Nome do Projeto
Análise das distribuições granulométricas da precipitação durante o Projeto CHUVA Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2013 - 30/06/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia Aplicada
Resumo
Embora numerosos trabalhos tenham permitido rever os mecanismos e os princípios que conduzem à existência das precipitações, ainda resta muito a ser descoberto, principalmente, quanto a suas contribuições no interior dos sistemas precipitantes, quanto à importância da situação meteorológica e quanto às ligações com a dinâmica e a termodinâmica da atmosfera com nuvens. Desde que Joss e Waldvoguel (1967) introduziram o disdrômetro de impacto, o número de estudos observacionais de DSD tem conhecido um crescimento exponencial. Apesar de ter sido disponibilizado comercialmente há quase de 40 anos, originalmente, foi idealizado com o propósito de calcular a refletividade radar. As pesquisas em física de nuvens podem ser realizadas de acordo com cinco meios de estudo: as experiências em laboratório, as medidas in situ, as observações à distância com o uso de radar e, trabalhos de modelagem. Em termos de sensoriamento remoto ativo utilizando técnicas de radar, a estimativa de precipitação, utilizando somente dados de refletividade é difícil e precisa ser utilizada em conjunto com outras informações complementares que permitam melhor compreender as características naturais da precipitação (tipo, forma e concentração dos hidrometeoros). Deste modo, a observação com radar de dupla polarização tem sido proposta como um meio de distinguir os diversos tipos de precipitação, e, em particular, para detectar a presença de granizo, da banda brilhante e / ou os ecos de terreno, mas, sobretudo, a de corrigir a atenuação. A hipótese de base da utilização da técnica polarimétrica considera que as gotas maiores são achatadas e afetam a propagação do sinal radar de acordo com a polarização. Com anisotropia sendo relacionada à quantidade de chuva e ao espectro das gotas, as primeiras aplicações surgiram para medir os parâmetros da distribuição de gotas de chuva por tamanho (DSD) e para determinar uma relação bem definida entre o tamanho e a forma das gotas. Consequentemente, a estimativa da intensidade necessita um conhecimento sólido da distribuição granulométricas das gotas de chuva e seu grau de achatamento. Além disso, as técnicas de inversão se apóiam nas hipóteses feitas a priori na forma de distribuições granulométricas.

Objetivo Geral

Este projeto de pesquisa se insere na continuação dos trabalhos de restituição microfísica desenvolvido por outros pesquisadores e pelo proponente em seu programa de pós-doutorado na Universidade de São Paulo. Neste contexto, esta pesquisa tem por objetivo estudar as características granulométricas das precipitações observadas ao nível da superfície na cidade de Santa Maria (RS) durante a campanha de observação CHUVA Sul, realizada nos meses de novembro e dezembro de 2012.
Em particular o objetivo geral deste estudo é o de distinguir diferentes tipos de precipitação, modelar os diferentes tipos de precipitação observada e sua variabilidade temporal; e analisar a variabilidade das características granulométricas e sua influência sobre a obtenção da precipitação quando da utilização de radares, a importância dos mecanismos e as características microfísicas das nuvens dos sistemas precipitantes e analisar as ligações existentes entre a dinâmica do ar atmosférico com nuvens, DSD e os processos microfísicos existentes. Também é objetivo desta proposta, contribuir para o desenvolvimento de pesquisas utilizando métodos de restituição de variáveis microfísicas e estudar o processo de atenuação atmosférica ao longo do feixe de emissão de um radar meteorológico.
Para atingir o objetivo geral, tem-se como metas:
Meta 1. Classificar e quantificar os hidrometeoros detectados em sistemas precipitantes a partir de medidas obtidas por um disdrômetro de impacto (RD-80);
Meta 2. Analisar a evolução temporal da distribuição de gotas por tamanho e sua influência nas medidas radar;
Meta 3. Analisar a evolução espaço-temporal dos hidrometeoros;
Meta 4. Diferenciar os vários tipos de precipitação através da assinatura do disdrômetro de Joss e Waldvogel (JWD);
Meta 5. Comparar a quantidade de precipitação recuperada pelo disdrômetro com medidas in situ;
Meta 6. Obter e examinar a distribuição espacial da DSD com outros parâmetros;

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
LIARA KURTZ501/07/201330/06/2014

Página gerada em 17/06/2019 06:03:13 (consulta levou 0.072212s)