Nome do Projeto
RESTAURAÇÃO DE CAMPOS ANTERIORMENTE PLANTADOS COM Eucalyptus sp.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
03/11/2008 - 04/01/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Resumo
Estudos sobre o bioma Pampa são diminutos quando se analisa sua extensão territorial, sua importância econômica e social além das ameaças que sofre devido à ação antrópica. O desconhecimento do manejo sustentável da vegetação campestre e a diminuição das áreas utilizadas para a pecuária, juntamente com a expansão da fronteira agrícola, tem ocasionado o declínio da riqueza e da abundância de espécies vegetais campestres, além da perda de grandes extensões dessa formação vegetal única. Torna-se necessário aliar estudos para a conservação dos campos remanescentes, com os de restauração de campos degradados, buscando métodos e tecnologias adequadas para a manutenção dos serviços atuais e potenciais da biodiversidade de tais formações nativas. Os objetivos deste projeto são desenvolver um protocolo para restauração de campos anteriormente plantados com Eucalyptus sp. com base em um local com vegetação clímax campestre na localidade de Torrinhas, município de Pinheiro Machado, Rio Grande do Sul, Brasil e executa-lo neste local. Ao final do projeto espera-se obter dados sobre a resiliência da formação campestre frente às práticas de cultivo efetuadas e propiciar a restauração da vegetação campestre original. A região e o local do campo a ser restaurado serão visitados, a fim de obter informações sobre as atividades antrópicas realizadas, relevo, solo, formações vegetais, florística e dinâmica vegetal, assim como o histórico da área a restaurar. A metodologia estabelecida para restauração do campo anteriormente plantado com Eucalyptus sp. envolve: a retirada das mudas de eucalipto e das espécies vegetais exóticas da área plantada a ser restaurada, a exclusão de bovinos, eqüinos, ovinos e/ou outros animais domésticos nas áreas campestres a restaurar e áreas nativas limítrofes; assim como evitar qualquer distúrbio devido à ação antrópica; a definição da área a restaurar como sítio de monitoramento do comportamento da cobertura vegetal submetida a tal tipo de manejo. O monitoramento deverá envolver pelo menos avaliação físico-química dos tipos de solo (se mais de um), pH, fertilidade, estrutura e textura do solo, além da comparação da florística de comunidades campestres nativas existentes na localidade com as áreas a restaurar levando em conta a exposição solar, durante um ano, e do inventário do banco de sementes do solo das áreas a restaurar e das comunidades campestres nativas. Caso haja um percentual de solo descoberto propício à erosão do solo ou o banco de sementes do solo não seja considerado suficiente na área a restaurar, roçar faixas das áreas campestres nativas durante o mês de março e espalhar o material proveniente da roçada sobre a área a ser restaurada, levando em conta as diferentes exposições solares. Será realizado inventário fitossociológico nas áreas a restaurar e nas comunidades campestres nativas, durante a primavera, a cada três anos após a remoção das mudas de eucalipto, e monitoramento da cobertura de espécies exóticas e/ou invasoras. Este protocolo será reavaliado periodicamente.

Objetivo Geral

Os objetivos deste projeto são desenvolver um protocolo para restauração de campos anteriormente plantados com Eucalyptus sp. com base em um local com vegetação clímax campestre na localidade de Torrinhas, município de Pinheiro Machado, Rio Grande do Sul, Brasil e executa-lo neste local. Ao final do projeto espera-se obter dados sobre a resiliência da formação campestre frente às práticas de cultivo efetuadas e propiciar a restauração da vegetação campestre original.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
01
02
04
04
04
04

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 0,00
Iniciativa privadaR$ 0,00

Página gerada em 17/12/2018 17:30:07 (consulta levou 0.075058s)