Nome do Projeto
Dignidade e Valor na filosofia moral de Kant: gênese, emprego e significado à luz do debate metaético contemporâneo
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/09/2013 - 01/09/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Filosofia
Resumo
O conceito de dignidade aparece, de modo geral, por mais de cem vezes ao longo da obra de Kant, considerando-se tanto as obras sistemáticas publicadas, quanto as reflexões e notas esparsas. Por ordem quantitativa, isto é, onde as ocorrências são mais freqüentes, temos a seguinte disposição: as: na Doutrina da Virtude (21 vezes); na Fundamentação da Metafísica dos Costumes (17 vezes); em A Religião nos limites da simples razão (11 vezes) e na Pedagogia (10 vezes)10. No total o conceito aparece em 18 escritos. Como é possível perceber a GMS é o segundo dos textos em que isso é mais freqüente. Algumas perguntas que podem ser colocadas neste contexto são: o que Kant entende afinal por dignidade? Este conceito tem sempre e necessariamente o significado de dignidade humana? Qual é exatamente seu significado e qual sua função no interior da Grundlegung zur Metaphysik der Sitten? Na GMS 434,20-30 ao discorrer sobre a relação da lei moral com a vontade e sobre a natureza da “necessidade prática de agir” segundo o dever, Kant esclarece que não se trata de uma necessidade oriunda de desejos, inclinações ou sentimentos mas, pelo contrário, a necessitação prática baseia-se na “relação de seres racionais uns com os outros, na qual a vontade de um ser racional tem de ser considerada ao mesmo tempo como legislante, porque, de outro modo, não poderia pensá-los como fins em si mesmos”. Kant finaliza este parágrafo indicando que exatamente por abstrair de qualquer vantagem ou interesse, a razão se refere apenas à vontade enquanto universalmente legisladora e que precisamente o faz “em virtude da idéia de dignidade de um ser racional que não obedece a nenhuma lei senão àquela que ele dá ao mesmo tempo a si mesmo". A partir destas primeiras passagens poderíamos resumir as características do conceito: a) Kant emprega o conceito de dignidade relacionado ao ser racional, isto é, enquanto capaz de legislar por si mesmo, isto é, como ser caracterizado pela autonomia (434, 29-30) b) Dignidade opõe-se a preço, pois ela tem valor absoluto ao passo que o preço tem valor relativo. (434,31-34) c) Dignidade é definida como valor intrínseco (435,2-4) d) A moralidade é a única coisa que tem dignidade; a humanidade apenas enquanto capaz dela. (435, 5-9) e) A legislação que determina todo o valor tem dignidade e; f) A autonomia é o fundamento da dignidade da natureza humana e da natureza racional (436,2-7)

Objetivo Geral

Investigar no pensamento filosófico-moral de Kant, a gênese e o emprego do
conceito de dignidade, sobretudo no que se refere ao tema do valor absoluto da
pessoa como fim-em-si, identificando os problemas decorrentes das diferentes
interpretações sobre este conceito na literatura comentadora atual, estabelecer seu
alcance e legitimidade para o campo da filosofia moral contemporânea.

Objetivos específicos:

- Analisar os significados que Kant atribui ao conceito de dignidade e reconstruir os
argumentos centrais desenvolvidos por ele na proposição de sua filosofia moral
especialmente a partir da GMS;
- Identificar no âmbito da ética contemporânea as principais objeções ao conceito
de dignidade como sinônimo de valor intrínseco ou absoluto, por parte de seus
intérpretes, por meio do confronto com as investigações mais recentes da Kant-
Forschung;
- Determinar se é possível e sob que condições a defesa de uma interpretação que
toma dignidade como valor absoluto da pessoa é defensável em termos filosóficos
face às discussões metaéticas contemporâneas, sobretudo diante do realismo e do
anti-realismo moral;
- Sistematizar o estudo, apresentar os resultados em eventos científicos da área e
viabilizar a publicação da pesquisa resultante.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final

Página gerada em 19/10/2019 17:03:22 (consulta levou 0.077138s)