Nome do Projeto
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO FUNCIONAL DE PRATICANTES DE EQUOTERAPIA COM AUTISMO
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
06/01/2014 - 31/07/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Resumo
A equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de Saúde, Educação e Equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência e/ou necessidades especiais. Diversos profissionais utilizam-se da equoterapia como um método terapêutico que através da utilização do cavalo como um instrumento de trabalho busca promover o desenvolvimento emocional, motor e social dos indivíduos com deficiência. O Autismo está inserido no grupo de patologias que beneficiam-se da equoterapia, descrito pela primeira vez por Kanner (1943) e Asperger (1944), atualmente é classificado no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-IV, 2000) como Transtorno Invasivo do Desenvolvimento (TID), caracteriza-se por um prejuízo permanente na interação social, alterações de comunicação e padrões limitados ou estereotipados de comportamentos e interesses. Indivíduos com Autismo beneficiam-se da equoterapia por esta ter como objetivos o desenvolvimento de diversas habilidades dentro dos domínios físicos, motores e psicológicos que englobam componentes essenciais que possibilitam um bom desempenho na realização das atividades cotidianas. No entanto não há na literatura estudos que comprovem a eficácia da equoterapia no na independência Funcional desses indivíduos. Este trabalho tem como objetivo avaliar a eficácia da Equoterapia na independência funcional de praticantes com autismo através da comparação entre praticantes e não praticantes. Trata-se de um estudo transversal, comparativo e quantitativo, a amostra será composta por indivíduos com Autismo que praticam equoterapia regularmente em dois centros de Equoterapia na cidade de Pelotas e Rio Grande e indivíduos com Autismo que não realizam a pratica, mas que realizam outros atendimentos no Núcleo de Neurodesenvolvimento Doutor Mario Coutinho da Universidade Federal de Pelotas. As variáveis de interesse deste estudo são sexo, idade, renda familiar, tempo de prática de equoterapia e outros tipos de atendimentos realizados por todos os indivíduos participantes deste estudo. Será utilizado a Medida de Independência Funcional para crianças e adultos (weeFIM, FIM).

Objetivo Geral

Objetivo Geral
Avaliar o desempenho funcional de indivíduos com autismo praticantes de equoterapia.

Objetivos Específicos
Mensurar a influência da prática de equoterapia no desempenho funcional de praticantes com autismo;
Comparar o desempenho funcional de crianças e adolescentes com autismo praticantes de equoterapia com os não praticantes;
Verificar entre os praticantes as áreas de desempenho funcional com maior limitação e habilidade;
Evidenciar as possíveis contribuições da Terapia Ocupacional, na promoção da independência funcional dos praticantes de equoterapia com autismo;
Auxiliar na inclusão do Terapeuta Ocupacional nas equipes multiprofissionais de equoterapia no Brasil.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
DANIELE DORNELLES BENDER406/01/201431/07/2014

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 254,00

Página gerada em 20/01/2019 05:23:12 (consulta levou 0.091790s)