Nome do Projeto
Características dos idosos vivendo com HIV/AIDS em Pelotas
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2013 - 01/07/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Resumo
Em Pelotas, de acordo com o IBGE 2010, houve um crescimento no número de idosos em comparação ao ano de 2000, passando de 10,5% para 15,3% da população, acima do índice brasileiro que passou de 8,6% para 11%. Com o aumento da expectativa de vida do brasileiro e a transição demográfica da população(9), é possível afirmar que as pessoas além de estarem vivendo mais, também estão vivendo com maior qualidade, devido as possibilidades do convívio social, como programas dirigidos a esta faixa etária, facilidade de acesso a lugares públicos devido colocação de rampas e barras de segurança, direitos adquiridos através do estatuto do idoso. Cada vez mais os idosos buscam melhorar sua qualidade de vida, realizando atividades de lazer como bailes e viagens, criando um ambiente favorável ao encontro de um parceiro. Também devido à novas opções farmacêuticas estão ocorrendo mudanças no comportamento sexual dos idosos(24) que vêm se mantendo sexualmente ativos por mais tempo, ficando assim expostos as DST, com destaque para o HIV pelo grande número de complicações quando não diagnosticado e tratado precocemente(25). Diante da perspectiva do aumento do número de idosos infectados, faz-se necessário conhecer as características desta população já infectada em Pelotas. É importante destacar que a taxa de incidência (por 100.000 hab.) de Aids em 2010 em pessoas com mais de 60 anos é de 23 no Rio Grande do Sul e de 14,5 no Brasil, e, se considerarmos a faixa etária de 50 a 59 anos os números sobem respectivamente para 68,1 e 44,9(9). Com a mudança na pirâmide etária e o número crescente de casos de Aids entre os idosos(26) torna-se oportuno estudar as características dos portadores de HIV/Aids acompanhados no SAE na cidade de Pelotas, visando a instrumentalizar os serviços de saúde com maiores informações na elaboração de um plano de prevenção e assistência mais adequados a esta população.

Objetivo Geral

Objetivo geral

Caracterizar os idosos portadores de HIV/Aids acompanhados pelo Serviço de Assistência Especializada na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas.


Objetivos específicos
Caracterizar a população em estudo de acordo com as variáveis sexo, idade, raça, escolaridade, ocupação, tempo de diagnóstico, modo de contaminação, caso de Aids, critério utilizado para definição do caso, uso de antirretrovirais, último resultado de carga viral e linfócitos T CD4, doenças oportunistas ou intercorrências apresentadas e a presença de doenças crônicas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
RAQUEL SIQUEIRA BARCELOS201/07/201301/07/2014
ÂNGELA BEATRIZ AFFELDT1201/07/201301/07/2014

Página gerada em 12/12/2018 12:37:15 (consulta levou 0.075852s)