Nome do Projeto
MAPEAMENTO, RECURSOS MINERAIS E GEOQUÍMICA DOS GRANITÓIDES DA REGIÃO DE PELOTAS, RS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
06/05/2013 - 06/05/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Resumo
A região de Pelotas e arredores são dominados por rochas graníticas do batólito de Pelotas e sedimentares da Planície costeira. O enfoque deste Projeto é o estudo das rochas granitoides e ígneas associadas, pertencentes ao Batólito de Pelotas, porção leste do Escudo Sul-rio-grandense. A continuidade desta unidade geotectônica é observada ao norte, em Santa Catarina, e ao sul, no Uruguai e é pertencente à província Mantiqueira, da Plataforma Sulbrasileira (Almeida et al. 1977). O batólito de Pelotas (BP) é constituído dominantemente por rochas granitoides, separadas em diversas suítes, denominadas Pinheiro Machado, Dom Feliciano, Encruzilhada do Sul, Cordilheira, Quitéria, Encruzilhada do Sul, Seival, Arroio Grande, Capão do Leão, Viamão, Piquiri entre outros corpos graníticos, além de rochas gabróicas e dioríticas, todas de idade entre 650 e 550 Ma. Ocorrem ainda septos do embasamento Paleoproterozóico, de cerca de 2 bilhões de anos, constituídos por rochas de origem orto e parametamórficas correlacionadas aos gnaisses Encantadas. Há três principais modelos geotectônicos propostos para a evolução do Batólito de Pelotas: 1) subducção de crosta oceânica (Porada, 1979; Fragoso Cesar, 1980; Philipp, 1990, 1998); 2) evolução ensiálica (Picada, 1971; Hartmann et al., 1994; Silva et al. 1994) e 3) modelo colisional (Bitencourt e Nardi, 1993). Os modelos propostos, segundo Philipp et al. (2000), não demonstram de forma satisfatória o conjunto de dados geológicos, geoquímicos e geocronológicos do Batólito de Pelotas. O volume mais significativo do magmatismo do BP está relacionado à evolução das zonas de cisalhamento transcorrentes que afetam o batólito. Composicionalmente verifica-se uma evolução deste magmatismo de cálcio-alcalino alto-K e produtos de fusão crustal para um magmatismo tardio relacionado à série alcalina supersaturada em sílica (Philipp et al. 2000). Neste contexto propomos contribuir com o melhor entendimento da evolução do BP através do estudo de áreas chaves, em especial nas proximidades do município de Pelotas, com professores e alunos do curso de Engenharia Geológica, com apoio do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e colaboração de professores do curso de Geologia da UFRGS. Enfatizamos que já está em curso o mapeamento de áreas próximas a Pelotas, municípios de Monte Bonito e Morro Redondo, na disciplina de Mapeamento Geológico do curso de Engenharia Geológica da UFPEL em parceria com a CPRM. Outro ponto importante é o enfoque sobre os Recursos Minerais da região trabalhada. Com o apoio da CPRM, analisaremos as áreas mapeadas com viés econômico, tanto dos recursos metálicos como ouro e cobre presentes em rochas graníticas, como não metálico, como areia, brita e do setor de rochas ornamentais. Ressalta-se que a região de Monte Bonito, por exemplo, possui várias pedreiras usadas no setor da construção civil, mas com potencial para rochas ornamentais. Outra possibilidade que esta sendo estudada pela Embrapa em parceria com a CPRM é o potencial para uso agrícola destes granitos, pela quantidade de potássio que pode ser usado como aditivo em lavouras. Justificativas: 1. O conhecimento geológico da área é ainda incipiente, resultado de levantamentos regionais e integrações nas escalas 1:250.000 a 1:750.000, e algumas poucas áreas objetos de dissertações e teses de mestrado e doutorado, com enfoque principal na evolução regional de granitos brasilianos. 2. As principais unidades litoestratigráficas descritas na área são alvos de controvérsias quanto aos seus respectivos patrimônios litológicos, limites e evolução geológica. Trabalho de doutoramento (Philipp, 1998) demonstrou a complexidade da área na cartografia das associações litológicas do BP. 3. Em termos de potencial metalogenético, ressalta-se que granitoides podem ser responsáveis por importantes jazidas minerais de ouro, cobre, estanho entre outros metais, dependendo do ambiente geotectônico em que foi formado. Cabe assinalar que na região de Amaral Ferrador, encontra-se uma importante ocorrência de galena (Pb), em granitoides similares aos da região de Pelotas. 4. Por fim, esse projeto compreenderá o treinamento de estudantes de iniciação científica (IC), encaminhando os futuros trabalhos de conclusão de curso de graduação, apresentação de trabalhos em eventos científicos e publicações em periódicos nacionais e internacionais. Todos os trabalhos científicos terão os nomes dos envolvidos no trabalho, desde o orientador ao aluno de IC, o que trará claros benefícios ao(s) professor (es), aluno (s) envolvido (s), e, consequentemente, Universidade e curso de Engenharia Geológica.

Objetivo Geral

Com o exposto acima, os objetivos deste projeto de pesquisa é a sistematização dos mapeamentos geológicos e recursos minerais, além da caracterização geoquímica e petrogenética dos granitoides e demais rochas ígneas e metamórficas associadas ao BP da região de Pelotas e entorno. Com isso além de contribuir com o melhor entendimento do contexto geológico da região, objetiva-se o avanço das pesquisas com divulgação em eventos científicos e produção bibliográfica em revistas científicas indexadas. Outro ponto importante é o desenvolvimento do aprendizado de estudantes na área de pesquisa científica e prática do curso de Engenharia Geológica da UFPEL.
Para iniciarmos os trabalhos propomos dentro deste Projeto, o Plano de Pesquisa:
1) Mapeamento na Escala 1:100.000 e 1:50.000 de áreas próximas ao município de Pelotas, com apoio da CPRM para produção de Mapa geológico e de Recursos Minerais da região.
O plano consta de mapeamento geológico, com cartografia e SIG (Geotecnologias na confecção mapa), trabalhos de campo, confecção de lâminas petrográficas, análises químicas de rocha total, de minerais (MEV).
Para a confecção de lâminas petrográficas e análises químicas contamos com o apoio da CPRM e UFRGS.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
GUSTAVO BARBOSA ATHAYDE406/05/201304/05/2015
LUIZ HENRIQUE RONCHI420/04/201420/12/2015
TALITA CABELERA DA SILVA2001/07/201404/09/2015
TALITA CABELERA DA SILVA1201/08/201431/07/2015

Página gerada em 23/10/2019 15:37:26 (consulta levou 0.071236s)