Nome do Projeto
Avaliação da resposta inflamatória induzida pelo implante mamário em modelo animal e ação protetora de antioxidantes
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/05/2013 - 02/05/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquimica e Molecular
Resumo
A realização de cirurgias plásticas para implante de próteses mamárias teve inicio no final da década de 60. Desde então, tem sido observadas e estudadas as alterações comuns ao tecido que envolve o implante, sendo que a contratura capsular é a complicação cirúrgica mais importante decorrente do processo inflamatório local (3,14). Na atualidade, a prevalência da contratura da cápsula do implante mamário ocorre em 4 a 17% dos casos (39). Importante ressaltar que o interesse pelas cirurgias plásticas tem aumentado nos últimos anos, e dado recente aponta que 73% das cirurgias plásticas são estéticas com predomínio do aumento mamário o qual contempla 21% destes resultados (40). Considerando os fatores facilitadores envolvidos na etiologia da contratura capsular relacionados às próteses mamárias, o uso do implante de silicone com superfície texturizada tem mostrado uma redução na incidência de contratura capsular ao contrário da prótese com superfície lisa. Com relação aos mecanismos que trazem um melhor benefício da prótese texturizada em relação à lisa, acredita-se que a texturizada possa impedir o alinhamento paralelo das fibras de colágeno, originando forças contráteis multidirecionais que neutralizam a ação destas mesmas forças, reduzindo o risco da contratura (1,5,6). Além disso, quando comparada à prótese com superfície de poliuretano, a superfície texturizada não apresenta a biodegradação e a formação de microcápsulas (1). Estudos realizados em modelos experimentais de implante mamário têm comprovado a eficiência da vitamina E, um potente antioxidante e antiinflamatório natural, no processo da formação da contratura capsular como a redução da resposta inflamatória e do número de fibroblastos (14,15,16,17,24). No entanto, não há estudos suficientes em ensaios clínicos com o uso de implante mamário que demonstrem o efeito da vitamina E. Atualmente, a curcumina, uma substância natural com potencial propriedade antioxidante, antiinflamatória e anticancerígena vem sendo amplamente estudada (33,34,35). Devido ao seu potencial em reduzir os processos inflamatórios exacerbados, é de grande interesse a investigação desta substância no processo inflamatório que envolve a contratura capsular após o implante mamário em modelo animal. Salienta-se que nos casos mais graves onde o tratamento cirúrgico é indicado, não há substâncias farmacológicas de eficácia comprovada na prevenção do desenvolvimento da contratura de modo a evitar o evento cirúrgico. Neste sentido, estudos estão sendo realizados a fim de selecionar um tratamento medicamentoso que possa ser utilizado desde a implantação da prótese mamária, para evitar a formação da contratura capsular, ou mesmo quando a complicação já esteja instalada para evitar a progressão do processo e o tratamento cirúrgico. Dessa forma, o presente projeto tem por objetivo investigar o efeito protetor da vitamina E e da curcumina, comparando seus efeitos na redução do processo inflamatório local e infiltrado celular envolvidos no processo de formação da contratura capsular. Além disso, será feita a comparação dos mecanismos envolvidos no processo fibrótico entre os implantes de textura fina (lisos) e de textura moderada.

Objetivo Geral

O objetivo deste estudo é avaliar as modificações estruturais e a resposta inflamatória em um modelo animal submetido ao implante de prótese mamária e verificar o efeito da vitamina E e da Curcumina como potenciais drogas antinflamatórias protetoras da fibrose capsular.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
5
5
05
10
10

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 2.000,00

Página gerada em 17/12/2018 03:10:07 (consulta levou 0.062957s)