Nome do Projeto
Predestinação divina e liberdade humana: uma reflexão a partir de Scoto Eriúgena
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/06/2014 - 31/07/2015
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas - Filosofia
Resumo
O período carolíngio marca o renascimento da filosofia, após alguns séculos de pouca fecundidade. A retomada do Trivium, notadamente o papel importante da dialética, reacende debates filosóficos e enseja a inauguração de polêmicas que testemunham a envolvente e ruidosa atividade intelectual daqueles tempos. Nosso objetivo é estudar a querela em torno da predestinação divina que envolveu dois nomes importantes da renascença carolíngia, Godescalco (800 – 869) e Scoto Eriúgena (810 – 877). Tal polêmica, situada no século IX, num momento histórico em que, apesar do enfraquecimento do império carolíngio, o sistema de ensino patrocinado por Carlos Magno, tendo à frente Alcuíno, permanece bem estruturado. É interessante notar que os dois contendores sustentam suas posições a partir de fontes escriturísticas e patrísticas; Agostinho será a autoridade evocada por ambos; é bem verdade que Eriúgena atém-se mais aos primeiros tratados agostinianos, enquanto Godescalco tem em conta, sobretudo, os tratados da Graça. Godescalco defende a ideia da dupla predestinação, segundo a qual Deus, mesmo antes da criação, predestinara uma parte dos homens à salvação eterna e, de igual modo, uma outra parte da humanidade estava predestinada à danação. Scoto Eriúgena, por seu turno, entende não ser cabível a ideia de uma dupla predestinação, pois sendo Deus um ser simples, não comportaria nem divisão, nem duplicidade. Assim sendo, não seria possível nem mesmo falar em uma pré destinação, uma vez que tal noção pressupõe a temporalidade e Deus é atemporal. Pretendemos perscrutar as duas concepções antepostas, buscando vislumbrar quais as implicações morais que ensejam, uma vez que em torno da predestinação importantes questões morais estarão implicadas: que sentido teria a busca pelo aprimoramento moral se já estou, de antemão, predestinado à salvação ou à danação, independentemente do que eu venha fazer ou deixar de fazer?

Objetivo Geral

Relacionar predestinação divina e liberdade humana no pensamento de Scoto Eriúgena; identificar o lugar da dialética como instrumento de debate das questões éticas e teológicas na renascença carolingea; compreender a polêmica entre Eriúgena e Godescalco em torno da predestinação.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNO STRAPAZON FIGUEIREDO401/08/201431/07/2015
BRUNO STRAPAZON FIGUEIREDO1201/08/201428/02/2015
MARCOS VINÍCIUS MADRUGA VAZ1228/02/201531/07/2015
MARCOS VINÍCIUS MADRUGA VAZ1201/03/201531/07/2015

Página gerada em 07/04/2020 00:58:42 (consulta levou 0.086122s)