Nome do Projeto
Pesquisa, difusão e implantação de tecnologias de baixo custo no tratamento de resíduos da cadeia produtiva do agronegócio de pescado da região Sul do Rio Grande do Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
10/10/2010 - 10/12/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Resumo
A aqüicultura, em desenvolvimento na região Sul do Rio Grande do Sul (RS), impõe-se como atividade pecuária, ou como, considerada por muitos, um apêndice do setor pesqueiro, abrangendo desde a criação de peixes (piscicultura), camarões (carcinicultura), rãs (ranicultura) até moluscos, ostras e mexilhões (malacocultura). A região é favorecida por reservas de água doce superiores a 3.000 km2 nas Lagoas dos Patos, Mirim e Mangueira e por 500.000 ha de terras irrigáveis, das quais 220.000 ha são cultivados com arroz irrigado, sendo o restante usado principalmente pela pecuária extensiva (Piedras e Bager, 2007). Os mesmos autores afirmam que o aproveitamento de 30% desta área pode tornar esta região uma das maiores produtoras de pescado de água doce do mundo. Neste sentido, a Bacia Hidrográfica do Arroio Pelotas (BHAP) é um importante recurso hídrico da região. A BHAP está situada entre 31º e 32º sul e entre 52° e 53º oeste, possuindo uma área total de aproximadamente 91.000 ha, abrangendo os municípios de Canguçu, Morro Redondo, Arroio do Padre e Pelotas. As nascentes do Arroio Pelotas, principal afluente da BHAP, se encontram no município de Canguçu. Este arroio possui aproximadamente 99 km e deságua no Canal São Gonçalo, localizado no município de Pelotas, que é responsável pelo abastecimento de água de vários bairros da cidade.Objetiva-se pesquisar, difundir e implantar tecnologias de baixo custo no tratamento de resíduos da cadeia produtiva do agronegócio de pescado da região Sul do Rio Grande do Sul.

Objetivo Geral

1. Levantamento in loco da situação das propriedades e da agroindústria representativas da área de atuação do projeto, quanto ao detalhamento dos fluxos, volumes e sazonalidade da geração dos resíduos de pescado, bem como ao manejo da criação de peixes e variedades cultivadas;
2. Verificar as atuais demandas por fertilizantes orgânicos nas propriedades e também na região que o projeto está inserido;
3. Tratamento e gerenciamento adequado dos resíduos de pescado, que são provenientes tanto da agroindústria como também de pequenos produtores associados, através do uso de tecnologias de baixo custo;
4. Validar os processos de compostagem e vermicompostagem na transformação dos resíduos provenientes da cadeia produtiva de pescado;
5. Testar materiais alternativos e ecologicamente corretos na construção de células de compostagem, isentando o produtor de possíveis gastos com o tratamento dos resíduos gerados pela atividade;
6. Validar a casca de arroz com um agente reator na compostagem de resíduos de pescado visando a sua reutilização em um próximo processo de compostagem e também a minimização da disponibilidade de mão-de-obra, sendo uma alternativa à produção de fertilizantes orgânicos pela agroindústria;
7. Gerar e validar os fertilizantes orgânicos obtidos a partir das tecnologias empregadas;
8. Construir estratégias de estímulo à adoção de conhecimentos, tecnologias e metodologias participativas de apropriação de técnicas zootécnicas que promovam a sustentabilidade do sistema de produção;
9. Estimular a adoção dos processos de compostagem e vermicompostagem nas propriedades e na agroindústria de pescado a fim de minimizar o impacto ambiental desse segmento da cadeia produtiva do agronegócio;
10. Estimular a venda de minhocas para a fabricação de farinha, propiciando assim outra fonte de renda aos criadores de peixe;
11. Confecção, edição e disponibilização de materiais didáticos sobre os processos de compostagem e de vermicompostagem como alternativa de tratamento dos resíduos de pescado e sua utilização como fertilizante orgânico em cultivos regionais;
12. Divulgar os resultados parciais e finais, obtidos nos estudos experimentais, para a comunidade científica nacional e internacional.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
2
2
2
2
2
4
4
4
4
4
4
4
4
4
12

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 5.000,00

Página gerada em 25/03/2019 01:08:18 (consulta levou 0.171702s)