Nome do Projeto
CAPACIDADE DE REMOÇÃO DA LIGNINA PELO FUNGO Pycnoporus sanguineus EM MADEIRA DE EUCALIPTOS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/05/2013 - 02/05/2018
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais
Resumo
Os grandes consumidores de papel e celulose no mundo esforçam-se para mostrar uma imagem verde, por essa razão exigem qualidade ambiental e social dos seus fornecedores. As demandas ambientais passaram a ser relevantes por parte dos mercados. Exigem-se hoje certificações ambientais e florestais, bem como certificados de conformidade em termos de reagentes químicos, matérias-primas, emissões de gases de efeito estufa, uso de água, origem das fibras etc. (FOELKEL, 2011). A legislação de países desenvolvidos, e mesmo a de países em desenvolvimento vêm exigindo melhor qualidade dos efluentes industriais (GARG; MODI, 1999), o que tem estimulado o desenvolvimento de pesquisas que conduzam a tratamentos mais eficientes. Uma alternativa recentemente estudada para a redução da poluição ambiental pelos químicos que envolvem o processo de produção de celulose tem sido a produção de biopolpas, onde microrganismos podem ser aplicados nos processos de biobranqueamento e biopolpação. O biobranqueamento visa substituir ou reduzir o uso de agentes químicos para o clareamento da polpa celulósica (AKHTAR, 1998). Na biopolpação ocorre a extração de celulose facilitada pela utilização de fungos de decomposição branca como agentes em um tratamento prévio da madeira, devido à capacidade destes organismos de degradar a lignina seletivamente, facilitando o processo de polpação (MENDONÇA et al,2002; FERRAZ et al, 2005). Os tratamentos biológicos têm como principal objetivo a utilização do metabolismo microbiano para remover ou reduzir a concentração de poluentes (TERRÓN et al., 1993). O conceito de biopolpação se baseia na capacidade de algum fungo de decomposição branca formar colônias e degradar seletivamente a lignina da madeira, deixando, desta maneira, a celulose relativamente intacta (AKHTAR, 1998). A deslignificação da madeira é um processo de suma importância, uma vez, que as pastas celulósicas por ela obtidas possuem diferentes características, podendo sua utilização ser especialmente direcionadas para diferentes aplicações, como o objetivo de explorar melhor as possíveis qualidades obtidas (NAVARRO et al, 2007).

Objetivo Geral

• Avaliar a capacidade do fungo Pycnoporus sanguineus, de degradar a lignina de três espécies de eucaliptos.
• Definir as três espécies, para obter a mais promissora para a utilização em larga escala como matéria prima nas indústrias de celulose e papel, para ser recomendado na bioplopação.
• Estudar química e anatomicamente a madeira antes e após o tratamento.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
4
4

Página gerada em 17/12/2018 03:33:55 (consulta levou 0.095673s)