Nome do Projeto
Sobre o conhecimento linguístico de L2/LE e sua (inter)relação com o PB como língua materna
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
18/03/2012 - 18/03/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Linguística - Linguística Aplicada
Resumo
Adquirir ou aprender uma língua, seja língua materna/L1 ou língua estrangeira/segunda língua (L2) é uma tarefa que envolve uma série de complexos mecanismos e processos de ordem linguística. Eis o que respeita à competência linguística. Além disso, o aprendiz deve apreender as regras sociais concernentes à língua alvo, ou seja, a competência comunicativa. Este estudo tem como alvo a aquisição desses mecanismos e processos que subjazem à aquisição de uma LE, o francês, e as possíveis relações entre a língua materna do aprendiz brasileiro, o português, e a língua francesa. Além das relações de cunho linguístico stricto sensu, existem aquelas que importam à produção e compreensão de uma língua estrangeira. Com respeito à língua materna, os aspectos de cunho fonológico, morfológico e sintático, por exemplo, serão dominados com maestria pelos falantes nativos, do que resulta a gramática internalizada. Contudo, no que concerne ao falante nativo adulto de uma determinada língua, a desafiadora empreitada pode ser apenas parcialmente bem-sucedida. Tal raciocínio pode ser aplicado a quaisquer línguas naturais, em se deparando com a realidade de uma L2. Em termos fonético-fonológicos, fazemos nossas as palavras de Calabrese (1995), citando Stampe (1973, p.1), relativamente às estratégias que o aprendiz emprega ao se confrontar com sons desconhecidos, respostas naturais e automáticas dos falantes para dificuldades articulatórias e perceptuais referentes a sons da fala ou sequências de sons apresentadas para seus usuários. Com respeito à morfologia de uma língua, conhecê-la consiste em dominar os mecanismos que dizem respeito à formação das palavras, à sua organização interna. No trabalho ora proposto restringimo-nos, pois, à apreensão da fonologia e da morfologia de língua segunda ou LE – o francês – por falantes nativos do português brasileiro (PB) em contexto formal de aprendizagem. Tal proposta dá sequência a investigações já empreendidas pela pesquisadora quanto à aquisição fonológica do francês como LE por brasileiros (Alcântara, 1998) e quanto à aquisição morfológica do PB, porém esta sendo adquirida como L2 por um falante nativo do francês (Alcântara, 2008).

Objetivo Geral

Objetivo geral:
- Investigar os mecanismos e processos que subjazem à aquisição de aspectos da morfologia e da fonologia do francês como língua estrangeira/segunda língua por falantes nativos adultos do português brasileiro como língua materna.

Objetivos específicos:
- Analisar dados da fonologia e da morfologia da L2, o francês, a partir de modernas teorias linguísticas, a saber, a Teoria da Marcação (Calabrese, 2005), a Teoria Autossegmental (Clements e Hume, 1995) e a Teoria da Morfologia Distribuída (Embick e Halle, 2005; Halle e Marantz, 1993, 1994).

- Comparar fenômenos linguísticos, distintos ou parcialmente compartilhados, pelo francês e pelo português.

- Verificar as possíveis relações existentes entre a morfologia do francês e a do português.

- Transcrever dados de dois corpora, de fala e de escrita, de falantes adultos do português brasileiro aprendizes de francês como LE.

- Contribuir para a compreensão do processo de aquisição do francês por falantes nativos de português, em contexto formal de aprendizagem.

- Trazer subsídios para uma das importantes discussões da linguística aplicada - a interlíngua do aprendiz.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
4
4
4
ANA MARIA DA SILVA CAVALHEIRO418/03/201218/03/2016
CLARISSA DE MENEZES AMARIZ418/03/201230/06/2014
GILSON RAMOS LOPES NETO218/03/201230/12/2013
ISABELLE SILVEIRA MARQUES201/08/201418/03/2016
LARISSA D AVILA BIANCHI201/03/201518/03/2016

Página gerada em 09/12/2018 17:40:06 (consulta levou 0.086380s)