Nome do Projeto
Enxerto do seio maxilar com Beta Fosfato Tricálcio isoladamente comparado ao uso de Beta Fosfato Tricálcio associado a plasma rico em plaquetas como precursor à reabilitação com implantes.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/11/2012 - 02/11/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-Maxilo-Facial
Resumo
Avaliaremos a capacidade do beta fosfato tricálcio de fase pura (B -TCP) de conduzir a formação de osso novo, em pacientes com deficiência em altura no maxilar posterior. O B-TCP é uma cerâmica granulada sintética reabsorvível de amplo uso em odontologia. Sendo utilizada como matriz para neoformação do tecido ósseo, pois apresenta identidade, em termos de composição, com a matriz óssea e permite a restauração desse tecido, através do processo de osteocondução. A utilização do Plasma Rico em Plaquetas (PRP) tem sido proposto como uma alternativa para melhorar a regeneração de tecidos ósseos em cirurgia oral. Vários estudos in vitro, experiências com animais e estudos clínicos sugeriram que o plasma rico em plaquetas pode efetivamente provocar a estimulação da regeneração de tecido ósseo e mole, reduzir a inflamação e dor. Serão selecionados 30 pacientes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Os pacientes serão triados de acordo com a necessidade de reconstruir a altura óssea do maxilar superior posterior, para futura restauração com implantes osseointegrados. Serão incluídos casos de edentulismo parcial ou total, com reabilitações protéticas realizadas, seguindo o protocolo de carga convencional. A técnica do levantamento do seio maxilar foi descrita por Boyne e James; Tatum. Nesse estudo, a deficiência de altura óssea será corrigida, utilizando-se B-TCP no espaço criado entre o processo alveolar maxilar superior e a membrana Schneider. Os pacientes serão divididos em dois grupos, grupo 1: B-TCP e grupo 2: B-TCP e PRP. Até o sexto mês, de pós-operatório da cirurgia de elevação do seio maxilar, serão conduzidos estudos radiográficos e tomográficos dos pacientes. Findado esse prazo, serão colocados implantes SW cone Morse SIN - Sistema de Implantes Nacional, São Paulo, SP, Brasil e se iniciarão avaliações nos aspectos microscópicos, macroscópicos, tomográficos, do torque de inserção final do implante e da qualidade da osseointegração. Ainda, duas biópsias serão realizadas, com a utilização de uma trefina, para a realização de histomorfometria. O conjunto dessas ações objetivam avaliar a capacidade osteocondutora do B-TCP e do B-TCP e PRP; avaliar o volume ósseo final (VF); avaliação do torque final de inserção do implante;avaliação da estabilidade do implante e avaliação da estabilidade da crista óssea alveolar em longo prazo.

Objetivo Geral

O objetivos deste estudo são avaliar a capacidade osteocondutora do Beta fosfato tricálcio de fase pura (B-TCP) na formação de novo osso em procedimento de levantamento do seio maxilar. Usado isoladamente (Grupo 1) e associado ao plasma rico em plaquetas (grupo 2).
Avaliar o volume ósseo final (VF), obtido após 6 meses dos procedimentos de enxertia do seio maxilar.
Avaliação do torque final de inserção do implante.
Avaliação da estabilidade do implante.
Avaliação da estabilidade da crista óssea alveolar em longo prazo

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
1

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 0,00

Página gerada em 11/12/2018 14:06:00 (consulta levou 0.072489s)