Nome do Projeto
Compósitos Cimentícios Aditivados com Fibras Naturais, Sintéticas E Resíuos
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/03/2012 - 01/03/2016
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Resumo
O primeiro material de construção civil reforçado com fibras, produzido em escala industrial, foi o cimento amianto (Anjos, 2003). O uso do amianto foi regra até a década de 1960 quando começou a sofrer sérias restrições devido à constatação de enfermidades provocadas, tais como o câncer e a fibrose pulmonar. Em virtude disto, os países da atual União Européia, o Canadá, os Estados Unidos e o México aboliram o uso do amianto e no Brasil a Lei Orgânica de alguns municípios passou a proibir o uso de derivados de amianto e, atualmente, discutisse no Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) a diminuição do seu emprego. A restrição ao uso do amianto resultou no desenvolvimento de inúmeras pesquisas com materiais alternativos capazes de gerar compósitos com propriedades físicas e mecânicas similares as do cimento amianto. Conceição et. al. (2008) utilizaram polpa celulósica de sisal para produção de telhas à base de cimento Portland, como alternativa segura para o meio ambiente e para a saúde humana, substituindo o amianto. Paula (2007) utilizou vidros de fosfato de ferro como alternativa viável às outras disponíveis comercialmente, também como substituição ao amianto. Picanço et al (2008) utilizaram fibras de curauá, sisal e juta em compósitos cimentícios para comparar o desempenho destas fibras com as de amianto, obtendo resultados satisfatórios. Somada a polêmica dos danos do amianto, atualmente, busca-se agregar as pesquisas o desenvolvimento e obtenção de materiais que atendam as questões ambientais e que sejam, de facilmente obtenção. Estes três fatores transformam o Brasil em um país com potencialidade de geração de matéria-prima alternativa ao amianto, visto que possui extensas reservas de fibras vegetais fontes capazes de substituir o amianto. A exemplo disto citam-se os trabalhos de Anjos et al. (2003), que afirma que as fibras vegetais têm grande capacidade de absorção de água que é liberada durante a cura da matriz, provocando, assim, um aumento da relação água/cimento na região interfacial entre a fibra e a matriz. Este comportamento foi verificado por Ghavami et al. (1999) para solos reforçados por fibras naturais, e por Savastano & Agopyan (1999) para matrizes à base de cimento reforçadas por fibras naturais. A importância de pesquisas envolvendo compósitos à base de cimento reforçados com fibras e resíduos vêm tendo um apelo cada vez maior devido a demanda de produtos para a engenharia com múltiplas propriedades agregadas, tais como capacidade de suportar cargas elevadas, controlar fissuras e absorver energia após a fratura. Além disto, temos o desafio do século XXI que está na necessidade de se obterem materiais de construção com baixo consumo de energia, duráveis e ecológicos, capazes de satisfazer a necessidade de infra-estrutura da população, sobretudo nos países em desenvolvimento (SWAMY, 2000). Segundo Rodrigues (1999), o Brasil, como detentor de uma grande reserva de recursos naturais e residuais, deve adiantar-se em busca do domínio da tecnologia de produtos reforçados, visto que isto parece ser a tendência natural e mais adequada para substituição do amianto. Fatores como a morfologia, o comprimento e o diâmetro da fibra são fundamentais para a eficiência da ligação com a matriz, porém não suficientes para garantir os mais elevados valores de resistência e rigidez para o compósito. De acordo com Mano (2002), a aderência entre a matriz e o componente de reforço exerce forte influência sobre as características do compósito porque é principal responsável transferência dos esforços entre o reforço e a matriz. No presente trabalho, visando aprofundar os conhecimentos sobre o comportamento de compósitos cimentícios aditivados, estudar-se-á as características químicas, físicas e mecânicas e a microestrutura de produtos obtidos. Além disto, para que os compósitos atinjam propriedades superiores o de suas origens faz-se necessário a obtenção de uma adequada zona de transição entre a fibra e a matriz, denominada de interface, a qual será analisada nos compósitos obtidos.

Objetivo Geral

O objetivo geral deste trabalho é o conhecimento sobre o desempenho de compósitos cimentícios aditivados com fibras naturais, sintéticas e resíduos. Para atingir o objetivo acima estão previstas as seguintes etapas:
• Revisão sobre compósitos cimentícios, fibras e interface fibra-matriz.
• Obter e caracterizar fibras naturais e sintéticas.
• Obter e caracterizar resíduos.
• Obter compósitos cimentícios aditivados com fibras naturais, sintéticas e resíduos.
• Caracterizar química, física e mecanicamente os compósitos obtidos.
• Analisar a interface fibra-matriz

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
04
04
20
ALICE GONCALVES OSORIO401/03/201201/03/2016
CAIO CÉSAR NOGUEIRA DE MELO1201/08/201431/07/2015
NEFTALI LENIN VILLARREAL CARRENO201/03/201201/03/2016
OSCAR GIORDANI PANIZ1201/08/201331/07/2014
OSCAR GIORDANI PANIZ1201/11/201231/07/2013

Página gerada em 25/02/2020 18:57:28 (consulta levou 0.076163s)