Nome do Projeto
INTERAÇÕES TRITRÓFICAS ENTRE MOSCAS-DAS-FRUTAS (DIPTERA, TEPHRITIDAE), SEUS HOSPEDEIROS E INIMIGOS NATURAIS (HYMENOPTERA) EM REGIÕES PRODUTORAS DE FRUTÍFERAS DE CLIMA TEMPERADO DO RIO GRANDE DO SUL E NO URUGUAI
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/08/2012 - 01/08/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Ecologia
Resumo
O presente projeto tem como objetivos: Relacionar as espécies de tefritídeos ocorrentes, com seus respectivos hospedeiros e inimigos naturais, correlacionando os três níveis tróficos envolvidos; determinar as variações de abundância das espécies de tefritídeos; determinar os índices de infestação de tefritídeos em diferentes espécies vegetais e a porcentagem de parasitismo; caracterizar a comunidade de tefritídeos de cada região através de análise faunística; e correlacionar a diversidade genética das populações de tefritídeos dos pontos amostrados com a disponibilidade de frutos, nível de predação e variáveis climáticas. Para tanto serão avaliados frutos em maturação, localizados na planta e no solo, das espécies vegetais nativas mais abundantes na área de estudo, no período de dois anos. A periodicidade de coletas seguirá a época de frutificação de cada espécie vegetal. A localização das plantas será feita através de GPS e binóculos. Serão feitas exsicatas das plantas amostradas, as quais serão depositadas no Herbário da UFPel. Para coleta de adultos serão instaladas armadilhas caça-moscas do tipo McPhail, com 200ml de solução aquosa de proteína hirolizada a 5%, colocadas da copa das árvores frutíferas. Será realizada análise faunística calculando-se abundância, constância, dominância e freqüência. Para verificar a existência ou não de proporcionalidade entre os níveis populacionais de exemplares de cada sexo das espécies coletadas, será aplicada matriz de correlação pelo programa Microstat em função dos números semanais de fêmeas e machos. Será feita a associação entre os três níveis tróficos. A diversidade genética das populações será feita, em princípio, pelo estudo de Anastrepha fraterculus, pela análise de sequências microssatélites. Os microssatélites são fragmentos de 2-10 pb, repetidas em tandem e com tamanho aproximado de 500 pb. Distribuem-se no genoma e podem estar associados a loci conservados, o que auxilia no seu isolamento e estudo. São excelentes ferramentas para a análise de variabilidade genética populacional, sendo amplamente usados como marcadores ecológicos e populacionais. Com as sequências microssatélites de A. fraterculus (36 loci), serão desenhados primers com auxílio do programa Vector NTI Advance Software Invitrogen®, sendo sintetizados, em princípio, sete pares de primers, os quais serão testados nas populações. Para a análise das populações, serão usados, no mínimo, sete loci, de forma que o número de pares de primers sintetizados poderá ser maior. A variabilidade genética de cada população será apresentada como média de número de alelos (Na), média da variância no tamanho dos alelos (Vm), média no número efetivo de alelos (Ne), média número de alelos privados (Np), frequência média de alelos privados (Ap), média de heterozigosidade (Ho), média esperada de heterozigosidade (HE) e a média esperada de alelo nulo (An), pelos parâmetros do programa Microsatellite analyser. O número de alelos efetivos será estimado como 1/(1-HE) e a frequência de alelos nulos (An) será calculada como (HE-HO)/(He+1). Os haplótipos serão determinados pelo programa Arlequin 2000 .

Objetivo Geral

- Formar pessoal altamente qualificado para atuar no estudo de moscas-das-frutas
- Aperfeiçoar docentes e pesquisadores e estimular à discussão e à troca de experiências, integrando as experiências do ensino pós-graduação e da pesquisa da UFPel e UDELAR envolvidos na mesma intensidade,
- Relacionar as espécies de tefritídeos ocorrentes, com seus respectivos hospedeiros e inimigos naturais, correlacionando os três níveis tróficos envolvidos;
- determinar as variações de abundância das espécies de tefritídeos;
- determinar os índices de infestação de tefritídeos em diferentes espécies vegetais e a porcentagem de parasitismo;
- caracterizar a comunidade de tefritídeos de cada região através de análise faunística.
- correlacionar a diversidade genética das populações de tefritídeos dos pontos amostrados com a disponibilidade de frutos, nível de parasitismo e variáveis climáticas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
2
2
2
3
3
20
20
ALEXANDRA PETER KRÜGER1201/08/201431/07/2015
ARIOMAR MORESCO BARTSCH1201/08/201331/07/2014
MAYARA FERREIRA MENDES1201/08/201431/07/2015
MAYARA FERREIRA MENDES1201/08/201331/07/2014
MIKAEL BOLKE ARAUJO1201/08/201431/07/2016

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 105.000,00

Página gerada em 18/07/2019 14:40:12 (consulta levou 0.068561s)