Nome do Projeto
Imagens dos encontros entre a loucura e a cidade: saúde, dispersão, território e a biopilítica contemporânea.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2013 - 01/07/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Resumo
O presente projeto de pesquisa se propõe a pesquisar quais são as transformações nas práticas Biopolíticas de nossa sociedade contemporânea a partir do estudo de suas novas estratégias territoriais de saúde coletiva. Partindo do pressuposto de que nossas políticas de saúde, educação e assistência, instituições e cidades, se transformaram intensamente nos últimos cinquenta anos, intenta-se com este trabalho investigar como se dão nossos novos modos de atenção à saúde, para, com isso, visibilizar o arranjo de relações de saber-poder que dão corpo à Biopolítica Contemporânea, distinta da Biopolítica Disciplinar tanto em estratégias quanto em efeitos. Para tanto, o projeto irá pesquisar duas novas estratégias da assistência em saúde mental do Estado em agenciar-se com a população: a dispersão da sua assistência, de unidades centrais (lógica centrada em Hospitais Psiquiátricos), para dispositivos territoriais (CAPS, Casas de Passagem, Pensões Assistidas, etc.) e a dispersão direta das ações de assistência pelas ruas da cidade (Consultório de Rua, Programas de redução de danos, etc.). A partir destas novas estratégias que fogem da antiga lógica disciplinar da centralização em grandes espaços de fechamento, se busca compreender qual é a Biopolítica Contemporânea no que se refere à assistência em saúde mental e que espécie de urbanidade tais estratégias ajudam a construir.

Objetivo Geral

Objetivo geral:
• Pesquisar as transformações na biopolítica contemporânea a partir das transformações na assistência de saúde pública. Centrando principalmente nos aspectos dispersivos territoriais da assistência em saúde mental e seus efeitos sobre nossos cotidianos urbanos.
Objetivos específicos:
• Pesquisar a transformação na biopolítica contemporânea a partir da dispersão capilar dos profissionais de saúde e dos promotores de saúde e cidadania no território urbano das cidades.
• Pesquisar as transformações provocadas pelas novas estratégias de assistência nos cotidianos urbanos da cidade de Pelotas.
• Pensar a transformação na noção de clínica a partir da introdução destas novas estratégias de saúde territorial imanentes às questões sociais.
• Promover e consolidar novas estratégias clínicas adequadas às novas configurações da nossa sociabilidade urbana e das atuais Políticas Públicas de Saúde e Assistência.
• Elaborar uma etnografia audiovisual da assistência em saúde mental dispersa pelo território a partir dos dois casos estudados (Pensão Assistida e Programa de redução de danos/ Consultórios de rua).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CAROLINA MOUSQUER SÁ501/07/201301/07/2015
CAMILA DO CANTO PEREZ501/07/201301/07/2015
CYNTHIA LUZ YURGEL1001/07/201301/07/2015
FLORA BEATRIZ PROIETTE SANTOS501/07/201301/07/2015
ISABELLA MACIEL HEEMANN501/07/201301/07/2015
JOSE RICARDO KREUTZ1001/07/201301/07/2015
MARIA TERESA DUARTE NOGUEIRA1001/07/201301/07/2015
MONIQUE NAVARRO SOUZA501/07/201301/07/2015
PAOLLA CECHET501/07/201301/07/2015
RAFAELA MORTÁGUA GUERRA501/07/201301/07/2015
VANESSA AVILA DOS SANTOS501/07/201301/07/2015
VANESSA DE GUSMÃO SANTOS501/07/201301/07/2015

Página gerada em 17/06/2019 06:01:20 (consulta levou 0.071365s)