Nome do Projeto
Manejo fitotécnico do tomateiro em sistema de produção de base ecológica
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/08/2011 - 01/08/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Resumo
Nos últimos anos, pode-se observar a crescente exigência do mercado consumidor em relação aos produtos alimentícios, através da busca por alimentos de melhor qualidade, o que inclui alimentos livres da contaminação química por agrotóxicos e com maior teor de antioxidantes, e que a relação entre o alimento na prateleira e a sua origem no campo seja reforçada através da produção de alimentos de maneira ambientalmente responsável, e assim, mais sustentável. Assim, os sistemas de produção de hortaliças, bem como o manejo fitotécnico adotado nos cultivos vêm passando por transformações para adequar-se às novas exigências, o que tem demandado esforços de agricultores e pesquisadores para identificar e melhorar as tecnologias adotadas no setor. Nesse contexto, o tomate é uma das hortaliças que adquiriu imagem negativa junto aos consumidores devido ao uso intensivo de agrotóxicos durante o ciclo de cultivo, principalmente utilizados durante as fases de frutificação e maturação. Existem diversos trabalhos correlacionando o espaçamento e o número de hastes por planta com o crescimento e a produtividade de cultivares de tomateiro, mas a maioria destes trabalhos se utilizou de sementes híbridas, de crescimento indeterminado, cultivadas em ambiente protegido, em somente uma época do ano e com utilização de agrotóxicos e adubos altamente solúveis. Esse conhecimento não pode ser amplamente estendido a cultivos a céu aberto e sistemas de produção de base ecológica, que preconizam a utilização de cultivares adaptadas e de crescimento determinado, devido ao menor ciclo e por isso menor incidência de doenças, e a utilização de insumos alternativos. Não existem estudos que indiquem o manejo fitotécnico específico como, por exemplo, no que se refere à melhor densidade de plantio ou ao número de hastes por planta mais adequadas para o sistema de produção de base ecológica do tomateiro. A variação da densidade de plantio interfere no crescimento e no rendimento das plantas e a sua definição, entre outros fatores, depende do genótipo empregado. Nesse sentido, este projeto apresenta como objetivo geral produzir conhecimento básico e aplicado sobre o manejo da densidade de plantio e do número de hastes por planta de tomateiro em sistema de produção de base ecológica em duas épocas de cultivo com dinâmicas opostas de evolução da radiação solar. Para tanto, se apresentam os seguintes objetivos específicos: Estudar o crescimento (produção e a distribuição de biomassa) do tomateiro submetido a diferentes densidades de plantio e número de hastes por planta em duas épocas de cultivo; estudar os componentes do rendimento e determinar a produtividade da cultura sob o efeito destas práticas de manejo e condições de cultivo; analisar a qualidade comercial e química dos frutos produzidos sob os diferentes manejos fitotécnicos. Pretende-se alcançar a meta de definir a densidade de plantio e o número de hastes por planta mais adequados para o tomateiro tipo gaúcho em sistema de produção de base ecológica em duas épocas de cultivo (primavera-verão e verão-outono) no sul do Rio Grande do Sul. Assim, experimentos serão realizados na Estação Experimental Cascata (Embrapa Clima Temperado), localizada no 5º distrito do município de Pelotas, Rio Grande do Sul, durante os ciclos de cultivo de primavera-verão e verão-outono nos anos de 2011/2012/ 2013, empregando-se diferentes densidades de plantio e número de hastes por planta para a cultivar de tomateiro Floradade cultivada em sistema de produção de base ecológica. As avaliações a serem realizadas se referem ao crescimento ao longo do ciclo produtivo (radiação solar interceptada, determinação da biomassa aérea e do índice de área foliar), ao número e peso de frutos colhidos, à ocorrência de defeitos nos frutos (podridão apical, dano por inseto, doenças, etc.) e à concentração de compostos fitoquímicos (licopeno e carotenóides).

Objetivo Geral

Objetivo geral: produzir conhecimento básico e aplicado sobre o manejo fitotécnico do tomateiro em sistema de produção de base ecológica em épocas de cultivo com dinâmicas opostas de evolução da radiação solar. Objetivos específicos:Estudar o crescimento (produção e a distribuição de biomassa) do tomateiro submetido a diferentes densidades de plantio e número de hastes por planta em duas épocas de cultivo; estudar os componentes do rendimento e determinar a produtividade da cultura sob o efeito destas práticas de manejo e condições de cultivo; analisar a qualidade comercial e química dos frutos produzidos sob os diferentes manejos fitotécnicos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
2
12
12
12
12
30
30

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 0,00
CNPqR$ 0,00
EMBRAPAR$ 0,00

Página gerada em 12/12/2018 13:10:55 (consulta levou 0.076382s)