estudo é que ocorram três tipos de conflitos: i) os Físicos; ii) os Políticos; e iii) os Comportamentais.

Percebe-se também que o mesmo tema é tratado de formas diferentes entre as áreas de estudo, e até mesmo é denominado de maneiras diferentes como Conflitos de Trânsito, Conflitos de Tráfego, Conflitos de Circulação, entre outras formas. Um dos desafios impostos neste projeto será definir a melhor forma de denominação ao efeito estudado.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CLARA NATALIA STEIGLEDER WALTER310/10/201910/10/2022
GABRIEL TERRA FERON110/10/201910/10/2022
Jardel Arnold Siveris110/10/201910/10/2022
Sabiana Gilsane Mühlen dos Santos110/10/201910/10/2022

Página gerada em 17/09/2021 00:45:27 (consulta levou 1.463186s)