Nome do Projeto
Efeito em longo prazo do tipo de parto nas coortes de nascimentos de Pelotas de 1982 e 1993
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
30/10/2019 - 28/02/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Resumo
Nos últimos anos, a prevalência de cesariana atingiu níveis epidêmicos no Brasil, com prevalências acima de 50% e, em Pelotas, no ano de 2015, a prevalência foi de 67%. Os efeitos negativos em curto prazo da cesariana sem indicação médica já estão estabelecidos na literatura, entre eles, a morbimortalidade materna, a mortalidade neonatal, prematuridade, problemas respiratórios do recém-nascido e o início tardio da amamentação. Em longo prazo, a cesariana estaria associada ao desenvolvimento de doenças relacionadas ao sistema imunológico, como alergias, asma, doença celíaca e diabetes tipo 1. No tocante ao capital humano, estudos realizados com crianças e adolescente tem relatado que a cesariana está negativamente associada com QI. Por outro lado, não foi encontrado na revisão da literatura, estudos que avaliaram essa associação em adultos. Com relação aos fatores metabólicos de risco cardiovascular, a cesariana está associada positivamente com excesso de peso em crianças e adolescentes. Já em adultos, está relacionada a maiores médias de pressão arterial sistólica, índice de massa corporal, triglicerídeos, colesterol total e LDL. O presente estudo tem como objetivo avaliar a associação do tipo de parto com capital humano e fatores metabólicos de risco cardiovascular na vida adulta. Serão utilizados os dados dos acompanhamentos aos 30 e 22 anos das Coortes de Nascimentos de Pelotas de 1982 e 1993, respectivamente, estes estudos tem acompanhado prospectivamente os indivíduos que nasceram em Pelotas nesses anos e suas famílias residiam na zona urbana do município. No tocante ao capital humano, os seguintes desfechos serão avaliados: quociente de inteligência; renda do indivíduo e escolaridade. Nas análises referentes aos fatores metabólicos de risco cardiovascular, serão avaliadas medidas antropométricas (circunferência da cintura), e metabólicas (pressão arterial, colesterol total, LDL e HDL, triglicerídeos, glicemia, hemoglobina glicada). Todas análises serão ajustadas para possíveis fatores de confusão. Assim como, será realizada análise de mediação, para o desfecho de QI, será considerado como mediador a amamentação. Para a escolaridade serão considerados o QI e a amamentação, e para renda a amamentação, o QI e a escolaridade. Já para a relação do tipo de parto com os fatores metabólicos de risco cardiovascular serão considerados como mediadores a amamentação e o excesso de peso. Por fim, será realizada uma revisão sistemática sobre a associação entre tip

Objetivo Geral

Objetivo geral


Avaliar o efeito do tipo de parto sobre o capital humano e fatores metabólicos de risco cardiovascular no início da idade adulta, entre indivíduos pertencentes às coortes de nascimentos de Pelotas de 1982 e 1993.


Objetivos específicos


Artigo 1. Associação entre cesariana e QI: revisão sistemática e meta-análise
Identificar estudos que tenham avaliado a associação entre tipo de parto e QI
Estimar a medida combinada da associação entre tipo de parto e QI

Artigo 2. Cesariana e capital humano na idade adulta: coortes de nascimentos de Pelotas de 1982 e 1993
Avaliar a associação do tipo de parto com QI, renda e escolaridade na vida adulta.
Avaliar o efeito indireto do tipo de parto sobre QI, considerando a amamentação como mediador.
Avaliar o efeito indireto do tipo de parto sobre escolaridade, considerando como mediadores a amamentação e o QI.
Avaliar o efeito indireto do tipo de parto sobre a renda, considerando como mediadores a amamentação, o QI e a escolaridade.

Artigo 3. Cesariana e fatores metabólicos de risco cardiovascular em adultos das coortes de nascimentos de Pelotas de 1982 e 1993
Avaliar a associação entre tipo de parto e os seguintes fatores metabólicos de risco cardiovascular: circunferência da cintura, glicemia, colesterol total, colesterol LDL e HDL, pressão arterial e proteína C-reativa.
Avaliar o efeito indireto do tipo de parto sobre os fatores citados acima, considerando como mediadores, a amamentação e a obesidade na infância e adolescência.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
MAYRA PACHECO FERNANDES430/10/201928/02/2022

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 23.626,00
CNPqR$ 44.951,00
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 106.890,50
Ministério da SaudeR$ 66.750,00

Página gerada em 03/07/2022 06:34:38 (consulta levou 0.041888s)