Nome do Projeto
Caracterização da toxidez por ferro em arroz irrigado e alternativas para minimizar seus efeitos
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/01/2011 - 02/01/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Resumo
Os mecanismos de manifestação da toxidez por ferro em arroz irrigado são extremamente complexos e vários estudos vêm sendo realizados na tentativa de elucidá-los. A maior parte dos trabalhos sobre o assunto mostra relação da toxidez por ferro com a nutrição por outros nutrientes, como Ca, Mg, Mn, K e P. Assim, uma forma de estudar melhor o problema seria verificar a interferência da nutrição da planta de arroz por diferentes nutrientes sobre a absorção do ferro, e qual a relação com o desenvolvimento de sintomas de toxidez. A manifestação dos sintomas de toxidez por ferro não está diretamente relacionada a teores elevados do elemento, mas sim provavelmente a relação dos teores de ferro com os teores de outros elementos. Porém, mesmo com as dificuldades impostas pela complexidade do problema, as recomendações técnicas da pesquisa do arroz no RS e SC (SOSBAI, 2007) propõem uma metodologia para prognóstico do risco de ocorrência de toxidez por ferro baseada na porcentagem de saturação de ferro na CTC do solo. Tal metodologia foi desenvolvida através de pressuposições teóricas e observações realizadas em experimentos de casa de vegetação e se constitui em uma primeira aproximação necessitando de ajustes e validação com resultados de campo. Em função do exposto, o presente trabalho tem por objetivo geral validar os critérios de interpretação para prognóstico do risco de ocorrência da toxidez por ferro em arroz irrigado por alagamento a partir da análise de solo baseada na porcentagem de saturação da CTC por ferro e propor um manejo de água diferenciado para áreas com problemas de toxidez por ferro. Serão desenvolvidos quatro estudos: Estudo 1. Toxidez por ferro causada pelo desbalanço de cátions na solução devido a concentrações elevadas de ferro e/ou baixos teores de nutrientes. Os experimentos serão conduzidos em casa de vegetação em vasos plásticos com solução nutritiva completa, onde os tratamentos serão dispostos em blocos ao acaso com três repetições. As diferentes combinações das frações de Fe2+ e a soma de cátions divalentes (Ca2+, Mg2+, Mn2+, Fe2+) serão: 1- Relação Fe2+/ Ca2+ + Mg2+ + Mn2+ + Fe2+ = 0,15; 2- Relação Fe2+/ Ca2+ + Mg2+ + Mn2+ + Fe2+ = 0,30; 3- Relação Fe2+/ Ca2+ + Mg2+ + Mn2+ + Fe2+ = 0,45 ; 4- Relação Fe2+/ Ca2+ + Mg2+ + Mn2+ + Fe2+ = 0,60; 5- Relação Fe2+/ Ca2+ + Mg2+ + Mn2+ + Fe2+ = 0,75; 6- Relação Fe2+/ Ca2+ + Mg2+ + Mn2+ + Fe2+ = 0,90. As doses dos nutrientes na solução nutritiva serão estabelecidas em testes preliminares. Serão conduzidos dois experimentos, um com uma cultivar sensível à toxidez por ferro (BRS Pelota) e outro com uma cultivar tolerante (BR-IRGA 414). Estudo 2. Critérios de interpretação da análise de solo para prognosticar a toxidez por ferro em arroz irrigado por alagamento. O experimento será conduzido em casa de vegetação e os tratamentos corresponderão a 12 solos com teores de Fe e CTC crescentes estruturados num unifatorial e os vasos dispostos em um delineamento em blocos casualizados com quatro repetições. Os solos serão escolhidos com base em análises preliminares dos teores de ferro extraídos com oxalato de amônio a pH 6 e dos valores de CTC. Estudo 3. Validação da metodologia de prognóstico da toxidez por ferro em lavouras comerciais de arroz. Serão selecionadas 40 lavouras comerciais de arroz nas principais regiões de produção do Estado do Rio Grande do Sul. As lavouras deverão apresentar históricos diferenciados de ocorrência de toxidez por ferro, desde áreas sem ocorrência até áreas com ocorrência freqüente. Das lavouras selecionadas serão coletadas amostras de solo para análises dos atributos químicos. A partir dos resultados das análises químicas das amostras, os solos serão classificados em função do risco de ocorrência de toxidez por ferro, segundo os critérios descritos em SOSBAI (2007). Estudo 4. Manejo de água diferenciado para áreas com problema de toxidez por ferro. O experimento será conduzido a campo em um Planossolo, em área com histórico de ocorrência de toxidez por ferro. O experimento será conduzido em delineamento blocos ao acaso, com 4 repetições, onde serão testados os seguintes tratamentos: 1. início do alagamento 10 dias após a emergência (estágio V2-V3); 2. início do alagamento 30 dias após a emergência (estágio V6-V7); 3. tratamento 1 e drenagem no perfilhamento (estágio v10-v11); 4. tratamento 2 e drenagem no perfilhamento (estágio v10-v11); 5. irrigação intermitente. Na solução do solo serão avaliados pH, Eh e os teores de Fe, Mn, P, Ca, Mg, K, Zn e Cu. Serão avaliados os teores de macro e micronutrientes no tecido vegetal e o rendimento de grãos.

Objetivo Geral

- Verificar qual a relação do desenvolvimento de sintomas de toxidez por ferro com a ocorrência de deficiência nutricional múltipla;
- Verificar se a absorção do ferro e o desenvolvimento da toxidez estão relacionados com a relação Fe2+/(soma de cátions divalentes).
- Testar o modelo de prognóstico da toxidez por ferro sugerida por SOSBAI (2007) em solos com diferentes combinações de CTC, teor de ferro e risco de ocorrência de toxidez.
- Validar o método de prognóstico da toxidez por ferro proposta por SOSBAI (2007) em lavouras comerciais de arroz.
- Avaliar o efeito de diferentes manejos de água na dinâmica do ferro e de outros nutrientes em solos alagados, no desenvolvimento de toxidez por ferro em arroz irrigado e no rendimento de grãos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
1
1
2
2
4
4
4
CRISTIANO WEINERT1201/08/201431/07/2015
LEDEMAR CARLOS VAHL401/01/200729/07/2016
MARCELO MACHADO SONCINI1201/08/201231/07/2013

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 0,00
CNPqR$ 0,00
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 0,00

Página gerada em 13/12/2018 11:23:43 (consulta levou 0.089842s)